Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Raimundo Cela

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 26.10.2016
19.07.1890 Brasil / Ceará / Sobral
06.06.1954 Brasil / Rio de Janeiro / Niterói
Reprodução fotográfica Raul Lima

Jangada Rolando para o Mar, 1950
Raimundo Cela
Óleo sobre tela, c.i.d.
130,20 cm x 89,50 cm

Raimundo Brandão Cela (Sobral, Ceará, 1890 - Niterói, Rio de Janeiro, 1954). Pintor, gravador, professor. Forma-se em ciências e letras no Liceu do Ceará. Em 1910, muda-se para o Rio de Janeiro e matricula-se como aluno livre da Escola Nacional de Belas Artes (Enba). É aluno de Zeferino da Costa (1840-1915), Eliseu Visconti (1866-1944) e Baptist...

Texto

Abrir módulo

Biografia
Raimundo Brandão Cela (Sobral, Ceará, 1890 - Niterói, Rio de Janeiro, 1954). Pintor, gravador, professor. Forma-se em ciências e letras no Liceu do Ceará. Em 1910, muda-se para o Rio de Janeiro e matricula-se como aluno livre da Escola Nacional de Belas Artes (Enba). É aluno de Zeferino da Costa (1840-1915), Eliseu Visconti (1866-1944) e Baptista da Costa (1865-1926). Nessa época, titula-se em engenharia, pela Escola Politécnica. Entre 1917 e 1922, viaja a Paris para aperfeiçoar-se. Quando volta ao Brasil, por problemas de saúde, reside em Camocim, no interior do Ceará, e trabalha como engenheiro. Em 1938, cria um painel sobre a abolição da escravatura para o Palácio do Governo do Estado, em Fortaleza. Volta a dedicar-se à carreira de artista plástico de forma mais enfática após 1940, quando se muda para Niterói, no Rio de Janeiro. A partir dessa data leciona gravura em metal na Enba. Realiza a primeira mostra individual em 1945, no Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), no Rio de Janeiro. São temas constantes em sua produção as paisagens, os tipos populares e o trabalho de vaqueiros e pescadores de sua terra natal. Destaca-se também sua obra gráfica, na qual retoma a mesma temática. Após sua morte, é criada a Casa Raimundo Cela, Centro de Artes Visuais, em Fortaleza, onde ocorre, em 1970, uma mostra de artistas cearenses com o lançamento de uma monografia sobre o artista. Em 2004, é lançado o livro Raimundo Cela: 1890-1954, de autoria de Estrigas, pela editora Pinakotheke.

Análise
A produção de Raimundo Cela permanece isolada, à margem do modernismo e de outros movimentos transformadores nas artes do Brasil. Revela, entretanto, a paisagem e as figuras populares do Ceará, com sensibilidade e inquietação em face das questões sociais de seu tempo. São constantes em sua produção as paisagens litorâneas e as atividades de vaqueiros, pescadores e jangadeiros, pintadas com paleta clara e luminosa.

Destaca-se também sua obra gráfica, que revela domínio técnico da gravura em metal. Trata dos temas recorrentes em sua pintura: paisagens, cenas cotidianas e tipos populares, utilizando o claro-escuro de forma controlada.

Obras 3

Abrir módulo
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Arrastão

Óleo sobre tela

Exposições 35

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 16

Abrir módulo
  • ACQUARONE, Francisco; VIEIRA, Adão de Queiroz. Primores da pintura no Brasil. 2.ed. [Rio de Janeiro]: [s.n.], 1942. v. 1.
  • ARTE BRASILEIRA século XX: Galeria Eliseu Visconti: pinturas e esculturas. Rio de Janeiro: MNBA, 1984.
  • ARTE brasileira dos séculos XIX e XX nas coleções cearenses: pinturas e desenhos. Curadoria Max Perlingeiro. Fortaleza: Fundação Edson Queiroz. Espaço Cultural da UNIFOR, 1989. 132 p.
  • BRAGA, Theodoro. Artistas pintores no Brasil. São Paulo: São Paulo Editora, 1942.
  • CAMPOFIORITO, Quirino. A República e a decadência da disciplina neoclássica: 1890-1918. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1983. (História da pintura brasileira no século XIX, 5).
  • CELA, Raimundo. Raimundo Cela (1890-1954): pinturas inéditas. Fortaleza: Multiarte Galeria, 2000. 32 p.
  • CELA, Raimundo. Raimundo Cela: 1890-1990. Fortaleza : Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará - MAUC, 1990.
  • DICIONÁRIO brasileiro de artistas plásticos. Organização Carlos Cavalcanti e Walmir Ayala. Brasília: Instituto Nacional do Livro, 1973-1980. 4v. (Dicionários especializados, 5).
  • ESTRIGAS. Contribuição ao reconhecimento de Raimundo Cela. Prefácio Rubens de Azevedo. Fortaleza: Tukano, 1988. 94p.
  • ESTRIGAS. Raimundo Cela: 1890-1954. Texto Adir Botelho, Claudio Valério Teixeira; versão em inglês Carolyn Brisset. São Paulo: Pinakotheke, 2004. 416 p., il. p&b. color.
  • GULLAR, Ferreira (et. al). 150 anos de pintura no Brasil: 1820-1970. Rio de Janeiro: Colorama, 1989.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. A gravura brasileira contemporânea. Rio de Janeiro: Rio, 1965.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • SALÃO NACIONAL DE ARTES PLÁSTICAS, 1., 1978, Rio de Janeiro, RJ. 1º Salão Nacional de Artes Plásticas. Rio de Janeiro: Funarte, 1978.
  • SOCIEDADE CEARENSE DE ARTES PLÁSTICAS (FORTALEZA, CE). Scap: 50 anos. Fortaleza, 1991. 30p.
  • SOUZA, Wladimir Alves de. Aspectos da arte brasileira. Rio de Janeiro: Funarte, 1981.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: