Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Cyro del Nero

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
28.12.1931 Brasil / São Paulo / São Paulo
31.07.2010 Brasil / São Paulo / São Paulo
Cyro del Nero (São Paulo SP 1931 - idem 2010). Cenógrafo. De hábeis soluções técnicas, especialmente em grandes dimensões, torna-se colaborador de alguns marcantes encenadores brasileiros, principalmente de Flávio Rangel, com o qual realiza diversas parcerias.

Texto

Abrir módulo

Biografia
Cyro del Nero (São Paulo SP 1931 - idem 2010). Cenógrafo. De hábeis soluções técnicas, especialmente em grandes dimensões, torna-se colaborador de alguns marcantes encenadores brasileiros, principalmente de Flávio Rangel, com o qual realiza diversas parcerias.

Após concluir formação em cenografia na Alemanha, Cyro realiza trabalhos de assistência de cenografia na Grécia; e em Stuttgart, na Alemanha, com Wieland Wagner, diretor do Festival Wagner de Bayreuth.

É contratado como cenógrafo do Teatro Brasileiro de Comédia (TBC), fazendo sua estréia profissional no Brasil com O Pagador de Promessas, de Dias Gomes, na encenação de Flávio Rangel, em 1960. No mesmo ano, com o mesmo diretor, está em A Semente, texto de Gianfrancesco Guarnieri que lhe possibilita explorar o acanhado palco do TBC. Para essa companhia, cenografa Almas Mortas, de Nikolai Gogol, realização de pouca ressonância, e A Escada, de Jorge Andrade, com resultados bem melhores, ambas em 1961.

Em 1962, surpreende com a cenografia de Quarto de Despejo, espetáculo de Amir Haddad baseado no livro de Carolina de Jesus, que lhe rende duas premiações, Saci e Associação Paulista de Críticos Teatrais (APCT).

Realiza outro trabalho de destaque em 1962, em A Revolução dos Beatos, novo texto de Dias Gomes, alçado à categoria de espetáculo grandioso pelas mãos de Flávio Rangel, sua última criação no TBC.

Participando da 4ª Bienal Internacional de São Paulo, obtém um prêmio que o conduz à exposição de trabalhos na Quadrienal de Cenografia de Praga, em 1963. Paralelamente ao seu trabalho como cenógrafo, desenvolve ativa participação na televisão e no cinema, como diretor de arte ou cenógrafo. Igualmente realiza feiras, exposições e shows, especialmente ao lado de Abelardo Figueiredo, no Brasil e no exterior.

Em 1969, faz a cenografia de Esperando Godot, de Samuel Beckett, último desempenho de Cacilda Becker no teatro, criação de Flávio Rangel. Em 1973, com o mesmo diretor, cenografa À Flor da Pele, de Consuelo de Castro. Após um período de afastamento, retorna em 1986 com Antônio Abujamra e a encenação de Hamletto, de Giovanni Testori.

Nos anos 1990, torna-se professor titular da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP), onde leciona cenografia e indumentária. É o cenógrafo de Meno Male, de Juca de Oliveira, com direção de Bibi Ferreira, em 1990. Em 1994 e 1995 é assessor cultural para Artes Cênicas e Gráficas do Centro Cultural São Paulo da Secretaria Municipal de Cultura (CCSP).

Espetáculos 65

Abrir módulo

Exposições 5

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 9

Abrir módulo
  • ALBUQUERQUE, Johana. Cyro Del Nero (ficha curricular) In: ___________. ENCICLOPÉDIA do Teatro Brasileiro Contemporâneo. Material elaborado em projeto de pesquisa para a Fundação VITAE. São Paulo, 2000.
  • Disponível em: [http://diversao.terra.com.br/gente/noticias/0,,OI4597682-EI13419,00-Cenografo+brasileiro+Cyro+del+Nero+morre+aos+anos.html]. Acesso em: 03/08/2010. Terra
  • FERRARA, J.A.; SERRONI, J. C. (Org.). Cenografia e indumentária no TBC. São Paulo: Secretaria do Estado da Cultura, 1980. 157 p.
  • Jorge Amado, Angelina Muniz, Dona Flor e Seus Dois Maridos juntos no Brigadeiro. Palco e Platéia, São Paulo, ano 0, julho de 1985. Não catalogado
  • Planilha enviada pelo pesquisador Edélcio Mostaço. Não Catalogado
  • Programa do Espetáculo - Feira do Adultério - 1976. Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - O Hamlet - 1982. Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - Os Rapazes da Banda - 1970. Não catalogado
  • SIQUEIRA, José Rubens. Viver de teatro: uma biografia de Flávio Rangel. São Paulo: Nova Alexandria, 1995.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: