Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Mick Carnicelli

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
10.10.1893 Itália / Campânia / Agropoli
31.05.1967 Brasil / São Paulo / São Paulo
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

A Carrocinha, 1943
Mick Carnicelli
Óleo sobre tela, c.i.e.
40,50 cm x 30,00 cm

Michele Carnicelli Sobrinho (Salerno, Itália 1893 - São Paulo SP 1967). Pintor. Chega ao Brasil em 1899, com seis anos de idade. Em São Paulo trabalha por um período na alfaiataria de seu pai, considerada uma das mais importantes da cidade, e forma-se no curso comercial do Mackenzie College. Em 1909 viaja para a Itália e estuda pintura com Ettor...

Texto

Abrir módulo

Biografia
Michele Carnicelli Sobrinho (Salerno, Itália 1893 - São Paulo SP 1967). Pintor. Chega ao Brasil em 1899, com seis anos de idade. Em São Paulo trabalha por um período na alfaiataria de seu pai, considerada uma das mais importantes da cidade, e forma-se no curso comercial do Mackenzie College. Em 1909 viaja para a Itália e estuda pintura com Ettore Tito (1859 - 1941) na Accademia di Belle Arti di Venezia [Academia de Belas Artes de Veneza]. Passa também um período em Londres e em Paris, cidade que fotografa, e com base nessas fotos ele a retrata, na década de 1940. No início da década de 1920 retorna ao Brasil e passa a conviver com os modernistas e os integrantes da Família Artística Paulista - FAP, entre eles Alfredo Volpi (1896 - 1988) e Bonadei (1906 - 1974). Em 1922 ilustra A Angústia de Don João, poema de Menotti del Picchia (1892 - 1988) publicado pela A Casa Mayença. Em 1937 torna-se membro do Sindicato dos Artistas Plásticos. Na década de 1940 reúne-se em seu ateliê, com freqüência, com os pintores Raphael Galvez (1907 - 1998) e Mario Zanini (1907 - 1971) e com os críticos Sérgio Milliet (1898 - 1966), Quirino da Silva (1897 - 1981), entre outros. Entre 1949 e 1952, ilustra a revista mensal Investigações, publicada pelo Departamento de Investigações da Secretaria da Segurança Pública. Em 1959 Ciccillo Matarazzo (1898 - 1977), fundador do Museu de Arte Moderna de São Paulo - MAM/SP, doa ao museu duas obras de Mick Carnicelli - Figura num Interior, 1943, e Natureza-Morta com Jarro, 1945 -, posteriormente transferidas ao Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo - MAC/USP.

Comentário Crítico
A produção de Mick Carnicelli revela a cidade de São Paulo em um período de grandes transformações, quando essa passa a assumir as feições de metrópole, nos anos de 1940-1950. Como nota o historiador da arte Tadeu Chiarelli, vários fotógrafos registram a abertura de grandes avenidas, os arranha-céus e a multidão na cidade. Na pintura, com raras exceções, não ocorre o equivalente. Tanto nas pinturas dos modernistas como naquelas dos artistas do Grupo Santa Helena, por exemplo, não percebemos indicações precisas da cidade em transformação. As obras de Carnicelli se destacam por revelar uma cidade distante e soturna, território da solidão e do estranhamento, ameaçadora.

As paisagens da década de 1940 são pintadas, em sua maioria, a partir de uma janela, indicando o distanciamento do artista em relação ao seu tema e também um olhar que se inspira naquele do fotógrafo, perceptível em alguns enquadramentos. Nessa obras enfatiza os planos e os volumes sólidos na paisagem, concebida como um cenário. Realiza também vários retratos e pinturas de interiores, nas quais apresenta quartos abertos a corredores intermináveis, com uma atmosfera claustrofóbica e utilizando enquadramentos descentrados.

A obra de Carnicelli estrutura-se de forma definitiva na década de 1950, quando a ligação com o retorno à ordem e o expressionismo inspirado em Vincent van Gogh (1853 - 1890) atenua-se e o artista busca o equilíbrio entre a captação do real, de maneira dramática, e a acentuação dos aspectos puramente plásticos das pinturas. Em relação à produção anterior, nesse período a paleta torna-se mais controlada e a pintura ganha uma densidade matérica requintada. Na opinião de Tadeu Chiarelli, os quadros revelam os mesmos sentimentos de solidão e estranhamento de suas pinturas anteriores, exaltados por pinceladas bruscas e tons soturnos.

Obras 6

Abrir módulo
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

A Carrocinha

Óleo sobre tela
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Auto-retrato

Óleo sobre tela
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Noturno

Óleo sobre tela

Exposições 49

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 22

Abrir módulo
  • .
  • AZEVEDO, Valéria Silva Vicente de (org.). Iconografia paulistana em coleções particulares. São Paulo: Sociarte, 1999. 80 p., il. color. Spsociarte 1999/i
  • CARNICELLI, Mick. Mick CARNICELLI : São Paulo paisagem da alma. São Paulo: Momesso : MAM, 2004. 168 p., il. color. ISBN 85-89003-02-7. CAT-G C2885 2004
  • CARNICELLI, Mick. Mick Carnicelli: São Paulo paisagem da alma. Curadoria e texto Tadeu Chiarelli; curadoria Rejane Cintrão; versão em inglês Graham Howells, Izabel Murat Burbridge; versão em espanhol Andrea Justino. São Paulo: Momesso : MAM, 2004. 168 p., il. color.
  • CATÁLOGO geral de obras. São Paulo: DEMA: Imprensa Oficial do Estado: MINC: Secretaria do Estado da Cultura, 1988. 447 p., il. p&b. color. CAT-G SPpe 1988/c
  • CATÁLOGO geral de obras. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 1988. 447 p., il. p&b. color.
  • DICIONÁRIO brasileiro de artistas plásticos. Organização Carlos Cavalcanti e Walmir Ayala. Brasília: Instituto Nacional do Livro, 1973-1980. 4v. (Dicionários especializados, 5).
  • DICIONÁRIO brasileiro de artistas plásticos. Organização Carlos Cavalcanti e Walmir Ayala. Brasília: Instituto Nacional do Livro, 1973-1980. 4v. (Dicionários especializados, 5). R703.0981 C376d v.1 pt. 1
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988. R759.981 L533d
  • LOUZADA, Maria Alice do Amaral. Artes Plásticas Brasil 2002. São Paulo: Júlio Louzada, 2002. v. 13. R702.9 L895a v. 13
  • MARINHAS em grandes coleções paulistas. São Paulo: Sociarte, 1998. 32p. il. color. Spsociarte 1998/m
  • MUSEU DE ARTE MODERNA (SÃO PAULO, SP) (org.). Do modernismo à Bienal. São Paulo: MAM, 1982.
  • MUSEU DE ARTE MODERNA (SÃO PAULO, SP) (org.). Do modernismo à Bienal. São Paulo: MAM, 1982. 709.8104 M986d
  • OS GRUPOS: a década de 40. São Paulo: Museu Lasar Segall, 1977. (Ciclo de Exposições de Pintura Brasileira Contemporânea).
  • OS GRUPOS: a década de 40. São Paulo: Museu Lasar Segall, 1977. (Ciclo de Exposições de Pintura Brasileira Contemporânea). SPmls 1977/g
  • PINACOTECA do Estado de São Paulo - São Paulo. Rio de Janeiro: Funarte, 1982. (Museus brasileiros, 6).
  • PINACOTECA do Estado de São Paulo - São Paulo. Rio de Janeiro: Funarte, 1982. (Museus brasileiros, 6). 708.98161 P645f
  • SÃO Paulo, periferia e centro nos anos 40: Joaquim Figueira e Mick Carnicelli. SÃO Paulo: Museu Lasar Segall, 1980. 33p. il. p.b. SPmls 1980/s
  • TRADIÇÃO e ruptura: síntese de arte e cultura brasileiras. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1984. 709.81 M339t
  • ZANINI, Walter (org.). História geral da arte no Brasil. São Paulo: Fundação Djalma Guimarães: Instituto Walther Moreira Salles, 1983. v. 1.
  • ZANINI, Walter (org.). História geral da arte no Brasil. São Paulo: Fundação Djalma Guimarães: Instituto Walther Moreira Salles, 1983. v. 1. 709.81 H673 v.1

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: