Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas

A Enciclopédia é o projeto mais antigo do Itaú Cultural. Ela nasce como um banco de dados sobre pintura brasileira, em 1987, e vem sendo construída por muitas mãos.

Se você deseja contribuir com sugestões ou tem dúvidas sobre a Enciclopédia, escreva para nós.

Caso tenha alguma dúvida, sugerimos que você dê uma olhada nas nossas Perguntas Frequentes, onde esclarecemos alguns questionamentos sobre nossa plataforma.

Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Paula Sampaio

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 16.05.2017
26.10.1965 Brasil / Minas Gerais / Belo Horizonte
Reprodução fotográfica Raimundo Paccó

Rodovia Belém/Brasília, Município de Divinópolis/MA, 1998
Paula Sampaio

Paula Gomes Sampaio (Belo Horizonte, Minas Gerais, 1965). Fotógrafa. Em 1982, transfere-se para Belém, e passa a freqüentar a Oficina Fotoativa, centro de ensino de fotografia coordenado por Miguel Chikaoka (1950). Começa a fotografar profissionalmente nos jornais Diário do Pará e O Liberal em 1987. Forma-se em comunicação social na Universidade...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Paula Gomes Sampaio (Belo Horizonte, Minas Gerais, 1965). Fotógrafa. Em 1982, transfere-se para Belém, e passa a freqüentar a Oficina Fotoativa, centro de ensino de fotografia coordenado por Miguel Chikaoka (1950). Começa a fotografar profissionalmente nos jornais Diário do Pará e O Liberal em 1987. Forma-se em comunicação social na Universidade Federal do Pará - UFPA, em 1990. Nessa época, inicia o projeto de documentação das populações que vivem às margens de grandes rodovias abertas na região amazônica como a Transamazônica e a Belém-Brasília. Com o ensaio Fronteiras conquista o 4º Prêmio Marc Ferrez de Fotografia da Fundação Nacional de Arte (Funarte), em 1993, e a bolsa do Mother Jones International Fund for Documentary Photography [Fundo Internacional Mother Jones para Fotografia Documental], nos Estados Unidos, em 1997. Conclui curso de especialização em comunicação e semiótica na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - PUC/MG, em 1996. Nos anos 2000, trabalha como editora assistente do jornal O Liberal e como fotógrafa do Instituto de Artes do Pará. Em 2004, recebe a Bolsa Vitae de Pesquisa e Arte com o projeto Antônios e Cândidas Têm Sonhos de Sorte, e dá continuidade ao registro da colonização na Amazônia. Em seguida, dedica-se à documentação de comunidades quilombolas do Pará. Ganha em 2006, o Prêmio Porto Seguro Fotografia com retratos de brasileiros anônimos. É autora do livro Paula Sampaio, 2005, da Coleção Senac de Fotografia.

Análise

Desde 1990, Paula Sampaio dedica-se à documentação de comunidades formadas às margens de grandes rodovias como Belém-Brasília e Transamazônica, abertas a partir do fim dos anos 1950. Na década de 1970, o regime militar atrai milhares de famílias para o Norte do país por meio de concessões de lotes de terra e incentivos à instalação de empresas na Amazônia. No entanto, em poucos anos, a construção de estradas e a maior parte dos projetos de assentamento são abandonados, deixando os colonos sem infra-estrutura urbana básica. Por isso, muitos migram para cidades como Belém, Altamira e Marabá, no Pará, provocando crescimento desordenado e invasões de áreas metropolitanas.

Centrada no dia-a-dia das pessoas, Sampaio mostra a rodovia Transamazônica inacabada, a precariedade do sistema de saúde e educação e a vida dos sem-terra na capital paraense. Além de explicitar problemas socioambientais, apresenta aspectos da cultura local, como o comércio, os ritos religiosos e as brincadeiras infantis. Ela trabalha com pontos de vista diversificados, nos quais fica evidente sua interação com os retratados. A câmera se faz presente por meio de ângulos que fogem à altura dos olhos, contra-luzes e enquadramentos com objetos e corpos fragmentados.

Seu trabalho se alinha à tradição do fotodocumentarismo desenvolvido a partir do segundo pós-guerra, quando fotógrafos independentes, como o norte-americano Eugene Smith (1918 - 1979), passam a produzir ensaios com a intenção de conciliar a denúncia de problemas sociais a uma visão explicitamente subjetiva.

Obras 18

Abrir módulo

Exposições 47

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 7

Abrir módulo
  • COLEÇÃO Pirelli Masp de Fotografias. Disponível em: [http://site.pirelli.14bits.com.br/autores/123]. Acesso em: abril 2007.
  • CULTURA Pará. Disponível em: [http://www.culturapara.art.br/fotografia/paulasampaio/]. Acesso em: abril 2007.
  • HUGHES, Jim. W. Eugene Smith. New York: Aperture, 1999. 96 p., il. p&b.
  • PERSICHETTI, Simonetta. Imagens da fotografia brasileira 2. São Paulo: Estação Liberdade: Senac, 2000.
  • SAMPAIO, Paula. Paula Sampaio. São Paulo: Ed. Senac São Paulo, 2005. 76 p., il. p&b. (Coleção Senac de Fotografia, v.7).
  • SAMPAIO, Paula. [Currículo]. Enviado pela artista em 2006.
  • SOUZA, Jorge Pedro. Uma história crítica do fotojornalismo ocidental. Florianópolis; Chapecó: Letras Contemporâneas; Editora Grifos, 2000.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: