Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Literatura

Daniel Galera

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 25.11.2020
13.07.1979 Brasil / São Paulo / São Paulo
Daniel Galera (São Paulo, São Paulo, 1979). Romancista, contista e tradutor. Além da reflexão sobre o universo contemporâneo, a prosa de Daniel Galera trata de temas como a amizade, a memória e as relações familiares. 

Texto

Abrir módulo

Daniel Galera (São Paulo, São Paulo, 1979). Romancista, contista e tradutor. Além da reflexão sobre o universo contemporâneo, a prosa de Daniel Galera trata de temas como a amizade, a memória e as relações familiares. 

Ainda na infância muda-se para Porto Alegre, e mais tarde gradua-se em publicidade na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Aproveitando o início da popularização da internet no Brasil, destaca-se com a publicação de textos em diversos sites, blogs e fanzines virtuais, sobretudo no Cardosonline (COL). 

Com o escritor Daniel Pellizzari (1974) e o ilustrador Guilherme Pilla, funda em 2001 a editora Livros do Mal, por meio da qual, no mesmo ano, publica seu primeiro livro, a coletânea de contos Dentes Guardados. Também pela Livros do Mal, lança seu segundo livro e primeiro romance, Até o Dia em que o Cão Morreu (2003), posteriormente adaptado para o cinema com o título Cão sem Dono, com direção de Renato Ciasca (1961) e Beto Brant (1964).

Grande parte da obra narrativa de Daniel Galera está centrada na representação do universo dos adolescentes e dos jovens adultos contemporâneos. Nesse universo, o sexo, a violência, a cultura pop e a amizade ganham espaço e relevo consideráveis.

Em seus contos e romances destacam-se casos de triângulos amorosos, de descobertas sexuais, de traições, de amizades postas à prova e da violência urbana, muitas vezes gratuita. É também notável a utilização de inúmeras referências à cultura pop, que é evocada não apenas como adereço ou como truque para uma identificação imediata com o leitor, mas também como aspecto indissociável da vida e da educação sentimental dos personagens.

Em 2006, lança seu segundo romance, Mãos de Cavalo (2006). A narrativa da obra é construída como uma espécie de romance de formação, que acompanha a trajetória do personagem Hermano por meio do contraste entre seu cotidiano de adulto e suas memórias e traumas da infância e adolescência.

Galera procura realizar a representação em diversos níveis. No da linguagem, por exemplo, muitas vezes o faz utilizando-se da apresentação direta de pensamentos e falas de seus personagens, que se expressam por meio de termos bastante coloquiais e de gírias típicas de suas faixas etárias e de seus locais de origem, quase sempre Porto Alegre. Esse aspecto local e temporal, no entanto, não chega a tornar a obra obscura para aqueles que não compartilham do mesmo contexto, já que aparece quase sempre de forma sutil, pois seu interesse principal não é o registro de época.

O terceiro romance, Cordilheira, é publicado em 2008. O livro é escrito em primeira pessoa, do ponto de vista de uma mulher, a personagem principal, Anita. Em 2010 lança a graphic novel1 Cachalote, produzida em parceria com o desenhista Rafael Coutinho (1980). Em 2012, lança Barba Ensopada de Sangue, que vence o prêmio São Paulo de Literatura 2013, e, em 2016, publica Meia-Noite e Vinte

Paralelo a seu trabalho autoral, atua também como resenhista e ensaísta e mantém ainda a atividade de tradutor. Verte para o português autores como o americano Jack London (1876-1916), o britânico David Mitchell (1974) e a escritora inglesa Zadie Smith (1975). Em 2012, assina o prefácio de Ficando Longe do Fato de já Estar Meio que Longe de Tudo, do ensaísta americano David Foster Wallace (1962-2008), traduzido por Galera em conjunto com Pellizzari, com ensaios também selecionados por Galera. 

Na prosa e nos quadrinhos de Daniel Galera, assuntos anacrônicos, como a solidão, o peso do passado e as relações humanas, são representados ao lado de tensões próprias da contemporaneidade, fazendo com que o leitor se identifique com a obra do autor.

Nota:

1. Graphic novel, em português, romance gráfico, é uma história mais longa, como uma obra literária em prosa, produzida em quadrinhos. Geralmente é voltado para o público adulto. SANTANA, Ana Lucia. Graphic Novel. InfoEscola, [s.l., s.d.]. Disponível em: https://www.infoescola.com/literatura/graphic-novel/.

Debates 1

Abrir módulo

Eventos multiculturais 1

Abrir módulo

Mídias (1)

Abrir módulo
Daniel Galera - Enciclopédia Itaú Cultural
Daniela Galera se inicia na literatura em 1996, mesma época em que a internet se populariza no País. Sendo da geração que mais rápido se adaptou à rede, Galera começa a escrever e a publicar seus textos em sites e blogs simultaneamente. “Editei uma revista on-line, a Flor da Palavra, que existiu de 1997 a 2000. Imitei revistas de literatura americanas que já publicavam na internet. Eu tinha 17 anos.” O escritor também foi um dos colaboradores do e-mail zine CardosOnline, fanzine digital criado em 1998, que se tornou um fenômeno. “Hoje existem blogs literários. Alguns bons, mas são uma minoria”, acredita Galera. “Achava-se que o blog teria mais literatura de ficção, e isso ocorre numa porcentagem pequena. Os textos são rápidos. É quase como assistir televisão”, compara. Entre os autores que ele cita como influência estão os contistas Luiz Vilela e Sérgio Faraco, João Gilberto Noll, Anton Tchekhov e Philip Roth.

Captação, edição e legendagem: Sacisamba
Intérprete: Erika Mota (terceirizada)
Locução: Júlio de Paula (terceirizado)

Fontes de pesquisa 6

Abrir módulo

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: