Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

A Enciclopédia é o projeto mais antigo do Itaú Cultural. Ela nasce como um banco de dados sobre pintura brasileira, em 1987, e vem sendo construída por muitas mãos.

Se você deseja contribuir com sugestões ou tem dúvidas sobre a Enciclopédia, escreva para nós.

Caso tenha alguma dúvida, sugerimos que você dê uma olhada nas nossas Perguntas Frequentes, onde esclarecemos alguns questionamentos sobre nossa plataforma.

Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Raphael Galvez

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 16.08.2022
18.02.1907 Brasil / São Paulo / São Paulo
19.05.1998 Brasil / São Paulo / São Paulo
Reprodução fotográfica Romulo Fialdini

Paisagem de Canindé, 1949
Raphael Galvez
Óleo sobre papelão, c.i.d.
40,00 cm x 50,00 cm

Raphael Dazzani Galvez (São Paulo, São Paulo, 1907 - idem 1998). Pintor, escultor, desenhista, professor. Em 1921, ingressa no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo (Laosp), e faz cursos de cerâmica, terracota e desenho. É aluno de Enrico Vio (1874-1960) e tem como colega o pintor Ado Malagoli (1906-1994). Dois anos depois, inicia estudo de escu...

Texto

Abrir módulo

Raphael Dazzani Galvez (São Paulo, São Paulo, 1907 - idem 1998). Pintor, escultor, desenhista, professor. Em 1921, ingressa no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo (Laosp), e faz cursos de cerâmica, terracota e desenho. É aluno de Enrico Vio (1874-1960) e tem como colega o pintor Ado Malagoli (1906-1994). Dois anos depois, inicia estudo de escultura com Nicolau Rollo (1889-1970), freqüentando seu ateliê por um longo período e auxiliando-o em seus projetos. Na década de 1930, trabalha em marmorarias e em casas de fundição artística. Inscreve-se como aluno regular na Escola de Belas Artes de São Paulo em 1937. Nessa época freqüenta o Sindicato dos Artistas Plásticos, que funciona no palacete Santa Helena, e o ateliê de Joaquim Figueira (1904-1943), onde realiza desenhos e pinturas. Dedica-se à escultura desde os anos 1930, com uma produção diversificada. Na década de 1940, pinta paisagens da cidade e dos arredores de São Paulo. Aproxima-se de Flávio Motta (1923-2016) e de vários artistas ligados ao Grupo Santa Helena. É sócio-fundador do Clube dos Amigos da Arte (Clubinho), criado em 1945. É professor de escultura na Escola Livre de Artes Plásticas em 1949, e de escultura e desenho, por cerca de 20 anos, na Faculdade de Belas Artes de São Paulo. Em 1994 a Pinacoteca do Estado de São Paulo, apresenta a exposição Raphael Galvez - A Cidade à Sombra dos 40 (pintura). São lançadas em 1999, pela editora Momesso duas publicações acerca de sua obra, Raphael Galvez: 1907/1998, com texto de Mayra Laudanna (1957) e Raphael Galvez: Pintor, Escultor, Desenhista, com texto de Vera D´Horta (1944).

Análise

Raphael Galvez pinta, na década de 1940, vistas dos antigos bairros periféricos de São Paulo, situados às margens do rio Tietê: Bairro do Limão, Freguesia do Ó e Casa Verde. Mostra paisagens bucólicas, o casario cercado de áreas verdes, olarias e lavadeiras em seu trabalho. Na opinião da historiadora da arte Vera D´Horta, sua pintura realiza uma síntese de questões que envolvem Cézanne (1839-1906), Van Gogh (1853-1890) e os macchiaioli. A liberdade na pincelada e no uso da cor pode ser percebida no quadro Paisagem - Freguesia do Ó, 1947, no qual tonalidades puras, como o amarelo do pequeno caminhão, dialogam com a mancha violeta do céu.

As pinturas dos bairros periféricos da cidade não são meramente uma documentação e sim a representação de uma identidade afetiva com essas localidades, como nota ainda Vera D'Horta. Já ao enfocar a metrópole, o artista apresenta-a envolta em bruma, ligeiramente desfocada. Suas paisagens, a partir do final da década de 1940, apresentam maior geometrização. Em suas pinturas, Galvez e seus companheiros de geração - Mario Zanini (1907-1971), Francisco Rebolo (1902-1980), Bonadei (1906-1974) e Mick Carnicelli (1893-1967) -, propõem um novo olhar sobre a cidade de São Paulo e sua periferia.

Como aponta a estudiosa Mayra Laudanna sua produção escultórica é extensa e marcada por uma diversidade de referenciais, que lhe permitem recusar os modelos convencionais nas décadas de 1930 e 1940, experimentar práticas construtivas nos anos 1950 e posteriormente incursionar pela não-figuração.

Obras 6

Abrir módulo
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Lavadeiras nº 2

Óleo sobre cartão

Exposições 110

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 14

Abrir módulo
  • 150 anos de pintura no Brasil: 1820-1970. Rio de Janeiro: Colorama, 1989.
  • AZEVEDO, Valéria Silva Vicente de (org.). Iconografia paulistana em coleções particulares. São Paulo: Sociarte, 1999. 80 p., il. color.
  • DICIONÁRIO brasileiro de artistas plásticos. Organização Carlos Cavalcanti e Walmir Ayala. Brasília: Instituto Nacional do Livro, 1973-1980. 4v. (Dicionários especializados, 5).
  • GALVEZ, Raphael. Raphael Galvez - A Cidade à Sombra dos 40. Texto Vera d?Horta. São Paulo : Pinacoteca do Estado de São Paulo, 1994.
  • GALVEZ, Raphael. Raphael Galvez: pintor, escultor, desenhista. Texto Vera D'Horta. São Paulo: Momesso, 1999. 287 p., il. color.
  • Iconografia Paulistana em Coleções Particulares São Paulo: Sociarte, 1999.
  • LAUDANNA, Mayra. Raphael Dazzani Galvez. 1989. 389p. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo - FFLCH/USP, São Paulo, 1989.
  • LAUDANNA, Mayra. Raphael Galvez: 1907/1998. São Paulo: Momesso, 1999. 207 p., il. color.
  • LOUZADA, Júlio. Artes plásticas Brasil 1985: seu mercado, seus leilões. São Paulo: J. Louzada, 1984. v. 1.
  • MUSEU DE ARTE MODERNA (SÃO PAULO, SP) (org.). Do modernismo à Bienal. São Paulo: MAM, 1982.
  • OS GRUPOS: a década de 40. São Paulo: Museu Lasar Segall, 1977. (Ciclo de Exposições de Pintura Brasileira Contemporânea).
  • RAPHAEL Galvez 13 A Cidade à Sombra dos 40. São Paulo: Pinacoteca do Estado de São Paulo, 1994.
  • SEIS pintores. São Paulo: Galeria de Arte do Sesi, 1984.
  • ZANINI, Walter (org.). História geral da arte no Brasil. São Paulo: Fundação Djalma Guimarães: Instituto Walther Moreira Salles, 1983. v. 1.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: