Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Valério Vieira

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 08.01.2018
16.11.1862 Brasil / Rio de Janeiro / Angra dos Reis
26.07.1941 Brasil / São Paulo / São Paulo
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Retrato do Jovem Valério Vieira, 27.04.1882
Albumina
Acervo Museu Paulista / USP

Valério Otaviano Rodrigues Vieira (Angra dos Reis RJ 1862 - São Paulo SP 1941). Fotógrafo, compositor, instrumentista e pintor. Em 1875, transfere-se para o Rio de Janeiro, e freqüenta a Academia Imperial de Belas Artes (Aiba) como aluno ouvinte. Na década de 1880, inicia a carreira de fotógrafo itinerante em cidades do Vale do Paraíba e Minas G...

Texto

Abrir módulo

Biografia
Valério Otaviano Rodrigues Vieira (Angra dos Reis RJ 1862 - São Paulo SP 1941). Fotógrafo, compositor, instrumentista e pintor. Em 1875, transfere-se para o Rio de Janeiro, e freqüenta a Academia Imperial de Belas Artes (Aiba) como aluno ouvinte. Na década de 1880, inicia a carreira de fotógrafo itinerante em cidades do Vale do Paraíba e Minas Gerais. Por volta de 1894, muda-se para São Paulo, e se associa ao estúdio Valério & Aguiar. Em 1899, abre a Photographia Valério, que, além de retratos convencionais, oferece imagens coloridas com aquarela e pastel, ou ampliadas em materiais como espelho, porcelana e marfim. Pioneiro no uso de fontes artificiais de iluminação, Vieira destaca-se, sobretudo, pela produção de fotomontagens e de vistas panorâmicas da capital paulista. Com o autorretrato Os Trinta Valérios (1901), sua obra mais conhecida, obtém medalha de prata na The Louisiana Purchase Exposition, nos Estados Unidos, em 1904. No ano seguinte, promove uma exposição individual no Salão Progredior, em São Paulo, e realiza uma vista de 11 metros de comprimento a partir da torre da Igreja do Sagrado Coração de Jesus, o ponto mais alto da cidade na época. O painel é premiado na Exposição Nacional do Rio de Janeiro, em 1908. Entre 1919 e 1922, como parte das comemorações do centenário da independência do Brasil, faz uma nova versão dessa mesma paisagem, com 16 metros de largura. Atualmente, o trabalho integra o acervo do Museu da Imagem e do Som de São Paulo (MIS/SP).

Comentário crítico
Em São Paulo, embora outros fotógrafos tenham trabalhado com colagens fotográficas entre o fim do século XIX e o início do seguinte,¹ Valério Vieira é considerado o primeiro a utilizar fotomontagens com regularidade. Além de aplicar a técnica na confecção de cartões de boas festas, produz os chamados retratos bouquet: fotos mostrando a mesma pessoa em sete poses diferentes, com roupas diversas.

O autorretrato Os Trinta Valérios (1901) é considerado um marco na história da fotografia no Brasil. A imagem mostra um sarau em que os músicos, a platéia, o garçom, os quadros na parede e o busto sobre um móvel têm o rosto do artista. Inicialmente, a obra é intitulada como Valério Fregoli, possivelmente uma referência ao ator italiano Leopoldo Fregoli (1867 - 1936), conhecido por representar diferentes papéis numa mesma encenação. É justamente isso que Vieira faz nessa fotomontagem de caráter teatral e humorístico. A composição pode ser lida como um conjunto de pequenas cenas reunidas numa sala de concerto. As expressões indicam que há algo de estranho acontecendo: a platéia parece dispersa (os rostos estão voltados para diferentes direções), um músico põe a mão na cabeça e alguns ouvintes parecem espantados.

Valério Vieira também realiza panorâmicas, como o Panorama da Capital de São Paulo (1905), feito com cinco chapas para capturar uma vista de 180° e que precisa de uma equipe de cerca de dez pessoas para os processos de revelação e fixação. Exposto três anos mais tarde sofre severos danos e, alguns anos depois, é refeito em 16 metros, necessitando de papel especial e uma composição de reveladores desenvolvida em parceria com o fotógrafo e pesquisador Conrado Wessel.

A nova vista, realizada por volta de 1920 sob encomenda da prefeitura de São Paulo para integrar as festividades do centenário da independência do Brasil, é impressa em tela e recebe camadas de tinta a óleo, o que descaracteriza suas qualidades fotográficas. Segundo documentos da época, além de realçar detalhes e corrigir defeitos da ampliação, a pintura tem também a função de conservar a imagem.²

Notas

¹ Segundo o historiador Ricardo Mendes, fotógrafos como Carlos Hoenen (18-- - s.d.), Giovanni Sarracino e Vicenzo Pastore também produziram fotomontagens nesse período. As experiências de Pastore são de caráter privado, não comercial. Ver: MENDES, Ricardo. O Valério cumprimenta-vos: persona e invenção na virada do século. 2006. Disponível em: http://www.fotoplus.com .

² MENDES, Ricardo. Idem.

Obras 8

Abrir módulo

Exposições 13

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 14

Abrir módulo
  • ADES, Dawn. Photomontage. London: Thames and Hudson, 1986. 176 p., il. p&b.
  • BALADY, Sônia Umburanas. Valério Vieira: um dos pioneiros da experimentação fotográfica no Brasil. 2012. 197f. Dissertação (Mestrado - Programa de Pós-Graduação Interunidades em Estética e História da Arte) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.
  • BREUILLE, Jean-Phillippe (concepcion). Dictionaire de la Photo. Paris: Larousse, 1996. 766 p., il. p&b.
  • FABRIS, Annateresa (org.). Fotografia: usos e funções no século XIX. São Paulo: Edusp, 1991. (Coleção texto & arte, 3).
  • FERRAZ, Solange. O circuito social da fotografia: estudo de caso II. In: FABRIS, Annateresa (org.). Fotografia: usos e funções no século XIX. São Paulo: Edusp, 1998.
  • FREYRE, Gilberto; PONCE DE LEON, Fernando; VASQUEZ, Pedro Karp. O retrato brasileiro: fotografias da Coleção Francisco Rodrigues, 1840-1920. Rio de Janeiro: Funarte. Fundação Joaquim Nabuco, 1983.
  • Fontes de Pesquisa.
  • JÚNIOR, Rubens Fernandes. "Fotografia no Brasil e Modernidade". In: SCHWARTZ, Jorge (org.). Da Antropofagia a Brasília: Brasil 1920-1950. São Paulo: Fundação Armando Álvares Penteado e Cosac & Naify Edições, 2002. 638 p., il. p&b, color.
  • KOSSOY, Boris. Dicionário histórico-fotográfico brasileiro: fotógrafos e ofício da fotografia no Brasil (1833-1910). São Paulo: Instituto Moreira Salles, 2002.
  • KOSSOY, Boris. Origens e expansão da fotografia no Brasil: século XIX. Prefácio Boris Kossoy. Rio de Janeiro: Funarte, 1980. 128 p.
  • MEMÓRIA Paulistana: exposição. São Paulo: MIS, 1975.
  • MENDES, Ricardo. "'O Valério cumprimenta-vos': persona e invenção na virada do século." 2006. www.fotoplus.com.
  • MENDES, Ricardo. "Fotografia e Modernismo: um breve ensaio sobre idéias fora do lugar." 25/08/1996. www.fotoplus.com.
  • MOURA, Carlos Eugênio Marcondes de; LEMOS, Carlos A. C. ; AMARAL, Aracy A; BERNARDET, Jean-Claude (orgs.). Retratos quase inocentes. São Paulo: Nobel, 1983.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: