Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

A Enciclopédia é o projeto mais antigo do Itaú Cultural. Ela nasce como um banco de dados sobre pintura brasileira, em 1987, e vem sendo construída por muitas mãos.

Se você deseja contribuir com sugestões ou tem dúvidas sobre a Enciclopédia, escreva para nós.

Caso tenha alguma dúvida, sugerimos que você dê uma olhada nas nossas Perguntas Frequentes, onde esclarecemos alguns questionamentos sobre nossa plataforma.

Enciclopédia Itaú Cultural
Literatura

Carola Saavedra

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 01.11.2018
1973 Chile / a definir / Santiago
Carola Saavedra (Santiago, Chile, 1973). Romancista e contista. Aos 3 anos de idade, muda-se com a família para o Brasil, fixando-se no Rio de Janeiro. Na infância e na adolescência estuda em um colégio alemão. Na década de 1990, após se formar em jornalismo na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC/RJ), transfere-se para a Euro...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Carola Saavedra (Santiago, Chile, 1973). Romancista e contista. Aos 3 anos de idade, muda-se com a família para o Brasil, fixando-se no Rio de Janeiro. Na infância e na adolescência estuda em um colégio alemão. Na década de 1990, após se formar em jornalismo na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC/RJ), transfere-se para a Europa, morando na Espanha, França e Alemanha, onde conclui mestrado em comunicação social. Trabalha como tradutora de alemão e espanhol. Publica seu primeiro livro em 2005, o volume de contos Do Lado de Fora. Entre 2005 e 2006, publica microcontos no blog Escritoras Suicidas. Seu romance Flores Azuis (2008) recebe o prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), em 2008.

Análise

Os romances de Carola Saavedra, Flores Azuis (2008) e Paisagem com Dromedário (2010), são certamente suas obras de maior destaque, apesar de a autora ter também uma contínua produção contística como parte significativa dos escritores de sua geração.

No primeiro, a autora elabora uma trama entre A., uma mulher que envia cartas ao amante que a abandonou, e Marcos, homem divorciado com problemas de relacionamento com a filha e que recebe as cartas de A., supostamente por engano. O romance mistura focos narrativos em primeira pessoa - as cartas de A. - e terceira pessoa - a história de Marcos - e encena as dificuldades de contato entre as pessoas em vários níveis.

Em seu segundo romance, Carola dá continuidade a algumas questões e procedimentos literários presentes em Flores Azuis. Ambientado em uma ilha, Paisagem com Dromedário é narrado por Erika, artista plástica que registra seus pensamentos e experiências diárias em um gravador. Assim, os capítulos do livro são "transcrições" das gravações de Erika nas quais, além de ruídos e intervenções exteriores, surgem os dilemas do triângulo amoroso com outros dois artistas, Alex e Karen. Percebe-se que tanto as cartas de A. quanto as gravações de Erika simulam uma narrativa confessional que coloca o leitor como interlocutor e abordam dilemas contemporâneos como o isolamento do sujeito e as tensões nos relacionamentos.

Debates 1

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 3

Abrir módulo
  • MONTEIRO, Pedro Meira. "Olhar abrangente sobre a América Latina". In: Nossa América, nº 41, 2º semestre de 2011. p. 48-49.
  • PEN, Marcelo. "Autora apresenta progresso narrativo". In: Ilustrada, Folha de São Paulo, 4 de outubro de 2008.
  • SCHWARTZ, Adriano. "Linguagem contida de Granta distingue seleção acima da média". In: Ilustrada, Folha de São Paulo, 16 de julho de 2012.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: