Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Louis Buvelot

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 23.08.2017
03.03.1814 Suíça / a definir / Morges
30.05.1888 Austrália / Victoria / Melbourne
Reprodução fotográfica Fernando Chaves

Vista da Bahia
Louis Buvelot
Óleo sobre tela
47,30 cm x 36,50 cm
Coleção Beatriz e Mário Pimenta Camargo - São Paulo SP

Abram Louis Buvelot (Morges, Suíça 1814 - Melbourne, Austrália, 1888). Pintor, litógrafo, fotógrafo, desenhista, gravador e professor. Vem para o Brasil em 1835, tendo realizado anteriormente estudos de arte com o pintor Marc Louis Arlaud, na Escola de Desenho de Lausanne, Suiça. Vive em Salvador, onde dá aulas de pintura. Em 1840 passa a residi...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Abram Louis Buvelot (Morges, Suíça 1814 - Melbourne, Austrália, 1888). Pintor, litógrafo, fotógrafo, desenhista, gravador e professor. Vem para o Brasil em 1835, tendo realizado anteriormente estudos de arte com o pintor Marc Louis Arlaud, na Escola de Desenho de Lausanne, Suiça. Vive em Salvador, onde dá aulas de pintura. Em 1840 passa a residir no Rio de Janeiro. Por encomenda da imperatriz dona Teresa Cristina, pinta uma paisagem de floresta brasileira, apresentada na Exposição Geral de Belas Artes de 1846, que agrada muito ao imperador dom Pedro II, que o agracia com o título de Cavaleiro da Imperial Ordem do Rosa. O artista dedica-se também à litografia e reproduz vistas, cenas e costumes urbanos do Rio de Janeiro, presentes no álbum Rio de Janeiro Pitoresco, de 1844, realizado com Louis Auguste Moreaux e publicado pela Heaton & Rensburg. Em 1845, Buvelot, um dos primeiros profissionais da daguerreotipia no Rio de Janeiro, funda o estabelecimento fotográfico Officina Imperial Buvelot & Prat na cidade. A empresa permanece em atividade até 1856, tendo inclusive realizado diversos serviços profissionais para a Casa Imperial. Em 1860, Buvelot retorna à Suíça. Após uma rápida passagem pelo Brasil, em 1865, viaja para Melbourne, na Austrália, onde se fixa, desenvolve grande atividade artística e notabiliza-se por suas paisagens, pela fidelidade de colorido, planos e perspectiva.

Análise

Louis Buvelot vem para o Brasil em 1835, depois de ter estudado arte com Marc Louis Arlaud, na Escola de Desenho de Lausanne, na Suíça. Vai morar em Salvador, onde dá aulas de pintura. Em 1840 passa a residir no Rio de Janeiro e participa da Exposição Geral de Belas Artes, com as pintura de paisagens Praia de Santa Luzia, s.d. e Praia da Gamboa, s.d.

Como aponta o estudioso Quirino Campofiorito, Buvelot é um dos primeiros pintores com inspiração voltada diretamente para a natureza, encanta-se com o mar e a beleza das praias e realiza sucessivas telas que enfocam a paisagem natural e urbana do Rio de Janeiro. Participa de diversas edições da Exposição Geral de Belas Artes, como, por exemplo, em 1841, com Vista da Lagoa Rodrigo de Freitas, s.d. e Saco do Botafogo e Cemitério dos Ingleses, s.d. ou em 1843, na qual apresenta, entre outras, as pinturas Vista de Nossa Senhora da Glória, s.d. e Vista do Convento de Santo Antônio, s.d., este premiado com medalha de ouro. Por encomenda da imperatriz dona Teresa Cristina, pinta uma paisagem de floresta brasileira, apresentada na Exposição Geral de 1846, agradando muito ao imperador dom Pedro II, que o agracia com o título de Cavaleiro da Imperial Ordem do Rosa.

Buvelot dedica-se também à litografia e reproduz vistas, cenas e costumes urbanos do Rio de Janeiro, a princípio em pranchas soltas, posteriormente reunidas no álbum Rio de Janeiro Pitoresco, de 1845, realizado com Louis Auguste Moreaux e publicado pela Heaton & Rensburg. O álbum é composto de 18 lâminas, em cada uma há um desenho central, rodeado por outros. Em algumas páginas são abordados de cinco a sete assuntos diferentes. As paisagens são feitas por Buvelot e o desenho de arquitetura e figuras por Moreaux.

Em 1845, Buvelot funda no Rio de Janeiro o estabelecimento fotográfico Officina Imperial Buvelot & Prat e é um dos primeiros profissionais da daguerreotipia na cidade. A empresa, realiza diversos serviços profissionais para a Casa Imperial, permanece em atividade até 1856.

O artista retorna à Suíça em 1860. E, em 1865, após uma rápida passagem pelo Brasil, viaja para Melbourne, na Austrália, onde se fixa, desenvolve grande atividade artística e se notabiliza no país por suas paisagens de grande fidelidade de colorido, planos e perspectivas.

Obras 13

Abrir módulo

Exposições 52

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 30

Abrir módulo
  • ARTE no Brasil. São Paulo: Abril Cultural, 1979.
  • ARTE no Brasil. São Paulo: Abril Cultural, 1979. 709.81 A163ar v.1
  • AYALA, Walmir. Dicionário de pintores brasileiros. Organização André Seffrin. 2. ed. rev. e ampl. Curitiba: Ed. UFPR, 1997. R750.81 A973d 2.ed.
  • BELLUZZO, Ana Maria de Moraes. O Brasil dos viajantes: A construção da paisagem. São Paulo: Metalivros; Salvador: Fundação Emílio Odebrecht, 1994. v.3.
  • BERGER, Paulo (org.). Pinturas e pintores do Rio antigo. Apresentação de Sérgio Sahione Fadel. Textos de Paulo Berger, Herculano Gomes Mathias e Donato Mello Júnior. Rio de Janeiro: Kosmos, 1990.
  • BOGHICI, Jean (org.). Missão Artística Francesa e pintores viajantes: França-Brasil no século XIX. Rio de Janeiro: Instituto Cultural Brasil-França, 1990.
  • BOGHICI, Jean (org.). Missão Artística Francesa e pintores viajantes: França-Brasil no século XIX. Rio de Janeiro: Instituto Cultural Brasil-França, 1990. 759.981034 I59m
  • BRAGA, Theodoro. Artistas pintores no Brasil. São Paulo: São Paulo Editora, 1942.
  • BUVELOT, Louis. Rio de Janeiro pitoresco. São Paulo: Livraria Martins, [1843].
  • CAMPOFIORITO, Quirino. História da pintura brasileira no século XIX. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1983.
  • DICIONÁRIO brasileiro de artistas plásticos. Organização Carlos Cavalcanti e Walmir Ayala. Brasília: Instituto Nacional do Livro, 1973-1980. 4v. (Dicionários especializados, 5).
  • DUQUE, Gonzaga. A Arte brasileira: pintura e esculptura. Rio de Janeiro: H. Lombaerts & C., 1888. 254 p.
  • Disponível em: [http://www.australianprints.com/buvelot.htm]. Acesso em 30 out. 2002. Australia Prints
  • Disponível em: [http://www.laudelinofreire.hpg.ig.com.br/imagens/buvelot.htm]. Acesso em 30 out. 2002. Laudelino Freire
  • FREIRE, Laudelino. Um século de pintura: apontamentos para a história da pintura no Brasil de 1816-1916. Rio de Janeiro: Fontana, 1983.
  • FREIRE, Laudelino. Um século de pintura: apontamentos para a história da pintura no Brasil de 1816-1916. Rio de Janeiro: Fontana, 1983. 759.981034 F866u
  • GRAY, Jocelyn. Buvelot, Abram-Louis (1814 - 1888). Australian Dictionary of Biography, Online Edition, copyright 2006, Australian National University. Disponível em: [http://www.adb.online.anu.edu.au/biogs/A030296b.htm]. Acesso em: 02 junho 2009.
  • GULLAR, Ferreira (et. al). 150 anos de pintura no Brasil: 1820-1970. Rio de Janeiro: Colorama, 1989.
  • GULLAR, Ferreira (et. al). 150 anos de pintura no Brasil: 1820-1970. Rio de Janeiro: Colorama, 1989.
  • GULLAR, Ferreira (et. al). 150 anos de pintura no Brasil: 1820-1970. Rio de Janeiro: Colorama, 1989. R703.0981 P818d
  • KOSSOY, Boris. Dicionário histórico-fotográfico brasileiro: fotógrafos e ofício da fotografia no Brasil (1833-1910). São Paulo: Instituto Moreira Salles, 2002.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988. R759.981 L533d
  • MORALES DE LOS RIOS FILHO, Adolfo. Grandjean de Montigny e a evolução da arte brasileira. Rio de Janeiro: Noite, 1941.
  • MORALES DE LOS RIOS FILHO, Adolfo. Grandjean de Montigny e a evolução da arte brasileira. Rio de Janeiro: Noite, 1941. 720.944 M792m
  • O MUSEU Nacional de Belas Artes. São Paulo: Banco Safra, 1985.
  • PAISAGENS brasileiras pelos artistas estrangeiros. Rio de Janeiro: Sesc, 1993. RJmnba 1993
  • RUBENS, Carlos. Pequena história das artes plásticas no Brasil. São Paulo: Editora Nacional, 1941. (Brasiliana. Série 5ª: biblioteca pedagógica brasileira, 198).
  • SERLE, Percival. "Buvelot, Abram Louis". Dictionary of Australian Biography. Sydney: Angus and Robertson, 1949. Disponível em: [http://gutenberg.net.au/dictbiog/0-dict-biogBr-By.html#buvelot1.].
  • ZANINI, Walter (org.). História geral da arte no Brasil. São Paulo: Fundação Djalma Guimarães: Instituto Walther Moreira Salles, 1983. v. 1.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: