Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

César Formenti

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 02.09.2021
11.09.1874 Itália / Emília Romana / Ferrara
23.01.1944 Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Barco de Pescadores, 1914
César Formenti
Óleo sobre tela
41,00 cm x 41,00 cm

César Alexandre Formenti (Ferrara, Itália, 1874 – Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1944). Pintor, aquarelista, vitralista, decorador, mosaicista. Inicia formação artística na Academia de Bolonha, Itália, sendo também aluno de Ravagnani. Chega ao Brasil em 1890, estabelecendo-se em Araras, São Paulo. Segue para a capital do estado, onde trabalha c...

Texto

Abrir módulo

Biografia

César Alexandre Formenti (Ferrara, Itália, 1874 – Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1944). Pintor, aquarelista, vitralista, decorador, mosaicista. Inicia formação artística na Academia de Bolonha, Itália, sendo também aluno de Ravagnani. Chega ao Brasil em 1890, estabelecendo-se em Araras, São Paulo. Segue para a capital do estado, onde trabalha como mosaicista e vitralista em obras do arquiteto Ramos de Azevedo (1851-1928). Em 1908, realiza decoração para o pavilhão do estado da Bahia na Exposição Comemorativa do Centenário de Abertura dos Portos, ocorrida no Rio de Janeiro. Recebe o Grande Prêmio pelo vitral construído. Transfere-se para o Rio de Janeiro em torno de 1918, onde mantém o Atelier Formenti – A Arte do Vitral, ao lado do filho Gastão Formenti (1894 –1974). Realiza diversos trabalhos decorativos em edifícios públicos e residências particulares no Rio de Janeiro, como o Palácio Tiradentes, o Clube Naval, o Tribunal de Justiça e a Igreja São Sebastião dos Capuchinhos. Para esta, concebe o projeto e realiza os mosaicos do altar de São Miguel. Obtém menção honrosa de primeiro grau na 37a Exposição Geral de Belas Artes, em 1930. Entre 1933 e 1943 trabalha na confecção e instalação dos vitrais da Catedral Metropolitana de Vitória, Espírito Santo. Em 1940, realiza exposição individual promovida pela Sociedade Brasileira de Belas Artes.

Análise

César Formenti integra uma geração de artesãos e artistas estrangeiros, principalmente italianos, que imigram para o Brasil entre o final do século XIX e início do XX. Torna-se conhecido no Rio de Janeiro pelos vitrais e mosaicos decorativos que seu ateliê realiza em edifícios públicos e particulares. De inspiração art nouveau, esses trabalhos são considerados, em artigo publicado no Boletim de Belas Artes, em junho de 1945, uma modernização da arte do vitral, porém “sem nenhuma rebeldia em relação às boas fontes tradicionais fixadas no século XIII”. Isso não significa a adesão à estética do modernismo, mas uma modernização dos processos técnicos e motivos. Os vitrais de temática religiosa realizados pelo Atelier Formenti para igrejas fluminenses buscam inspiração em pinturas do primeiro Renascimento e de artistas do barroco italiano ou espanhol, como o pintor italiano Guido Reni (1575-1642) e o pintor espanhol Bartolomé Esteban Murillo (1618-1682). As pinturas são interpretadas pela técnica do vitral com as modificações necessárias. Além do trabalho como decorador, Formenti também é aquarelista e pintor, tendo produzido paisagens, cenas de gênero e de animais. A aquarela Costume Senegalês (1934), realizada dentro dos padrões do realismo-naturalismo, demonstra as qualidades técnicas do artista.

Obras 1

Abrir módulo

Exposições 6

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 10

Abrir módulo
  • BRAGA, Theodoro. Artistas pintores no Brasil. São Paulo: São Paulo Editora, 1942.
  • DICIONÁRIO brasileiro de artistas plásticos. Organização Carlos Cavalcanti e Walmir Ayala. Brasília: Instituto Nacional do Livro, 1973-1980. 4v. (Dicionários especializados, 5).
  • DICIONÁRIO brasileiro de artistas plásticos. Organização Carlos Cavalcanti e Walmir Ayala. Brasília: Instituto Nacional do Livro, 1973-1980. 4v. (Dicionários especializados, 5).
  • GULLAR, Ferreira (et. al). 150 anos de pintura no Brasil: 1820-1970. Rio de Janeiro: Colorama, 1989.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • LIMA, Monica Cardoso de. Os vitrais do Atelier Formenti na catedral de Vitória-ES, Brasil. Cultura Visual, Salvador, n. 12, p. 87-101, out. 2009.
  • PINACOTECA do Estado: catálogo geral de obras. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado, 1988. 447 p. il. p. b. color.
  • SÃO PAULO (ESTADO). SECRETARIA DA CULTURA. Pintores Italianos no Brasil. São Paulo: Governo do Estado de São Paulo. Secretaria de Estado da Cultura/Sociarte, 1982.
  • SÃO PAULO (ESTADO). SECRETARIA DA CULTURA. Pintores Italianos no Brasil. São Paulo: Governo do Estado de São Paulo. Secretaria de Estado da Cultura/Sociarte, 1982.
  • TARASANTCHI, Ruth Sprung. Pintores paisagistas em São Paulo (1890-1920).1986. 303 f. Tese (Doutorado) - Escola da Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo - ECA/USP, São Paulo, 1986. p.500. T759.09281 T177p v.2

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: