Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

A Enciclopédia é o projeto mais antigo do Itaú Cultural. Ela nasce como um banco de dados sobre pintura brasileira, em 1987, e vem sendo construída por muitas mãos.

Se você deseja contribuir com sugestões ou tem dúvidas sobre a Enciclopédia, escreva para nós.

Caso tenha alguma dúvida, sugerimos que você dê uma olhada nas nossas Perguntas Frequentes, onde esclarecemos alguns questionamentos sobre nossa plataforma.

Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

José Joaquim da Rocha

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 13.04.2017
1737
1807 Brasil / Bahia / Salvador

Nossa Senhora do Rosário (salão nobre), 1781
José Joaquim da Rocha

José Joaquim da Rocha (s.l.1737 - Salvador, Bahia, 1807). Pintor, encarnador, dourador e restaurador. É considerado o fundador da chamada Escola Baiana de Pintura. É provável que no início do século XVIII tenha estado em Lisboa aprendendo o ofício de pintor e tomando contato com os trabalhos de Antonio Lobo e Jerônimo de Andrade.  As pinturas da...

Texto

Abrir módulo

Biografia

José Joaquim da Rocha (s.l.1737 - Salvador, Bahia, 1807). Pintor, encarnador, dourador e restaurador. É considerado o fundador da chamada Escola Baiana de Pintura. É provável que no início do século XVIII tenha estado em Lisboa aprendendo o ofício de pintor e tomando contato com os trabalhos de Antonio Lobo e Jerônimo de Andrade.  As pinturas da Igreja do Convento de Santo Antonio, em João Pessoa, Paraíba, 1766, e das igrejas de Nossa Senhora da Conceição da Praia, ca.1774, de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, 1780, da Ordem Terceira de São Domingos, 1781, e de Nossa Senhora da Palma, 1785c. , em Salvador, são suas obras mais destacadas.

Obras 23

Abrir módulo

Exposições 5

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 10

Abrir módulo
  • 150 anos de pintura no Brasil: 1820-1970. Rio de Janeiro: Colorama, 1989.
  • ALVES, Marieta. Dicionário de Artistas e Artífices da Bahia. Salvador: Editora UFBA, 1976. 210 p.
  • ANDRADE, Rodrigo. Artistas coloniais. Rio de Janeiro: MEC, 1958. 89 p. , il.
  • ARTE no Brasil. São Paulo: Abril Cultural, 1979.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • OTT, Carlos. A Escola bahiana de pintura: 1764-1850. Edição Emanoel Araújo. São Paulo: MWM-IFK, 1982. 153 p., il. p&b. color. (Coleçao MWM-IFK).
  • OTT, Carlos. José Joaquim da Rocha. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Rio de Janeiro, n. 15, p. 71-108, 1961.
  • QUERINO, Manoel R. As artes na Bahia: esforço de uma contribuição histórica. Salvador: Lyceu de Artes e Offícios, 1909. Artigos publicados no Diário de Notícias 1908-1909.
  • VALLADARES, Clarival do Prado. O ecumenismo na pintura religiosa brasileira dos setecentos. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Rio de Janeiro, n. 17, p. 177-201, 1969, Separata.
  • ZANINI, Walter (org.). História geral da arte no Brasil. São Paulo: Fundação Djalma Guimarães: Instituto Walther Moreira Salles, 1983. v. 1.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: