Artigo da seção pessoas Cristiano Rennó

Cristiano Rennó

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deCristiano Rennó: 04-10-1963 Local de nascimento: (Brasil / Minas Gerais / Belo Horizonte)

Biografia

Cristiano Rennó (Belo Horizonte, Minas Gerais, 1963). Artista visual. Entre 1980 e 1982, é aluno de Amilcar de Castro (1920-2002) no Núcleo Experimental Guignard, em Belo Horizonte. Em 1986, forma-se em desenho industrial pela Fundação Universidade Mineira de Arte (Fuma), também na capital mineira. Integra o projeto Imagem Pública, premiado na 2ª Concorrência Fiat em 1989. Participa de diversos salões, como o Salão Nacional de Arte da Prefeitura de Belo Horizonte (1981, 1988, 1989), e o Salão Nacional de Artes Plásticas da Fundação Nacional de Arte (Funarte), no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM/RJ) (1981). Integra diversas mostras coletivas em Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo.

Análise

No início da década de 1980, Cristiano Rennó estuda com Amilcar de Castro (1920-2002) no Núcleo experimental Guignard, em Belo Horizonte. Uma das características da obra de Rennó, não por acaso, será a investigação acerca da vontade de ordenação. Exemplo disso é a instalação apresentada no Panorama da Arte Brasileira 2005, promovido pelo Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM/SP). Trata-se de quatro pilhas de tecido somando sete folhas cada uma, como os dias de cada fase lunar. A multiplicidade de estampado das folhas repete o mesmo padrão quadriculado: mudam tons e proporções, mas o resultado é sempre igual, ordenado. Porém essas pilhas são por vezes desfeitas, e os tecidos aparecem desorganizados, enrolados uns aos outros no chão do museu, como que à espera de um novo gesto ordenador. A mesma reflexão já está presente em instalação de 2003 intitulada Teia, em que fitas, fios, cordões, plásticos e outros materiais, sempre de cores vivas, estão dispostos no chão de forma caótica. Rennó dá continuidade à pesquisa com Cadernos Xadrezes, instalação de 2005, composta por setenta pedaços de panos xadrezes diferentes de colorido vivo, todos de mesma medida, agrupados em conjuntos de sete unidades sobrepostas e presas à parede, além de sete cobertores de lã espalhados pelo chão da galeria. Já é possível identificar essa exigência de estruturação da obra e do espaço em telas construtivas expostas em  1992, nas quais Rennó lida com a estabilidade do quadrado e somente com as cores primárias: amarelo, azul e vermelho.

Outras informações de Cristiano Rennó:

  • Outros nomes
    • Cristiano Renó
    • Cristiano Rennó Assunção
  • Habilidades
    • fotógrafo
    • Pintor
    • designer

Exposições (28)

Artigo sobre Ícones da Utopia

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de inícioÍcones da Utopia: 10-04-1992  |  Data de término | 07-05-1992
Resumo do artigo Ícones da Utopia:

Fundação Clóvis Salgado. Palácio das Artes

Artigo sobre Faxinal das Artes

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de inícioFaxinal das Artes : 18-10-2002  |  Data de término | 17-11-2002
Resumo do artigo Faxinal das Artes :

Museu de Arte Contemporânea do Paraná

Todas as exposições

Fontes de pesquisa (9)

  • A IDENTIDADE virtual, a pedra sabão. Tradução Graciela Ravetti, Sara Rojo. Ouro Preto : Secretaria Municipal de Turismo e Cultura, 1994. il. color.

    NEMER, José Alberto. Icones da utopia. Texto Olívio Tavares de Araújo; fotografia Rui Cezar dos Santos. Belo Horizonte: Fundação Palácio das Artes, 1992. 87p. il. color.
  • A PROVA dos nove. Belo Horizonte: CEMIG, 1991. 12 p., il. color.
  • ARS brasilis. Apresentação Sergio Bruno Zech Coelho; fotografia Juninho Motta; curadoria Paulo Schmidt; fotografia Miguel Aun; texto Paulo Schmidt. Belo Horizonte: Minas Tênis Clube, 2000. [24] p., il. p&b. color.
    color.
  • CHÃO e parede. Belo Horizonte : EMBRA, 1994. il. p.b.
  • CONSTRUÇÃO selvagem. Belo Horizonte: Grande Galeria do Palácio das Artes, 1990.
  • COTIDIANO/ARTE: O Objeto Anos 90. Curadoria Lisette Lagnado. São Paulo: Itaú Cultural, 1999. (Eixo Curatorial 1999).
  • PANORAMA da Arte Brasileira, 1995. Apresentação Milú Villela; texto Cacilda Teixeira da Costa; curadoria Ivo Mesquita; tradução Izabel Murat Burbridge. São Paulo : MAM, 1995. 92p. 71ils.
  • PROSPECÇÕES: arte nos anos 80 e 90. Curadoria Walter Sebastião. Belo Horizonte: Secretaria de Estado da Cultura, 1997. 1 folha avulsa dobra, 3 il. p.b., color.
  • SALÃO NACIONAL DE ARTES PLÁSTICAS, 4., 1981, Rio de Janeiro, RJ. IV Salão Nacional de Artes Plásticas. Texto Mário Brochmann Machado. Rio de Janeiro: Funarte, 1981. 76 p.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • CRISTIANO Rennó. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa21294/cristiano-renno>. Acesso em: 15 de Dez. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7