Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas

A Enciclopédia é o projeto mais antigo do Itaú Cultural. Ela nasce como um banco de dados sobre pintura brasileira, em 1987, e vem sendo construída por muitas mãos.

Se você deseja contribuir com sugestões ou tem dúvidas sobre a Enciclopédia, escreva para nós.

Caso tenha alguma dúvida, sugerimos que você dê uma olhada nas nossas Perguntas Frequentes, onde esclarecemos alguns questionamentos sobre nossa plataforma.



Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Yantok

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
1881 Brasil / Rio Grande do Sul / Soledade
1964 Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro
BiografiaMax Cesarino Yantok (Soledade RS ca. 1881 - Rio de Janeiro RJ 1964). Caricaturista, chargista, pintor e violinista. Filho de João Cesarino Yantok, italiano de Sapri e descendente de ciganos do Leste europeu, não se sabe ao certo de onde é natural. Ele conta que nasce em 1881, em uma tribo indígena no interior do Rio Grande do Sul, próxi...

Texto

Abrir módulo

Biografia
Max Cesarino Yantok (Soledade RS ca. 1881 - Rio de Janeiro RJ 1964). Caricaturista, chargista, pintor e violinista. Filho de João Cesarino Yantok, italiano de Sapri e descendente de ciganos do Leste europeu, não se sabe ao certo de onde é natural. Ele conta que nasce em 1881, em uma tribo indígena no interior do Rio Grande do Sul, próxima a Passo Fundo, onde seu pai se casa e permanece por um período, depois de ter imigrado para o Brasil, em 1856. Aos seis anos, em 1887, Yantok volta para Sapri com o pai. Na escola, cria o jornal Il Biricchino, onde faz sua primeira caricatura. Mais velho, estuda ao mesmo tempo violino, pintura e engenharia, mas forma-se contador e agrimensor. Por um período, não escolhe uma profissão ou um país, desenvolvendo diversas atividades. Toca violino em orquestras e muda-se com frequência. Funda em Nápoles o jornal humorístico Monsignor Perrelli e contribui em Roma e Paris com outros periódicos, como L'Asino, Pêle-Mêle e L'Assiette au Beurre. Vem ao Rio de Janeiro definitivamente em 1908 e começa trabalhando em O Malho, para o qual já havia mandado caricaturas. Colabora, também, com outros jornais e, por volta de 1910, cria o seu famoso personagem infantil Kaximboun, que aparece em O Tico-Tico durante quatro décadas. Em 1915, passa a publicar marcantes charges políticas em O Imparcial. Tem trabalhos publicados nas revistas D. Quixote, Fon-Fon, O Cruzeiro e Revista da Semana, entre outras. Paralelamente, mantém a atividade de contador.

Exposições 1

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 11

Abrir módulo
  • BRAGA, Theodoro. Artistas pintores no Brasil. São Paulo: São Paulo Editora, 1942.
  • FONSECA, Joaquim da. Caricatura: a imagem gráfica do humor. Porto Alegre: Artes e Ofícios, 1999.
  • GULLAR, Ferreira (et. al). 150 anos de pintura no Brasil: 1820-1970. Rio de Janeiro: Colorama, 1989. R703.0981 P818d
  • LAGO, Pedro Corrêa do. Caricaturistas brasileiros: 1836-1999. Rio de Janeiro: Sextante Artes, 1999.
  • LAGO, Pedro Corrêa do. Caricaturistas brasileiros: 1836-1999. Rio de Janeiro: Sextante Artes, 1999. 741.5981 L1777c
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • LEMOS, Renato (org.). Uma história do Brasil através da caricatura: 1840/2001. Rio de Janeiro: Bom Texto: Letras e Expressões, 2001.
  • LIMA, Herman. História da caricatura no Brasil. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1963. 4v.
  • O TICO-TICO, Rio de Janeiro, 26 de outubro de 1910. Ano VI, nº 264.
  • TRAÇO, Humor & Cia. Curadoria Denise Mattar; versão em inglês Angela Melim. São Paulo: FAAP, 2003.
  • YANTOK. Aventuras de um boneco de pau, Juca Formigão. O Tico-Tico, Rio de Janeiro, 19 de outubro de 1910. Ano VI, nº 263, p. 5-7.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: