Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Raquel Kogan

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 26.09.2018
30.07.1955 Brasil / São Paulo / São Paulo
Reprodução fotográfica Sérgio Guerini/Itaú Cultural

Reflexão 2, 2005
Raquel Kogan

Raquel Tasny Kogan (São Paulo, São Paulo, 1955). Artista multimídia, gravadora, pintora. Forma-se arquiteta na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Mackenzie, em 1978. Inicia seu trabalho artístico com pintura e gravura. Em 1996, realiza sua primeira individual, 20x20x240, na Mônica Filgueiras Galeria, São Paulo, apresentando 240 peças de madeir...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Raquel Tasny Kogan (São Paulo, São Paulo, 1955). Artista multimídia, gravadora, pintora. Forma-se arquiteta na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Mackenzie, em 1978. Inicia seu trabalho artístico com pintura e gravura. Em 1996, realiza sua primeira individual, 20x20x240, na Mônica Filgueiras Galeria, São Paulo, apresentando 240 peças de madeira de 20 x 20 cm, com as quais cria uma espécie de livro aberto em que figuram grafismos e números, tema constante em seu trabalho. Expõe pinturas e gravuras em coletivas de diversos países. Em 1999, monta sua primeira instalação, um objeto que é gradualmente formado por parafina durante a exposição, na Capela do Morumbi, em São Paulo. Em 2002, Raquel Kogan é premiada pelo Rumos Transmídia Itaú Cultural e começa a se consagrar como artista multimídia. No ano seguinte, executa a instalação #Reflexão1 que tem como desdobramentos #Reflexão2 (2005) e #Reflexão3 (2006), e é apresentada no Itaú Cultural; na Ciber@rt 2004 do Festival de Novas Tecnologias+Arte e Comunicação de Bilbao, na Espanha; e no Zentrum für Kunst und Medientechnologie (ZKM), Karlsruhe, Alemanha. Raquel direciona sua pesquisa artística para a interação, utilizando-se de recursos multimídia. Cria a instalação on-line sidespecific (2006), a videoinstalação Mov_ving (2007) e 5'22", uma ilustração sonora da peça musical 4'33" do compositor norte-americano John Cage (1912), apresentada na 7ª Bienal do Mercosul, em 2009.

Análise

Raquel Kogan tem uma relação estreita com a escrita e outros códigos linguísticos. Tanto em suas pinturas e gravuras quanto em suas instalações e projetos multimídia utiliza códigos alfanuméricos que se arranjam em formações pictóricas. Essas formas, ao mesmo tempo em que ecoam a cultura judaica - viva graças à escrita -, possibilitam, segundo o artista Antonio Malta Campos (1961)2, "várias leituras que se anulam e se reduzem ao essencial: o aspecto visual, quase táctil, do texto escrito". A curadora Stella Teixeira de Barros compara os trabalhos de Raquel Kogan com os caligramas dos "pré-textos" da artista Mira Schendel (1919-1988) - também de origem judaica -, mas defende que sua obra é resultante de um processo reflexivo autônomo3. Essa autonomia fica mais clara conforme essas grafias são incorporadas às instalações interativas. O trabalho de Raquel Kogan com a linguagem se completa ao estudar as dimensões e os limites da interação, pois assim se entende que o sentido existe somente na relação com o outro. Na obra #Reflexão o espectador sabe que participa da obra e transforma-se em seu próprio observador em uma fusão com o cenário, que o desorienta. Como analisa o curador Teixeira Coelho4, observadores estão sujeitos à intervenção dos demais e não controlam a situação, o que acaba por permitir a criação de uma sensibilidade geral que, pautada pelos reflexos, redefine os limites da identidade.

Notas

1 #Reflexão é uma instalação em que uma parede de números é gerada em computador e "refletida" num espelho d´água e interage, por meio de sensores, com o movimento do público na sala expositiva.
2 TEXTO escrito em julho de 1999. Disponível no site da artista: http://www.raquelkogan.com/rk_page_obra_002.php. Acesso em: 01/10/2010 
3 TEXTO escrito em julho de 1999. Disponível no site da artista: http://www.raquelkogan.com/rk_page_obra_002.php. Acesso em: 01/10/2010 
4 COELHO, Teixeira. Multitudo. In: COLEÇÃO ITAÚ CONTEMPORÂNEO. São Paulo: Itaú Cultural, 2006, p. 314.

Obras 1

Abrir módulo
Reprodução fotográfica Sérgio Guerini/Itaú Cultural

Exposições 73

Abrir módulo

Festivais 1

Abrir módulo

Mostras audiovisuais 1

Abrir módulo

Mídias (1)

Abrir módulo
Raquel Kogan - Enciclopédia Itaú Cultural
“Eu trabalho com o tempo”, define a artista multimídia carioca Raquel Kogan. Para ela, o tempo de elaborar, executar e implementar um projeto é fundamental e acaba se refletindo na obra final. A formação de arquiteta a ajuda na criação das instalações, como a que realizou na Capela do Morumbi. Composta por 600 quilos de parafina, a obra funciona como uma gravura que, iluminada, deixa claras as diversas camadas de trabalho que resultam na peça. Depois desse projeto, Raquel migra para composições em vidro porque “queria que não existisse a matéria”. Ao trabalhar com esse material, o reflexo se faz presente e então ela experimenta também o espelho como matéria-prima. O vídeo e o som são elementos presentes em suas instalações. Com mais de 30 anos de carreira, Raquel avalia que a experiência aumenta a responsabilidade do artista. “Não que isso te prenda a liberdade de pensamento, mas tem um comprometimento maior.”

Produção: Documenta Vídeo Brasil
Captação, edição e legendagem: Sacisamba
Intérprete: Erika Mota (terceirizada)
Locução: Júlio de Paula (terceirizado)

Fontes de pesquisa 11

Abrir módulo
  • COELHO, Teixeira. Multitudo. In: ______ (org.). Coleção Itaú Contemporâneo: arte no Brasil, 1981-2006. São Paulo: Itaú Cultural, 2006. p. 299-320.
  • Festival Internacional de Linguagem Eletrônica, 2, 2007, Rio de Janeiro, RJ. Festival Internacional de Linguagem Eletrônica [File]. Rio de Janeiro: File, 2007.
  • KOGAN, Raquel. Raquel Kogan. Texto Drauzio Varella. São Paulo: Mônica Filgueiras Galeria de Arte, 2000. [4] p., il. color.
  • KOGAN, Raquel. Raquel Kogan. Texto Drauzio Varella. São Paulo: Mônica Filgueiras Galeria de Arte, 2000. [4] p., il. color. K78 2000
  • LALI Krotoszynski; Inês Cardoso; Raquel Kogan; Lucila Meirelles. Texto Cauê Alves, Daniela Maura Ribeiro, José Augusto Ribeiro. São Paulo: Paço das Artes, 2004. 24 p., il. color. (Temporada de projetos 2003-2004).
  • LALI Krotoszynski; Inês Cardoso; Raquel Kogan; Lucila Meirelles. Texto Cauê Alves, Daniela Maura Ribeiro, José Augusto Ribeiro. São Paulo: Paço das Artes, 2004. 24 p., il. color. (Temporada de projetos 2003-2004). SPpa 2004/Lk
  • MEMÓRIA DO FUTURO. São Paulo: Itaú Cultural, 2008. 132 p. Catálogo de exposição, 4 jul. 2007-9 set. 2007, Itaú Cultural.
  • Monachesi, Juliana. Reflexão 2, 2005. In: Cinético_Digital. São Paulo: Itaú Cultural, 2005, p. 38.
  • OCUPAÇÃO. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2007. 138p. Catálogo de exposição, 7 jun. 2006-16 jul. 2006, Paço das Artes.
  • Prêmio Sergio Motta de Arte e Tecnologia, 5., 2004 São Paulo, SP. 5º Prêmio Sergio Motta de Arte e Tecnologia. São Paulo: Instituto Sergio Motta, 2004.
  • RUMOS ITAÚ CULTURAL TRANSMÍDIA, 2002-2003, SÃO PAULO. Transmídia. São Paulo: Itaú Cultural, 2003. [24] p., il. color. p. [13].

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: