Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Hagedorn

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 15.05.2020
1814 Alemanha
1889 Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro
Reprodução fotográfica Horst Merkel

Palácio Imperial na Quinta da Boa Vista, 1855
Hagedorn
Têmpera sobre papel, c.i.e.
210,00 cm x 67,00 cm

Friedrich Hagedorn (Alemanha, 1814 – Rio de Janeiro, 1889). Pintor, aquarelista e gravurista. Encontra-se no Rio de Janeiro por volta de 1850. Em 1854, possui ateliê fixo na cidade, anunciado algumas vezes no Almanaque Laemmert. Realiza um grande panorama da cidade, tomado do Morro da Conceição e edita-o em litogravura. A bibliografia a respeito...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Friedrich Hagedorn (Alemanha, 1814 – Rio de Janeiro, 1889). Pintor, aquarelista e gravurista. Encontra-se no Rio de Janeiro por volta de 1850. Em 1854, possui ateliê fixo na cidade, anunciado algumas vezes no Almanaque Laemmert. Realiza um grande panorama da cidade, tomado do Morro da Conceição e edita-o em litogravura. A bibliografia a respeito do artista indica que percorre as cidades de Teresópolis, Petrópolis, Niterói e a baixada Fluminense, no estado do Rio de Janeiro, além das províncias de Minas Gerais, Bahia e Pernambuco, representando as paisagens desses locais.

Parece ter visitado o Maranhão, como sugerem três litografias pertencentes ao acervo da Biblioteca Nacional de Portugal. Em 1855, executa o grande panorama do Recife, formado por três partes distintas, e logo em seguida litografadas. Apresenta trabalhos na Exposição Geral de Belas Artes de 1859 e de 1862. 

Entre o fim da década de 1850 e o início de 1880, produz dezenas de vistas e panoramas em guache, têmpera, aquarela e, em quantidade bem menor, óleo. Poucos são os artistas da época que produzem tanto e têm suas imagens tão difundidas no Brasil e no exterior. Hagedorn percebe o potencial de mercado na venda de imagens da paisagem brasileira e dedica-se a essa produção.

Esse direcionamento artístico comercial pode ser responsável pela crítica aos seus trabalhos feita por historiadores e especialistas. Também, no entanto, permite a ampla circulação de sua produção em comparação a de outros artistas do período.

Muitos de seus trabalhos, também transformados em gravuras ou litografias, são editados pela Litografia Lemercier, em Paris. Pelo menos um, o panorama Rio de Janeiro – A Entrada da Barra (Babilônia), é editado por George Leuzinger (1813-1892). Tem pinturas e reproduções apresentadas na Exposição de História do Brasil, em 1881. Suas obras estão presentes em diversos museus no Brasil, nos Estados Unidos e na Europa.

Obras 5

Abrir módulo

Exposições 22

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 22

Abrir módulo
  • BELLUZZO, Ana Maria de Moraes. O Brasil dos viajantes: A construção da paisagem. São Paulo: Metalivros; Salvador: Fundação Emílio Odebrecht, 1994. v.3.
  • CATÁLOGO da exposição de História do Brazil realizada pela Bibliotheca Nacional do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Typ. de G. Leuzinger & Filhos, 1881.
  • COSTA FERREIRA, Orlando da. Imagem e letra. São Paulo: Edusp, 1994.
  • FERREZ, GILBERTO (org). Exposição comemorativa do tricentenário da restauração pernambucana: iconografia do recife do século XIX. Recife: Comissão Organizadora e executiva, 1954.
  • FERREZ, Gilberto. Iconografia do Rio de Janeiro: 1530-1890, catálogo analítico, volume 1. Apresentação Carlos Roberto Maciel Levy; direção Carlos Roberto Maciel Levy; coordenação editorial Gláucia Santos Garcia, Márcia Saad Silveira; projeto gráfico Victor Burton; pesquisa Marília Santos Garcia; produção Sandra Sautter; projeto gráfico Adriana Moreno, Angelo Allevato Bottino, Miriam Lerner; produção gráfica Fernando Moser; fotografia Raul Lima, Lula Rodrigues, Romulo Fialdini, Vicente de Mello, Christina Bocayuva. Rio de Janeiro: Casa Jorge, 2000. 750 p., il. color., 270 x 210 mm. ISBN 85-85835-21-4.
  • GULLAR, Ferreira (et. al). 150 anos de pintura no Brasil: 1820-1970. Rio de Janeiro: Colorama, 1989.
  • GULLAR, Ferreira (et. al). 150 anos de pintura no Brasil: 1820-1970. Rio de Janeiro: Colorama, 1989.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • LEVY, Carlos Roberto Maciel. Exposições gerais da Academia Imperial e da Escola Nacional de Belas Artes: período monárquico, catálogo de artistas e obras entre 1840 e 1884. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1990. v.1.
  • MARTINS, Carlos. A paisagem carioca. Rio de Janeiro: Museu de Arte Moderna, 2000.
  • MUSEUS CASTRO MAYA. Museu da Chácara do Céu (Rio de Janeiro, RJ) (org.), MUSEUS CASTRO MAYA. Museu do Açude (Rio de Janeiro, RJ) (org.). Museus Castro Maya: Museu do Açude, Chácara do céu. Tradução Sylvia Lemos; apresentação Carlos Martins; comentário Dora Alcântara. Rio de Janeiro: Agir, 1994. 349p. il. color. p.63.
  • O BRASIL DO SÉCULO XIX na coleção Fadel. Rio de Janeiro: Instituto Cultural Sergio Fadel, 2004.
  • O BRASIL DO SÉCULO XIX na coleção Fadel. Rio de Janeiro: Instituto Cultural Sergio Fadel, 2004.
  • PEIXOTO, Maria Elizabete Santos. Pintores alemães no Brasil durante o século XIX. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1989.
  • PEIXOTO, Maria Elizabete Santos. Pintores alemães no Brasil durante o século XIX. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1989.
  • PINACOTECA do Estado de São Paulo. Coleção Brasiliana/ Fundação Estudar. São Paulo: Pinacoteca do Estado, 2010.
  • PONTUAL, R. Dicionário das artes plásticas no Brasil; LEITE, J.R.T. Dicionário crítico da pintura no Brasil.
  • TRADIÇÃO e ruptura: síntese de arte e cultura brasileiras. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1984.
  • VISÕES do Rio na coleção Geyer. Curadoria Maria de Lourdes Parreiras Horta; assistência de curadoria Maria Inez Turazzi, Maurício Vicente Ferreira Junior; versão em inglês Barry Neves, Cristina Baum, Rebecca Atkinson. Rio de Janeiro: Centro Cultural Banco do Brasil, 2000.
  • VISÕES do Rio na coleção Geyer. Curadoria Maria de Lourdes Parreiras Horta; assistência de curadoria Maria Inez Turazzi, Maurício Vicente Ferreira Junior; versão em inglês Barry Neves, Cristina Baum, Rebecca Atkinson. Rio de Janeiro: Centro Cultural Banco do Brasil, 2000.
  • ZANINI, Walter (org.). História geral da arte no Brasil. São Paulo: Fundação Djalma Guimarães: Instituto Walther Moreira Salles, 1983. v. 1.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: