Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas

A Enciclopédia é o projeto mais antigo do Itaú Cultural. Ela nasce como um banco de dados sobre pintura brasileira, em 1987, e vem sendo construída por muitas mãos.

Se você deseja contribuir com sugestões ou tem dúvidas sobre a Enciclopédia, escreva para nós.

Caso tenha alguma dúvida, sugerimos que você dê uma olhada nas nossas Perguntas Frequentes, onde esclarecemos alguns questionamentos sobre nossa plataforma.



Enciclopédia Itaú Cultural
Literatura

Rodrigo Lacerda

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 19.01.2021
1969 Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro
Rodrigo Lacerda (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1969). Escritor, tradutor, editor e historiador. Seu estilo literário é marcado por senso de humor e grande erudição, demonstrada na rica intertextualidade com a literatura nacional e estrangeira. Em seus romances, o desenvolvimento das narrativas predomina sobre experimentalismos formais. As cara...

Texto

Abrir módulo

Rodrigo Lacerda (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1969). Escritor, tradutor, editor e historiador. Seu estilo literário é marcado por senso de humor e grande erudição, demonstrada na rica intertextualidade com a literatura nacional e estrangeira. Em seus romances, o desenvolvimento das narrativas predomina sobre experimentalismos formais. As características subjetivas e os conflitos psicológicos dos personagens são construídos com base em elementos do espaço e do tempo narrativo, em técnicas como flashbacks e fluxo de consciência.

Em 1990, Lacerda começa a trabalhar como gerente editorial na editora Nova Fronteira, fundada por seu avô, o político brasileiro Carlos Lacerda (1914-1977). Em 1991, muda-se do Rio de Janeiro para São Paulo e cursa história na Universidade de São Paulo (USP), que conclui em 1994. Entre 1992 e 1993, Lacerda coordena uma linha de coedições entre a Editora da USP (Edusp) e a Nova Fronteira. 

Seu primeiro livro autoral é o romance histórico O Mistério do Leão Rampante (1995), publicado pela Atelier Editorial. Narrado em primeira pessoa por Valfredo Margarelon, a trama se passa no século XVII, e tem Shakespeare como um de seus personagens. O livro é vencedor do Prêmio Jabuti de melhor romance.

Entre suas influências literárias, Lacerda cita o escritor português Eça de Queiroz (1845-1900), com quem aprende a rir de seus problemas; o dramaturgo inglês William Shakespeare (1564-1616), que o ensina que não basta rir, mas é preciso lutar para resolver os problemas; e o escritor americano William Faulkner (1897-1962), que demonstra que, ao final, não existe solução para os problemas. Estas são influências não apenas estéticas, mas também formadoras de atitudes em relação à vida. Entre os autores brasileiros, Lacerda destaca João Ubaldo Ribeiro (1941-2014).

O segundo livro de Lacerda é A Dinâmica das Larvas (1996), romance definido por ele no posfácio da edição como uma comédia trágico-farsesca. A trama aborda o universo editorial e o mercado literário com base na relação de quatro personagens centrais e um concurso literário em dinheiro, que parece ser a solução para seus anseios e dificuldades. Toda a ação do texto decorre em uma única noite, aproximando o romance ao gênero dramático. Os personagens são Miriam, organizadora do concurso literário; Carlos Vasconcelos, professor doutor e editor universitário que aspira ter sucesso financeiro com sua própria editora comercial; Abdias Lobato, o professor zoólogo especializado na dinâmica das larvas Myrmeleon uniformis; e José Fonseca, editor de literatura falido.

Em 1999, Lacerda inicia o mestrado em teoria literária na USP, com projeto sobre o escritor João Antônio (1937-1996). No ano seguinte, participa da definição de políticas editoriais da Editora Cosac & Naify, onde coordena o projeto de reedição das obras de João Antônio a partir de 2001. A pesquisa se desdobra também na tese de doutorado de Lacerda, João Antônio: uma Biografia Literária, concluída em 2005.

O Fazedor de Velhos (2008) é um premiado romance juvenil (Glória Pondé, Jabuti e FNLIJ) que representa a formação literária, identitária e afetiva do jovem Pedro, que também é o narrador. O livro acompanha o desenvolvimento do adolescente Pedro, com suas dúvidas sobre o futuro e suas escolhas de estudo e profissão. Desiludido com a faculdade de história, Pedro procura uma identidade, e no caminho vai se encontrar com o professor universitário Carlos Nabuco, que passa a ser uma forte influência intelectual. Na condição de mestre, Nabuco auxilia Pedro a encontrar sua vocação literária, instigando-o a diversas reflexões filosóficas acerca do tempo, do envelhecimento e do ofício da escrita. A profusão de intertextualidade aproxima o livro da crítica literária e da história da literatura, com diversos textos de outros autores transcritos e comentados pelos personagens. Lacerda maneja a elasticidade temporal da narrativa, distanciando a experiência de leitura de um tempo cronológico e aproximando do tempo psicológico, que ora se dilata e se suspende, ora se acelera, influenciada pelo estado de espírito do narrador-personagem.

O romance Outra Vida (2009), publicado pela Alfaguara, é vencedor do prêmio da Academia Brasileira de Letras. O livro concentra toda a sua ação no intervalo de algumas horas em uma estação rodoviária. Enquanto um casal e sua filha aguardam pelo embarque, uma série de flashbacks narra os eventos que levam os personagens à iniciativa de deixar a cidade grande em busca de uma vida no litoral. A mulher não quer deixar a cidade, e tem um amante, enquanto o homem se encontra envolvido em um esquema de corrupção, do qual deseja se distanciar.

Iniciado cedo na literatura e com reconhecimento rápido após seu primeiro livro, Rodrigo Lacerda produz uma grande quantidade de obras literárias, além de traduções e edições de obras de outros autores. O ritmo narrativo envolvente e a presença recorrente da metalinguagem e intertextualidade discutem a literatura e o ofício do escritor dentro do próprio universo da ficção.

Fontes de pesquisa 8

Abrir módulo
  • CHAVES, Teresa. Carioca Rodrigo Lacerda trocou a história pela literatura. Folha de S.Paulo, São Paulo, 29 jun. 2009. Disponível em: https://m.folha.uol.com.br/ilustrada/2009/06/586979-carioca-rodrigo-lacerda-trocou-a-historia-pela-literatura.shtml. Acesso em: 25 ago. 2020.
  • DONADONI, Marcilene Moreira. O passar do tempo no romance O fazedor de velhos, de Rodrigo Lacerda. Revista Philia | Filosofia, Literatura & Arte, Porto Alegre, v. 1, n. 1, p. 140-157, 2019. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/philia/article/view/87036. Acesso em: 18 jan. 2021.
  • DONADONI, Marcilene Moreira. Uma leitura de o fazedor de velhos, de Rodrigo Lacerda. 2016. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós-graduação em Letras, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Três Lagoas, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufms.br:8443/jspui/handle/123456789/2781. Acesso em: 18 jan. 2021.
  • HERNÁNDEZ, Ascensión Rivas. Otra vida de Rodrigo Lacerda, una novela de crisis. Letras de hoje, Porto Alegre, v. 51, n. 4, p. 450-457, 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7726.2016.4.24241. Acesso em: 28 ago. 2020.
  • LACERDA, Rodrigo. Drauzio Entrevista | Rodrigo Lacerda. [Entrevista cedida a] Drauzio Varella. Drauzio Entrevista, 2014. (51min09s). Disponível em: https://youtu.be/g3MtoJEScfI. Acesso em: 28 set. 2020.
  • LANGARO, Cleiser Schenatto; BERTIN, Diana Maria Schenatto. A formação humanizadora pela literatura em O fazedor de velhos. Revista Trama, Marechal Cândido Rondon, PR, v. 11, n. 21, 2015.
  • LUFT, Gabriela Fernanda Cé. Adriana Falcão, Flávio Carneiro, Rodrigo Lacerda e a literatura juvenil brasileira no início do século XXI. 2010. Dissertação (Mestrado em Literatura Comparada) – Programa de Pós-graduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/22987. Acesso em: 18 jan. 2021.
  • SILVA, Elaine Paula Volet da; VALDATI, Nilcéia. Experiências de leitura e formação do leitor em O fazedor de velhos, de Rodrigo Lacerda. Revista Letras Raras, Campina Grande, PB, v. 8, n. 1, 2019. Disponível em: http://revistas.ufcg.edu.br/ch/index.php/RLR/article/view/1061. Acesso em: 18 jan. 2021.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: