Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Teatro

Wagner Freire

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 24.03.2017
07.05.1959 Brasil / São Paulo / São Paulo
Wagner Rocha Freire (São Paulo, São Paulo, 1959). Iluminador. Light designer de sensibilidade, presente em significativas montagens a partir dos anos 90.

Texto

Abrir módulo

Biografia

Wagner Rocha Freire (São Paulo, São Paulo, 1959). Iluminador. Light designer de sensibilidade, presente em significativas montagens a partir dos anos 90.

Freire deixa inconclusa uma formação como engenheiro eletrônico na Universidade Oswaldo Cruz para dedicar-se ao teatro. Inicia-se, em 1989, operando a luz de O Senhor de Porqueiral, de Molière (1622-1673), encenado pelo Grupo TAPA. Integrado à equipe, desenha a luz das realizações seguintes: Nossa Cidade, de Thornton Wilder, em 1989, As Raposas do Café, de Antônio Bivar (1939) e Celso Luiz Paulini (1929-1992), em 1990, e Querô - Uma Reportagem Maldita, de Plínio Marcos (1935-1999), em 1992, todos direção de Eduardo Tolentino de Araújo (1954).

Dedicado ao ofício e possuindo agudo senso de equilíbrio na composição dos meios-tons, seus trabalhos seguintes são: Almanaque Brasil, de Noemi Marinho, para o grupo Circo Grafitti, Van Gogh, texto e encenação de Marcia Abujamra (1959), protagonizado por Elias Andreato (1955); Áulis, de Eurípides, direção de Elias Andreato e Celso Frateschi (1952), e A Guerra Santa, de Luís Alberto de Abreu (1952), direção de Gabriel Villela (1958), este último rendendo-lhe seu primeiro Prêmio Shell de iluminação. 

Para Francisco Medeiros (1948) desenha a luz de A Gaivota, de Anton Tchekhov (1860-1904), realizada no Centro Cultural São Paulo, em 1994. Mesmo ano em que ilumina as óperas Madame Butterfly, de Giacomo Puccini, direção de Jorge Takla (1951), e Os Pescadores de Pérolas, de Georges Bizet, direção de Naum Alves de Souza (1942-2016).

Retorna em 1996 para colaborar em Cenas de Um Casamento, de Ingmar Bergman (1918-2007), encenação de Vivien Buckup, com Regina Braga (1945) e Tony Ramos (1948). No ano seguinte, ilumina Flor de Obsessão, baseado em Nelson Rodrigues (1912-1980), criação do grupo Pia Fraus Teatro; Salomé, de Oscar Wilde (1854-1900), realização de José Possi Neto (1947)  para a atriz Christiane Torloni (1957), e Inseparáveis, de Maria Adelaide Amaral (1942), novamente José Possi Neto, ganhando o Prêmio Apetesp pelo conjunto da obra. Ainda em 1997, acumula mais um prêmio, agora o Shell, por Oscar Wilde, roteiro de Elias Andreato, dirigido por Vivien Buckup. Em 1998, está em O Avarento, de Molière, direção de Cacá Rosset (1954) para o Teatro do Ornitorrinco.

Em 1999, ilumina o dispositivo cênico criado para Moby Dicky, de Herman Melville (1819-1891), espetáculo de Rodrigo Matheus (1962), com direção de Cristiane Paoli-Quito (1960). Em 2001, novamente ao lado de José Possi Neto, cria a luz para O Evangelho Segundo Jesus Cristo, de José Saramago.

O acabamento da produção de Salomé, um dos exemplos da intervenção do artista, ganha relevo nos comentários do crítico Alberto Guzik (1944-2010): "A produção da montagem de Possi é primorosa. O cenário de Felipe Crescente, os figurinos de Jacqueline Terpins, a luz de Possi/Freire e a música de Jether Garotti Jr. formam moldura estética perfeita para a narrativa. Há sofisticação e requinte para esta fábula mórbida. Um espelho de água, que ocupa quase a metade do espaço, reflete misteriosamente a luz dos refletores e a silhueta dos artistas. Os tons do espetáculo são sombrios, como a história. Marrom, sépia e ocre são suas cores dominantes"1.

Nota

1 GUZIK, Alberto. Trama de Salomé soa datada, mesmo com boa montagem. Jornal da Tarde, São Paulo, p. 3C, 5 mar. 1997.

Eventos relacionados 90

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 20

Abrir módulo
  • ALBUQUERQUE, Johana. Wagner Freire (ficha curricular) In: ___________. ENCICLOPÉDIA do Teatro Brasileiro Contemporâneo. Material elaborado em projeto de pesquisa para a Fundação VITAE. São Paulo, 2000.
  • ANUÁRIO de teatro 1994. São Paulo: Centro Cultural São Paulo, 1996. R792.0981 A636t 1994
  • CENAPAULISTANA. São Paulo. Disponível em: < http://www.cenapaulistana.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1730:a-vida-que-eu-pedi-adeus- >. Acesso em : 30 de maio de 2011. Não catalogado
  • CENAPAULISTANA. São Paulo. Disponível em: < http://www.cenapaulistana.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1751%3A3-casas-triptico-alfrediano&catid=392%3A3-casas-triptico-alfrediano&Itemid=762>. Acesso em : 24 de maio de 2011. Não catalogado
  • FREIRE, Wagner. (currículum vitae). Cronologia das atividades realizadas ao longo da carreira profissional . São Paulo, 2001.
  • GUERINI, Elaine. Nicette Bruno & Paulo Goulart: tudo em família. São Paulo: Cultura - Fundação Padre Anchieta: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2004. 256 p. (Aplauso Perfil). 792.092 G932n
  • GUZIK, Alberto. Trama de Salomé soa datada, mesmo com boa montagem. Jornal da Tarde, São Paulo, p. 3C, 5 mar. 1997.
  • Programa do Espetáculo - A Alma Boa de Set Suan - 2008. Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - A Boa Alma de Setsua - 2005. Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - Amigas, Pero no Mucho - 2007. Não Catalogado
  • Programa do Espetáculo - Camino Real - 2007. Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - Carícias - 2006. Não Catalogado
  • Programa do Espetáculo - Cenas de Um Casamento - 1996. Não Catalogado
  • Programa do Espetáculo - Começa a Terminar - 2008. Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - Crepúsculo - 3 Peças de Samuel Beckett - 2007. Não Catalogado
  • Programa do Espetáculo - O Evangelho Segundo Jesus Cristo - 2001. Não Catalogado
  • Programa do Espetáculo: Joana Dark a Re-Volta - 2001. Não catalogado
  • TEATRO FAAP. De braços abertos: São Paulo, SP, s/d. Programa do Espetáculo. Não Catalogado
  • TEATRO do Ornitorrinco. São Paulo: Imprensa Oficial, 2009. 792.0981 To253
  • TUCA. Blue Room: ago. 2002, São Paulo, SP, 2002. Programa do Espetáculo. Não catalogado

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: