Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

A Enciclopédia é o projeto mais antigo do Itaú Cultural. Ela nasce como um banco de dados sobre pintura brasileira, em 1987, e vem sendo construída por muitas mãos.

Se você deseja contribuir com sugestões ou tem dúvidas sobre a Enciclopédia, escreva para nós.

Caso tenha alguma dúvida, sugerimos que você dê uma olhada nas nossas Perguntas Frequentes, onde esclarecemos alguns questionamentos sobre nossa plataforma.

Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Tania Fraga

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 20.06.2017
27.10.1951 Brasil / São Paulo / Andradina
Reprodução fotográfica Sérgio Guerini/Itaú Cultural

Viabolus_01, 2005
Tania Fraga

Tania Regina Fraga da Silva (Andradina, São Paulo, 1951). Arquiteta e artista computacional. Gradua-se em arquitetura pela Universidade Federal de Minas Gerais em 1974, conclui mestrado na mesma área pela Universidade de Brasília em 1980 e o doutorado em comunicação e semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo em 1995. Interess...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Tania Regina Fraga da Silva (Andradina, São Paulo, 1951). Arquiteta e artista computacional. Gradua-se em arquitetura pela Universidade Federal de Minas Gerais em 1974, conclui mestrado na mesma área pela Universidade de Brasília em 1980 e o doutorado em comunicação e semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo em 1995. Interessada pelas áreas de exatas e de artes faz cursos complementares de programação, computação gráfica interativa, vídeo, animação computacional e de interfaces, realizados no Brasil e Estados Unidos.

Em 1975 inicia a atividade docente, na Fundação Mineira de Arte Aleijadinho. Em 1987 ingressa na Universidade de Brasília (UnB), área de arte e tecnologia. Permanece lecionando artes e arquitetura na Unb até sua aposentadoria, quando passa a se dedicar integralmente ao trabalho artístico.

É bolsista Fullbright, como artista residente, no Bemis Project, em 1986 e como pesquisadora visitante no Departamento de Ciência da Computação na The George Washington University, Estados Unidos, nos anos 1991, 1992 e 2010. Em 1999, desenvolve pós-doutorado na comunidade internacional de pesquisa Centre for Advanced Inquiry in the Interactive Arts – Science Technology and Art Research Centre  (CAIIA – STAR), Inglaterra com bolsa da Capes. Em 2010/11, desenvolve pós-doutorado integrando realidade virtual e material na Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP) com bolsa da Fapesp. Participa de exposições de arte e eventos no Brasil, como na série de exposições EmMeio#, realizada no Museu Nacional da República, em Brasília, e também no exterior, como na exposição do 3th Computer Art Congress, realizado em Paris, em 2012. Participa da 5a. Bienal de Arte e Tecnologia, 2010, e é contemplada no Rumos Transmídia (2002), ambos pelo Instituto Itaú Cultural. Em 2001 é selecionada para representar o Brasil no Prix Mobius Internacional, na China.

Como pesquisadora publica artigos em periódicos como Humanidades (1997), Thechnoetic Arts (2004 e 2010), International Journal of Design, Sciences & Technology (2008), AI & Society (2013), entre outros. Também escreve capítulos de livros, para jornais e eventos no Brasil, Estados Unidos, Ásia e Europa. Entre 1998 e 2010, orienta mais de dez dissertações de mestrado na área de artes e tecnologia, na Universidade de Brasília.

Análise

Influenciada pelos movimentos concretista e minimalista,  o trabalho de Tania Fraga situa-se no encontro entre arte e tecnologia. Concentra sua atividade em ambientes de imersão, objetos e instalações interativas, cinéticas e visualizações estereoscópicas de objetos marcados por elementos geométricos e imagens orgânicas, numa profusão de cores primárias e secundárias. Em 1995, apresenta, no Simpósio Brasileiro de Computação Gráfica e Processamento de Imagem (Sibgrapi), São Carlos, São Paulo, suas primeiras obras com objetos interativos e estereoscópicos, usando óculos de cristal-líquido polarizados. O resultado deixa evidente a ênfase nas técnicas de visualização de imagens-síntese, com e sem uso de dispositivos de visualização estereoscópica. O suporte computador é assumido nesta fase de seu trabalho, com a utilização de linguagens como YODL e Virtual Reality Modelling Language (VRML), e se desdobra para Java3D.

Dentre seus trabalhos destacam-se obras em VRML como Xamantic Web (1997), e Xamantic Journey (1999). Nelas, a artista explora imagens coloridas e inspirações visuais xamânicas, em claras referências a modelos fractais. Tais construções visuais incorporam texto e formas quase hipnóticos, muito próximo à concepção poética do transe xamânico.

Destacam-se, ainda, suas instalações estereoscópicas, como Poéticas em Devir (1997), Fragmentos (2007), e Perambulações (2012), em que a estereoscopia resulta em percursos hipertextuais de navegação. São trabalhos com interface cérebro-computador – Brain Computer Interfaces (BCI) –, como Caracolomobile (2010). Trata-se de uma instalação robótica, um organismo artificial que interage com os estados emocionais humanos que respondem, por meio de sons e movimentos. Este trabalho integrou a bienal Emoção Artificial 5.0, do Itaú Cultural.

Como curadora é responsável, ao lado de Malú Fragoso (1962) e Suzete Venturelli (1956), pela curadoria das exposições EmMeio#, que integram as seis edições do evento Encontros Internacionais de Arte e Tecnologia, no Museu Nacional da República, em Brasília. É curadora de importantes exposições em arte e tecnologia, como >=4D, 2004, no Centro Cultural Banco do Brasil, em Brasília e a exposição do CAC4 (2014), na Escola de Belas Artes na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com Malú Fragoso.

O perfil de artista pesquisador a define no campo da arte e tecnologia, com trabalhos que nascem da geração de códigos e se atualizam nas interfaces gráficas, sonoras e tangíveis, em objetos e mundos interativos que aludem a produções oníricas multicoloridas. As influências do concretismo e minimalismo permeiam suas instalações e objetos cinético-robóticos, pela exaltação do fazer poético, da poética computacional e pela importância do interator na defesa da atividade produtora da arte.

Obras 2

Abrir módulo
Reprodução fotográfica Sérgio Guerini/Itaú Cultural

Exposições 10

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 6

Abrir módulo
  • FRAGA, Tania. Organismos comportamentais estimuláveis. In: SANTAELLA, Lucia ; ARANTES, Priscila (Org.). Estéticas tecnológicas: novos modos de sentir. São Paulo: Educ, 2008. p.97-114.
  • FRAGA, Tania. Simulações Estereoscópicas Interativas. In: DOMINGUES, Diana (Org.). A Arte do século XXI: a humanização das tecnologias. São Paulo: Unesp, 1998. v. 1, p. 117-125.
  • FRAGA, Tania. Simulações estereoscópicas interativas e a visão binocular. Humanidades, Brasília, v. 42, n.1, p. 27-36, 1997.
  • FRAGA, Tania. Tania Fraga. São Paulo: [s.n], 10 jun. 2015. Entrevista concedida a Cleomar Rocha, pesquisador da Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras.
  • ROSSETTO, Cleusa; FRAGA, Tania. Femmes_arts. Art in context: Tania Fraga, artista visual convidada, São Paulo, p. 31-53, 01 set. 2011. Disponível em: < http://www.annadonadio.com.br/noticias/femmes-arts-3.pdf >. Acesso em: 20 jun. 2015.
  • SILVA, Tania Regina Fraga da. Currículo do sistema currículo Lattes. [Brasília], 10 jun. 2015. Disponível em: < http://lattes.cnpq.br/7631103821426950 > . Acesso em: 10 jun. 2015.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: