Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas

A Enciclopédia é o projeto mais antigo do Itaú Cultural. Ela nasce como um banco de dados sobre pintura brasileira, em 1987, e vem sendo construída por muitas mãos.

Se você deseja contribuir com sugestões ou tem dúvidas sobre a Enciclopédia, escreva para nós.

Caso tenha alguma dúvida, sugerimos que você dê uma olhada nas nossas Perguntas Frequentes, onde esclarecemos alguns questionamentos sobre nossa plataforma.

Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Helga Stein

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 16.10.2019
04.09.1975 Brasil / São Paulo / Guaíra
Helga Stein (Guaíra, São Paulo, 1975). Artista e professora. Desenvolve trabalhos sobre linguagem fotográfica, audiovisual e de arte digital. Em 1999, gradua-se em artes visuais pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Seus projetos centram-se na pesquisa do autorretrato, para compreender questões de identidade e representação. Seu percurso art...

Texto

Abrir módulo

Helga Stein (Guaíra, São Paulo, 1975). Artista e professora. Desenvolve trabalhos sobre linguagem fotográfica, audiovisual e de arte digital. Em 1999, gradua-se em artes visuais pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Seus projetos centram-se na pesquisa do autorretrato, para compreender questões de identidade e representação. Seu percurso artístico liga-se ao cenário de arte contemporânea goiano do início da década de 1990, período em que participa de mostras coletivas e individuais. Em 2002, torna-se especialista em design de hipermídia pela Universidade Anhembi Morumbi. No mesmo ano, com a obra Narkes, conquista o Prêmio Cultural Sergio Motta, na categoria Bolsa Estímulo, e recebe menção honrosa do Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (File), realizado em São Paulo. Em 2003, forma-se em fotografia pelo Senac e participa da exposição Mídia-Arte, apresentada no Museu da Imagem e do Som em São Paulo (MIS/SP). Em 2004, integra a mostra P0es1s, no Kulturforum, em Berlim. No mesmo ano, participa das exposições Life Goes Mobile, no Instituto Tomie Ohtake, e Emoção Art.ficial, no Itaú Cultural, na capital paulista, e Hiper>relações eletro//digitais, no Santander Cultural, em Porto Alegre. Em 2005, integra a mostra comemorativa dos 35 anos do Paço das Artes, em São Paulo. Em 2007, conclui o mestrado em comunicação e semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Em 2012, reapresenta o projeto Narkes, reunindo 10 anos de autorretratos, na coletiva do Circuito Vivo Art.Mov, em Goiânia. Em 2016, integra o corpo docente paulistano da Universidade Anhembi Morumbi.

Análise

A produção de Helga Stein localiza-se no domínio da fotografia, com abertura de diálogo para arte digital e vídeo. A mediação desses saberes contribui para o entendimento da fotografia como arte contemporânea. É nesse fluxo, que estabelece os primeiros pilares de sua obra. Os trabalhos de Stein utilizam o próprio corpo da artista como campo de experimentação e edição da fotografia. A partir da edição de autorretratos, reconstrói as imagens para que outra face seja anunciada. Esse processo traz à luz discussões sobre a transfiguração fabricada pela indústria da beleza. O projeto Narkes é um dos exemplos da discussão sobre os limites e embates das plataformas de edição fotográfica. A obra apresenta um corpo de trabalho processual desenvolvido ao longo de dez anos. É possível observar a possibilidade – não exclusiva da arte – de imensa produção de imagens e de suas reformulações. Os autorretratos são vistos como um estudo sobre o corpo, sua identidade e sua representação, tese desenvolvida no trabalho de mestrado. Esses questionamentos também estão presentes em exposições fotográficas, evidenciando as dúvidas sobre os limites entre imagem real e ficcional, manipulada e editada. Integrante de uma geração de artistas que buscam formas híbridas de expressão, Stein apresenta imagens que propõem ao espectador perguntas sobre a perda da origem da fotografia e, por conseguinte, a validade e o lugar da mesma no mundo contemporâneo.

 

Exposições 9

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 10

Abrir módulo

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: