Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Lotus Lobo

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
1943 Brasil / Minas Gerais / Belo Horizonte

Sem Título, 1970
Lotus Lobo
Litografia sobre papel de jornal e cartão
180,00 cm x 180,00 cm

Lotus Amanda Maria Lobo de Alvarenga (Belo Horizonte MG 1943). Gravadora, desenhista e pintora. Em Belo Horizonte, cursa belas artes na Escola Guignard, de 1962 a 1965. Em 1963, estuda litografia com João Quaglia (1928) e técnica mural com Inimá de Paula (1918 - 1999) e, entre 1964 e 1966, participa do ateliê experimental Grupo Oficina. Mora no ...

Texto

Abrir módulo

Biografia
Lotus Amanda Maria Lobo de Alvarenga (Belo Horizonte MG 1943). Gravadora, desenhista e pintora. Em Belo Horizonte, cursa belas artes na Escola Guignard, de 1962 a 1965. Em 1963, estuda litografia com João Quaglia (1928) e técnica mural com Inimá de Paula (1918 - 1999) e, entre 1964 e 1966, participa do ateliê experimental Grupo Oficina. Mora no Rio de Janeiro em 1968, e faz estágio na Planus, oficina litográfica especializada em cópias para artistas. No ano seguinte, descobre uma coleção de matrizes litográficas com rótulos de produtos de antigas indústrias mineiras e desenvolve uma série de gravuras nas quais imprime essas marcas em materiais transparentes. Com esses trabalhos, ganha o Prêmio Itamaraty na 10ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1969. Recebe bolsa de estudo do governo francês e vive em Paris de 1971 a 1972, e estuda na École Supérieure des Arts et Industries Graphiques [Escola Superior de Artes e Indústrias Gráficas] e na École d'Arts-Plastiques et Sciences de l'Art [Escola de Artes Plásticas e Ciências da Arte] da Universidade de Paris. Leciona gravura na Escola Guignard de 1966 a 1984, e depois se transfere para Tiradentes, Minas Gerais. Nesta cidade, é responsável pela montagem e direção da oficina litográfica Casa de Gravura Largo do Ó, e pela coordenação do projeto Memória da Litografia no Estado. Volta para Belo Horizonte em 1991, e continua a dar aulas na Escola Guignard. A partir de 1993, dedica-se ao trabalho de ateliê e a projetos sobre a história da litografia industrial em Minas Gerais.

Comentário Crítico
As primeiras gravuras de Lotus Lobo partem de motivos arquitetônicos ligados a cidades mineiras: portas, sacadas ou torres de igrejas, mantendo, porém, diálogo com a abstração. No ateliê da Escola Guignard, descobre pedras litográficas e chapas de zinco, antigas matrizes para a estamparia de mapas, diplomas e rótulos. Interessada pelos aspectos gráficos e memorialísticos daquelas imagens, passa a realizar uma pesquisa direcionada ao resgate dessas marcas litográficas industriais mineiras, realizando intervenções e utilizando os mais diversos suportes. Posteriormente, cria formas abstratas e orgânicas com base nessas matrizes.

A artista destaca-se também por dedicar-se, a partir de 1988, a um amplo projeto de restauração, preservação e divulgação da memória litográfica de Minas Gerais, realizado na Casa de Gravura do Ó, em Tiradentes.

Obras 1

Abrir módulo

Exposições 39

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 21

Abrir módulo
  • A IDENTIDADE virtual, a pedra sabão. Tradução Graciela Ravetti, Sara Rojo. Ouro Preto: Secretaria Municipal de Turismo e Cultura, 1994. il. color.
  • ARS brasilis. Apresentação Sergio Bruno Zech Coelho; curadoria Paulo Schmidt; texto Paulo Schmidt. Belo Horizonte: Minas Tênis Clube, 2000. [24 p. ] il. p. b. color.
  • BIENAL BRASIL SÉCULO XX, 1994, São Paulo, SP. Bienal Brasil Século XX: catálogo. Curadoria Nelson Aguilar, José Roberto Teixeira Leite, Annateresa Fabris, Tadeu Chiarelli, Maria Alice Milliet, Walter Zanini, Cacilda Teixeira da Costa, Agnaldo Farias. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1994.
  • CAMINHOS da Liberdade: Bicentenário da Inconfidência Mineira e Centenário da República - exposição de artes plásticas. Belo Horizonte: Secretaria de Estado da Cultura, 1989. il. color.
  • CASA de Gravura Largo do Ó: desenhos e gravuras. Apresentação Olívio Tavares de Araújo. Brasília: Espaço Cultural da Embaixada da França, 1987. [3 p. ] s. il.
  • FESTIVAL DE INVERNO DA UFMG, 5. , 1971, Ouro Preto, MG. 5º Festival de Inverno da UFMG: artistas mineiros 60/70. Ouro Preto: Universidade Federal de Minas Gerais, 1971.
  • GRAVURA brasileira hoje: depoimentos. Organização Heloisa Pires Ferreira e Maria Luisa Luz Távora; entrevistas Anna Bella Geiger, Emanoel Araújo, Fayga Ostrower, Lívio Abramo, Lotus Lobo, Roberto Magalhães, Rossini Perez. Rio de Janeiro: Oficina de gravura SESC-Tijuca, 1997. v.3.
  • GRAVURA: arte brasileira do século XX. São Paulo: Itaú Cultural: Cosac & Naify, 2000.
  • GUIGNARD: 50 anos de uma escola de arte. Apresentação Piti. Belo Horizonte: Vidya Galeria de Arte, 1994. [60 p. ] il. color. p. b.
  • GULLAR, Ferreira (et. al). 150 anos de pintura no Brasil: 1820-1970. Rio de Janeiro: Colorama, 1989.
  • LOBO, Lotus, SILVA, Fernando Pedro da (coord.), RIBEIRO, Marília Andrés (coord.). Lotus Lobo: depoimento. Projeto gráfico Jefferson A. Vieira. Belo Horizonte: C/Arte, 2001. 95 p., il. color., p&b. (Circuito Atelier, 16).
  • MOSTRA DE GRAVURA CIDADE DE CURITIBA, 6., 1984. VI Mostra de Gravura Cidade de Curitiba: 1984 - Pan-Americana. Curitiba: Fundação Cultural de Curitiba, 1984.
  • MUSEU de Arte da Prefeitura de Belo Horizonte (MG). Imagem derivada um olhar acerca do desdobramento da gravura hoje. Curadoria Mabe Bethônico, Marconi Drummond; texto Luiz Henrique Horta. Belo Horizonte: Museu de Arte da Prefeitura, 1995. [47 p. ] il. p. b. color.
  • NEMER, José Alberto. ícones da utopia. Belo Horizonte: Fundação Palácio das Artes, 1992.
  • PANORAMA DE ARTE ATUAL BRASILEIRA, 1971, São Paulo, SP. Panorama de Arte Atual Brasileira 1971: desenho, gravura. São Paulo: MAM, 1971.
  • RIBEIRO, Marília Andrés. Neovanguardas Belo Horizonte - anos 60. Apresentação Annateresa Fabris. Belo Horizonte: Rio, 1997. 304 p. il. (História & Arte).
  • SALÃO DE ARTE CONTEMPORÂNEA, 6. , Campinas, 1970. Catálogo geral. Apresentação de José Roberto Teixeira Leite. Campinas: MAC, 1970.
  • SALÃO GLOBAL DE INVERNO, 8. , 1981, Belo Horizonte, MG. Minas / Arte atual. Belo Horizonte: Rede Globo, 1981.
  • SALÃO Global de Inverno, 6. , 1979, Belo Horizonte. Belo Horizonte: Fundação Clovis Salgado, 1979. il. p. b. color.
  • SEIS expressões da arte mineira: seis mulheres. Texto de Márcio Sampaio. Belo Horizonte: Galeria Guignard, 1982. 6 lâms. il. p. b.
  • ÁVILA, Cristina. Processo de modernização do espaço cultural mineiro. Tradução Vânia de Carvalho Barros; apresentação Walter Sebastião; comentário Cristina Avila. Belo Horizonte: Fernando Pedro, 1994. 64 p. il. color. (Arte & postais). 22 cartões postais.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: