Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

A Enciclopédia é o projeto mais antigo do Itaú Cultural. Ela nasce como um banco de dados sobre pintura brasileira, em 1987, e vem sendo construída por muitas mãos.

Se você deseja contribuir com sugestões ou tem dúvidas sobre a Enciclopédia, escreva para nós.

Caso tenha alguma dúvida, sugerimos que você dê uma olhada nas nossas Perguntas Frequentes, onde esclarecemos alguns questionamentos sobre nossa plataforma.

Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Lau Caminha Aguiar

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 29.06.2021
21.06.1955 Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro
Reprodução Fotográfica Aquivo do Artista

The Selfish
Lau Caminha Aguiar

José Wenceslau Caminha Aguiar Júnior (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1955). Artista visual e professor. No fim da década de 1970, após experiências com assistência de direção cinematográfica, aproxima-se do campo das artes visuais participando, em 1986, de sua primeira exposição coletiva com o grupo Romantechs (Românticos Technológicos), no Pal...

Texto

Abrir módulo

José Wenceslau Caminha Aguiar Júnior (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1955). Artista visual e professor. No fim da década de 1970, após experiências com assistência de direção cinematográfica, aproxima-se do campo das artes visuais participando, em 1986, de sua primeira exposição coletiva com o grupo Romantechs (Românticos Technológicos), no Palácio das Artes, em Belo Horizonte. Em 1988, é contemplado com o Prêmio Listel em Busca de Novos Talentos.

Ingressa, em 1995, no curso de belas artes da Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), onde se forma em escultura, em 1999. Entre as décadas de 1990 e 2000, participa de diversas mostras no país, com destaque para as individuais Guerra dos Mundos (1995) e Horizonte Negativo (1998), ambas exibidas no Centro Cultural UFMG, em Belo Horizonte, além da instalação A Flecha de Zenão, exibida em 2006, no Espaço Usiminas Belas Artes, também na capital mineira. Em 2001, obtém o título de mestre em artes pela UFMG e, em 2007, conclui doutorado em artes visuais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Desde 2004, atua como professor universitário. É professor efetivo, desde 2007, junto à Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG) e professor visitante junto à Escola de Belas Artes da UFMG, desde 2012.

Análise

Operando principalmente no âmbito da criação de objetos e instalações, Lau Caminha Aguiar investiga em seus trabalhos as possibilidades expressivas de meios de produção e reprodução mecânica, química e eletrônica de imagens, desde fotografia e impressão eletrofotográfica (xerox) até projeções holográficas.

O artista se interessa particularmente pela relação de equivalência com o real própria dessas técnicas, entendendo-as como expressão do desejo humano de reter uma imagem de sua existência efêmera. Em vários de seus trabalhos, Aguiar explora essa questão, valendo-se principalmente da imagem de seu próprio corpo. Em I-book, exibido na mostra Plasticidade, realizada na Galeria de Arte do Espaço Cemig, Goiás, em 2004, o artista apresenta um conjunto de definições de palavras relacionadas à memória dispostas em três páginas. As duas primeiras páginas contêm ao fundo uma imagem do corpo do artista nu, sendo a segunda imagem impressa num tom mais esmaecido; a terceira página exibe apenas as palavras, sem qualquer imagem ao fundo, sugerindo o processo de desvanecimento da imagem do artista. Em entrevista ao crítico Stéphane Huchet, que define a obra como uma recordação de nossa finitude, Aguiar assim se pronuncia: "Meus autorretratos são fotografias melancólicas e irônicas, imagens cujo referente está fadado ao desaparecimento nas areias do tempo e do qual restará apenas o seu registro fotoquímico ou foto-eletrônico"1.

Nota

1. Cf. Entrevista a Stéphane  Huchet in PLASTICIDADE. Curadoria e texto Stéphane Huchet. Belo Horizonte: Espaço Cultural Cemig, 2004.

Obras 1

Abrir módulo

Exposições 20

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 9

Abrir módulo
  • AGUIAR JUNIOR, José Wenceslau Caminha. Currículo do sistema currículo Lattes. [Brasília], s.d. Disponível em: < http://lattes.cnpq.br/8245536248808421 >. Acesso em: s.d.
  • DESLOCAMENTOS do eu. O autorretrato digital e pré-digital na arte brasileira (1976-2001). Curadoria e texto Tadeu Chiarelli. Campinas: Itaú Cultural Campinas, 2001.
  • FÓRUM INTERNACIONAL DE DANÇA, Belo Horizonte, MG. Mostra de artes plásticas FID. Apresentação Esther Mourão Monteiro; texto Marcos Hill. Belo Horizonte: Galeria SESIMINAS, 1996. 40 p., il. color. MGsesi 1996/m
  • FÓRUM INTERNACIONAL DE DANÇA, Belo Horizonte, MG. Mostra de artes plásticas FID. Apresentação Esther Mourão Monteiro; texto Marcos Hill. Belo Horizonte: Galeria SESIMINAS, 1996. 40p. il. , foto color.
  • LATITUDES. 1ª Exposição do ateliê-seminário Elementos formadores do processo artístico. Curadoria e texto Stéphane Huchet. Belo Horizonte: Galeria da Escola de Belas Artes da UFMG, 2000.
  • MICROLIÇÕES de coisas. Organização Paulo Roberto Alvarez e Valéria de Faria Cristófaro. Juiz de Fora: Centro de Estudos Murilo Mendes, 2005.
  • O QUE acontece quando se muda de lugar? Belo Horizonte, 1997. , il. CAT-G MGfiemg 1997
  • O QUE acontece quando se muda de lugar? Curadoria Marcos Hill. Belo Horizonte: Centro Cultural Nansen Araújo: Fiemg, 1997.
  • PLASTICIDADE. Curadoria e texto Stéphane Huchet. Belo Horizonte: Espaço Cultural Cemig, 2004.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: