Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Rodrigo Melo Franco de Andrade

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 24.10.2019
17.08.1898 Brasil / Minas Gerais / Belo Horizonte
11.05.1969 Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro
Rodrigo Melo Franco de Andrade (Belo Horizonte, Minas Gerais, 1898 – Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1969). Advogado, pesquisador, jornalista e escritor. Em 1910, passa a viver com o tio, o jurista e escritor Afonso Arinos (1868-1916), em Paris, onde frequenta o curso secundário no Lycée Janson de Sailly.

Texto

Abrir módulo

Rodrigo Melo Franco de Andrade (Belo Horizonte, Minas Gerais, 1898 – Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1969). Advogado, pesquisador, jornalista e escritor. Em 1910, passa a viver com o tio, o jurista e escritor Afonso Arinos (1868-1916), em Paris, onde frequenta o curso secundário no Lycée Janson de Sailly.

De volta ao Brasil, ingressa no curso de Direito na Faculdade Livre de Ciências Jurídicas e Sociais do Rio de Janeiro. Como advogado, faz parte do gabinete da Inspetoria de Obras Contra a Seca.

Em 1921, inicia a carreira de jornalista, colaborando com O Dia. Entre 1928 e 1930, trabalha como diretor-presidente de O Jornal, de Assis Chateaubriand (1892-1968).

Publica o poema “Ode Pessimista”, na Revista Estética, em 1925. No ano seguinte, torna-se redator-chefe da Revista do Brasil.

Entre 1930 e 1935, atua como chefe de gabinete do Ministério da Educação e Saúde. No primeiro ano no cargo, nomeia o arquiteto Lúcio Costa (1902-1998) para a direção da Escola Nacional de Belas Artes (Enba).

Seu livro Velórios é editado em 1936. No mesmo ano, inicia a estruturação do Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Sphan), atual Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em parceria com o poeta Mário de Andrade (1893-1945). Franco de Andrade exerce a função de diretor-geral da instituição, de 1937 a 1967.

Como pesquisador, lança os livros Brasil: Monumentos Históricos e Arqueológicos (1952), Rio Branco e Gastão (1953) e Artistas coloniais (1958).

Desde 1987, o Iphan promove o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, em sua homenagem.

Exposições 2

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 6

Abrir módulo

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: