Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

A Enciclopédia é o projeto mais antigo do Itaú Cultural. Ela nasce como um banco de dados sobre pintura brasileira, em 1987, e vem sendo construída por muitas mãos.

Se você deseja contribuir com sugestões ou tem dúvidas sobre a Enciclopédia, escreva para nós.

Caso tenha alguma dúvida, sugerimos que você dê uma olhada nas nossas Perguntas Frequentes, onde esclarecemos alguns questionamentos sobre nossa plataforma.

Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

José Yalenti

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 15.08.2022
26.04.1895 Brasil / São Paulo / São Paulo
04.05.1967 Brasil / São Paulo / São Paulo
Reprodução fotográfica Iara Venanzi/Itaú Cultural

Sem Título
José Yalenti
Prata sobre papel (vintage)<br>negativo branco e preto

José Vicente Eugenio Yalenti (São Paulo, São Paulo, 1895 – Idem, 1967). Fotógrafo. Importante referência da fotografia moderna brasileira, explora a geometria e os detalhes da paisagem urbana. 

Texto

Abrir módulo

José Vicente Eugenio Yalenti (São Paulo, São Paulo, 1895 – Idem, 1967). Fotógrafo. Importante referência da fotografia moderna brasileira, explora a geometria e os detalhes da paisagem urbana. 

Filho de imigrantes italianos, forma-se em engenharia civil pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP). Combate na Revolução Constitucionalista de 1932. Entre 1936 e 1965, trabalha como funcionário público na subprefeitura de Santo Amaro, bairro de São Paulo. 

Em abril de 1939, ao lado de outros fotógrafos paulistas,  funda o Foto Cine Clube Bandeirante (FCCB). Nos primeiros anos de atividade do cineclube, atua como diretor de excursões, a maioria delas para cidades próximas da capital paulista, como Guararema e Ribeirão Pires. Desde a fundação, é membro do conselho deliberativo do clube, no qual também desenvolve atividade didática. 

Apesar de sua formação artística em fotografia estar ligada ao academismo pictorialista da época, é considerado um dos primeiros fotógrafos brasileiros a buscar uma linguagem moderna em suas imagens. Na década de 1940, realiza fotos que expandem e radicalizam pesquisas formais até então apenas esboçadas na produção nacional. 

Um dos elementos presentes no trabalho do fotógrafo é a exploração da potencialidade da contraluz, técnica que, aproveitando o ponto de luz atrás do objeto principal, valoriza contornos e silhuetas. Segundo a pesquisadora Helouise Costa (1960), ao usar esse recurso, Yalenti deixa evidente a presença do fotógrafo na execução da obra, quebrando a composição enquanto cena. Dessa forma, as grandes massas de sombra, presentes em composições como Embarque (1945), chamam a atenção do espectador para a materialidade da superfície fotográfica. Com isso, a imagem perde parte de seu efeito ilusório. Seu caráter de referente da realidade cede lugar ao jogo de linhas e planos, que atuam como elementos formais autônomos. 

A modernidade do fotógrafo também é expressa na escolha pela retratação de elementos urbanos. Iniciando uma experiência largamente explorada pelos colegas fotoclubistas, Yalenti privilegia a fotografia arquitetônica para criar composições geométricas, destacando as linhas retas e as curvaturas por meio do enquadramento e do uso das sombras. 

A importância da figura humana, porém, não está ausente na obra do artista. Ela comparece em Paralelas e diagonais (1945), não como medida da monumentalidade do edifício, mas como contraposição de um elemento subjetivo – um gesto – ao rigor geométrico abstrato. Do mesmo modo, um homem surge pensativo em meio às linhas de Evanescentes (1945). 

Mantém-se ativo e ligado ao FCCB como sócio-honorário durante toda a vida. Participa de diversos salões nacionais e internacionais e obtém reconhecimento de entidades ligadas à fotografia, como Federation Internationale de l’Art Photographique (Fiap) e Cercle Royal d’Études Photographiques et Scientifique d’Anvers (Crepsa), da Bélgica. Seus trabalhos integram importantes coleções de fotografia, como Pirelli-Masp (São Paulo), Tate Gallery (Londres) e Miami Art Museum (Miami).

O aproveitamento das sombras e dos contornos conferem tom poético ao registro de Yalenti do cotidiano. Com rigorosa pesquisa formal, suas imagens figuram entre os marcos iniciais da fotografia moderna no Brasil.

 

Obras 23

Abrir módulo
Reprodução fotográfica João L. Musa/Itaú Cultural

Arquitetura

Tinta mineral sobre premiun luster photo paper
Reprodução fotográfica Iara Venanzi/Itaú Cultural

Arquitetura 3

Gelatina e prata sobre papel
Reprodução fotográfica João L. Musa/Itaú Cultural

Arquitetura nº7

Tinta mineral sobre premiun luster photo paper
Reprodução fotográfica João L. Musa/Itaú Cultural

Balance

Tinta mineral sobre premiun luster photo paper
Reprodução fotográfica João L. Musa/Itaú Cultural

Beirais

Tinta mineral sobre premiun luster photo paper

Exposições 29

Abrir módulo

Exposições virtuais 1

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 6

Abrir módulo
  • CAMARGO, Mônica Junqueira de; MENDES, Ricardo. Fotografia: cultura e fotografia paulista no século XX. São Paulo: Secretaria Municipal de Cultura, 1992.
  • COLEÇÃO Pirelli/Masp de Fotografia. Catálogo 2007, v. 16. São Paulo: Masp, 2007. Disponível em: http://www.colecaopirellimasp.art.br/autores/257.
  • COSTA, Helouise; SILVA, Renato Rodrigues da. A fotografia moderna no Brasil. São Paulo: Cosac Naify, 2004.
  • DUARTE, B. J. O velho Yalenti. Foto-cine, v. XIV, n. 157, abr./ jun., 1967.
  • FOTO CINE CLUBE BANDEIRANTE. Site Oficial. Disponível em: http://www.fotoclub.art.br/.
  • MORREU Yalenti. Foto-cine, v. XIV, n. 157, abr./ jun., 1967.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: