Artigo da seção pessoas Rosalbino Santoro

Rosalbino Santoro

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deRosalbino Santoro: 1857 Local de nascimento: (Itália / Calábria / Fuscaldo) | Data de morte 1942 Local de morte: (Itália / Lazio / Roma)
Imagem representativa do artigo

Praia no Bairro da Saúde, RJ , 1906 , Rosalbino Santoro

Rosalbino Santoro (Fuscaldo, Itália, 1857- Roma, Itália, 1942). Pintor e professor. Estuda na Academia de Nápoles, Itália, com os pintores Postiglione2 e Filippo Palizzi (1818-1899). Entre 1880 e 1883, participa de exposições nas academias italianas de Brera, Milão, Veneza e Nápoles. 

Chega ao Rio de Janeiro por volta de 1884, segundo indicam paisagens cariocas datadas desse ano.3 Em 1885, expõe na galeria Glace Elegante. Requer vaga para cadeira de paisagem da Academia Imperial de Belas Artes (Aiba), anteriormente ocupada por Georg Grimm (1846-1887). O pedido é negado. 

Em 1887, muda-se para São Paulo e pinta, sob encomenda, paisagens de fazendas no interior do estado. Entre o fim da década de 1880 e 1895, atua como professor do Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, substituindo o pintor Almeida Júnior (1850-1899). Na década 1890, faz viagens a trabalho para o interior.

Participa da Exposição Nacional de Belas Artes (Enba), do Rio de Janeiro, de 18984 e 19055. Em 1900, permanece um período em Taubaté, São Paulo, na casa da família da futura pintora Georgina de Albuquerque (1885-1962), de quem é o primeiro professor. Em 1903, expõe no Banco Francês, em São Paulo e, no ano seguinte, com Antônio Ferrigno (1863-1940), no Banco Constructor. Em 1906, apresenta exposição individual no Banco de Crédito Real de São Paulo. Em 1908, participa da Enba e aparece como sócio perpétuo e benemérito da Sociedade Italiana de Beneficência, fundada em 1904, em São Paulo. Em 1909, retorna à Itália, fixando-se em Roma, onde permanece ativo até, pelo menos, 1934.

 

Análise

Rosalbino Santoro integra um grupo de artistas estrangeiros, sobretudo italianos, que, embora aportem primeiramente no Rio de Janeiro, fixam residência em São Paulo, a partir do último quarto do século XIX.

A vinda para esse estado parece decorrer, de um lado, da dificuldade de inserção no circuito carioca de arte, mais fechado para artistas recém-chegados e, de outro, à atração criada pelo crescente mercado de arte paulista, promovido pela economia cafeeira.

De 1884 a 1909, época em que vive no Brasil, Santoro faz incursões no interior de São Paulo para pintar, sob encomenda, paisagens de propriedades cafeicultoras. Essa demanda garante  produção ativa durante o período. Em contrapartida, dificulta a recepção integral de sua obra pictórica, da qual, até hoje, são conhecidos poucos exemplares, pertencentes a coleções particulares.

Das primeiras pinturas brasileiras de que se tem notícia (dos anos 1884 e 1885) até as últimas (da década de 1900), nota-se uma mudança no estilo do artista. As paisagens cariocas que pinta logo após a emigração, como Cais da Glória, têm relação mais próxima com o trabalho que desenvolve na Itália: são mais descritivas no tratamento formal e, em certa medida, “fotográficas”. As últimas paisagens brasileiras, como Colheita de Café, são mais sintéticas. Nelas parece prevalecer interesse mais “anedótico”, do qual o artista se vale para representar as atividades diárias do trabalho na lavoura, desenvolvido em grande parte por imigrantes italianos em busca de trabalho em uma nova terra.

 

Notas

1.  A bibliografia brasileira aponta para 1858 como o ano do nascimento de Santoro. Entretanto, adotamos a data indicada no recente dicionário de artistas italianos da região da Calábria, Gli Artisti della Calabria. Dizionario degli Artisti Calabresi dell’Ottocento e del Novecento, cujo verbete, o mais completo encontrado, corrige alguns erros a respeito da vida do artista e inclui dados biográficos após 1908, ano em que cessam referências sobre ele na bibliografia brasileira.

2. Não foi possível precisar se se alude ao napolitano Luigi Postiglione (1812-1881) ou a seu irmão, Rafaelle Postiglione (1818-1897).

3. São elas: Cais da Glória e Terraço do Passeio Público.

4. Com a obra Desfolha do Milho (ou Vida na Fazenda).

5.  Com as obras: Remanso e Tempestade.

Outras informações de Rosalbino Santoro:

  • Outros nomes
    • Rosaltino Santoro
  • Habilidades
    • Pintor
    • professor de artes plásticas

Obras de Rosalbino Santoro: (1) obras disponíveis:

Exposições (7)

Artigo sobre O Café

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de inícioO Café: 28-08-2000  |  Data de término | 20-10-2000
Resumo do artigo O Café:

Banco Santander (São Paulo, SP)

Fontes de pesquisa (37)

  • 150 ANOS de pintura de marinha na história da arte brasileira. Rio de Janeiro: Museu Nacional de Belas Artes, 1982.
  • Artnet. Disponível em: <http://www.artnet.com/artists/lotdetailpage.aspx?lot_id=DC954249D6E43DA3>. Acesso em 08 ago. 2013.
  • AYALA, Walmir (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: MEC / INL, 1980. v.4: Q a Z. (Dicionários especializados, 5).
  • BÉNÉZIT, Emmanuel-Charles. Dictionnaire critique et documentaire des peintres, sculpteurs dessinateurs et qraveurs: de tous les temps et de tous les pays par un groupe d´écrivains spécialistes français et étrangers. Nova edição revista e corrigida. Paris: Grund, 1976. 10 v.
  • BOLSA DE ARTE do Rio de Janeiro. Leilão de maio de 2008. Lotes 129 e 130. Rio de Janeiro: Bolsa de Arte, 2008.
  • BRAGA, Theodoro. Artistas pintores no Brasil. São Paulo: São Paulo Editora, 1942.
  • BUENO, Alexei. O Brasil do século XIX na Coleção Fadel. Rio de Janeiro: Instituto Cultural Sergio Fadel, 2004.
  • Catálogo das Artes. Disponível em: <http://www.catalogodasartes.com.br/Avaliacoes2.asp?Pesquisar=1&cboArtista=Rosalbino%20Santoro&sPasta=@Obras&rdTipoObra=5>. Acesso em 08 ago. 2013.
  • CAVALCANTI, Carlos; AYALA, Walmir (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Apresentação de Maria Alice Barroso. Brasília: MEC: INL, 1973-1980. (Dicionários especializados, 5).
  • COSTA, Angione. A inquietação das abelhas. Rio de Janeiro: Pimenta de Melo, 1927.
  • DIÁRIO Popular. Exposição de pintura. Diário Popular, São Paulo, 17 ago. 1895.
  • DIÁRIO Popular. Sorteio de quadros. Diário Popular, São Paulo, 4 fev. 1904.
  • DIÁRIO Popular. Um bom quadro. Diário Popular, São Paulo, 11 ago. 1898. 
  • DIÁRIO Popular. Exposição de pintura. Diário Popular, São Paulo, 18 dez. 1903. 
  • Enciclopédia do Itaú Cultural: verbete Antonio Ferrigno. Disponível em: <http://www.itaucultural.org.br/aplicexternas/enciclopedia_ic/index.cfm?fuseaction=artistas_biografia&cd_verbete=1105&lst_palavras=&cd_idioma=28555&cd_item=1>. Acesso em 08 ago. 2013.
  • Exposição de Pintura.  São Paulo: Diário Popular, São Paulo, 18 dez. 1903.
  • Exposição de Pintura. São Paulo: Diário Popular, São Paulo, 17 ago. 1895.
  • Exposição Santoro. São Paulo: O Estado de S. Paulo, São Paulo, 24 dez. 1903.
  • FREIRE, Laudelino, Um século de pintura. Apontamentos para a História da Pintura no Brasil de 1816 a 1916, Rio de Janeiro: Typographia Röhe, 1916
  • GULLAR, Ferreira (et. al). 150 anos de pintura no Brasil: 1820-1970. Rio de Janeiro: Colorama, 1989.
  • LE PERA, Enzo. Gli Artisti della Calabria. Dizionario degli Artisti Calabresi dell’Ottocento e del Novecento. Cosenza: Luigi Pellegrini Editore, 2013
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • LEVY, Carlos Roberto Maciel. 150 ANOS de pintura de marinha na história da arte brasileira. Rio de Janeiro: Museu Nacional de Belas Artes, 1982.
  • O CAFÉ. São Paulo: Banco Real, 2000.
  • O ESTADO de S. Paulo. Exposição Santoro. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 24 dez. 1903. 
  • O ESTADO de S. Paulo. Pintor Rosalbino Santoro. São Paulo: O Estado de S.Paulo, São Paulo, 5 dez. 1906. 
  • O ESTADO de S. Paulo. Rosalbino Santoro. São Paulo: O Estado de S. Paulo, São Paulo, 28 nov. 1903. 
  • Pintor Rosalbino Santoro. São Paulo: O Estado de S. Paulo, São Paulo, 05 dez. 1906.
  • Rosalbino Santoro. São Paulo: O Estado de S. Paulo, São Paulo, 08 nov. 1903.
  • Rosalbino Santoro. São Paulo: O Estado de S. Paulo, São Paulo, 27 jul. 1907.
  • ROSALBINO Santoro. Almanaco del Fanfulla. São Paulo, Stabilimento a vapore del Fanfulla, 1898.
  • SÃO PAULO (ESTADO). SECRETARIA DA CULTURA. Pintores Italianos no Brasil. São Paulo: Governo do Estado de São Paulo. Secretaria de Estado da Cultura/Sociarte, 1982.
  • SOCIARTE. Pintores italianos no Brasil. São Paulo: Secretaria da Cultura, 1982.
  • SOCIETÁ ITALIANA DI BENEFICENZA. Relazione sulla situazione della Società al 31 dicembre 1907, S. Paolo. São Paulo: Typographia Define & Comp, 1908.
  • Sorteio de quadros. São Paulo: Diário Popular, São Paulo, 04 fev. 1904.
  • TARASANTCHI, Ruth Sprung. Pintores Paisagistas: São Paulo 1890 a 1920. São Paulo: Universidade de São Paulo: Imprensa Oficial do Estado, 2002. 
  • Um Bom Quadro. São Paulo: Diário Popular, São Paulo, 11 ago. 1898.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • ROSALBINO Santoro. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2021. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa24686/rosalbino-santoro>. Acesso em: 11 de Abr. 2021. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7