Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Teatro

Paulo Lins

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 20.11.2020
11.06.1958 Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro
Paulo Cesar de Souza Lins (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1958). Romancista, roteirista, poeta e professor. Autor de Cidade de Deus, livro amplamente reconhecido pelo público e pela crítica, Paulo Lins garante protagonismo às regiões periféricas do Rio de Janeiro. 

Texto

Abrir módulo

Paulo Cesar de Souza Lins (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1958). Romancista, roteirista, poeta e professor. Autor de Cidade de Deus, livro amplamente reconhecido pelo público e pela crítica, Paulo Lins garante protagonismo às regiões periféricas do Rio de Janeiro. 

Morador da favela carioca Cidade de Deus, estabelece, na juventude, profundo contato com a música, sobretudo com o samba. Na década de 1980, ingressa no curso de letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Ministra aulas na rede pública estadual de ensino do Rio de Janeiro e começa a escrever poesia, integrando, no mesmo período, o grupo Cooperativa de Poetas. Em 1986, publica seu primeiro livro de poemas, Sobre o Sol, fortemente influenciado pela poesia concreta.

Durante a graduação, recebe uma bolsa de iniciação científica do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e começa a trabalhar como assistente da antropóloga Alba Zaluar, cujo doutorado se debruça sobre a criminalidade em Cidade de Deus. Incentivado pela pesquisadora, inicia a longa elaboração do romance Cidade de Deus (1997), com base na ficcionalização dos resultados científicos da pesquisa. Em 1995 recebe a bolsa Vitae de Artes, o que lhe permite concluir a redação da narrativa, publicada em 1997.

Cidade de Deus foge à estrutura convencional do romance burguês – que geralmente se detém na trajetória individual de uma personagem específica –, ao construir uma narrativa em que as vidas (e as mortes) de diversas personagens dividem espaço no decorrer da fragmentada trama. A obra ficcional procura apreender todo o espectro cultural e social dos habitantes da favela Cidade de Deus, dedicando-se a explorar a expansão da criminalidade na região. 

Para apreender uma substância social tão multifacetada, Lins vale-se de materiais heterogêneos para a composição do romance. O crítico austríaco Roberto Schwarz (1938) observa, na estrutura de Cidade de Deus, a conjugação de elementos do thriller cinematográfico, como o andamento veloz, somado à linguagem econômica e objetiva e à nota sensacionalista dos noticiários de jornal. Esses aspectos conferem rapidez e mobilidade à narrativa. Há ainda forte presença de lirismo, invocado pelo narrador logo no início do romance: “Poesia, minha tia, ilumine as certezas dos homens e os tons de minhas palavras”. Tal insistência na poesia, assinala Schwarz, contrasta com o peso da miséria representada, constituindo-se como escolha ousada para a linguagem da narrativa.

Em 2002, o livro é transposto para o cinema por Fernando Meirelles (1955) e Kátia Lund (1966). Após o enorme êxito de Cidade de Deus, Lins torna-se roteirista de alguns episódios do seriado Cidade dos Homens (2002-2005), veiculado pela TV Globo. Recebe o prêmio de melhor roteiro da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) por seu trabalho em Quase Dois Irmãos (2005), dirigido por Lúcia Murat (1949).

Em 2012, lança Desde que o Samba É Samba, texto ambientado no Rio de Janeiro no tempo do surgimento do rádio e da indústria fonográfica, que aborda a formação cultural brasileira tendo o samba como recorte. No mesmo ano, assina o roteiro de Subúrbia, seriado veiculado pela TV Globo, junto com Luiz Fernando Carvalho (1960). Escreve o roteiro do filme Faroeste Caboclo (2013), adaptação da canção da banda Legião Urbana, com o diretor de cinema René Sampaio (1974). Em 2014, lança Era uma Vez… Eu!, projeto fruto da parceria com o ilustrador Maurício Carneiro, a atriz Beo da Silva e o designer gráfico Eduardo Lima. Em 2019, publica a narrativa ficcional Dois Amores.

Com estilo ágil e dinâmico, a escrita de Paulo Lins representa personagens e territórios periféricos. A relação direta com a realidade, nas narrativas do autor, passa pela mistura de traços imaginativos com a brutalidade presente na rotina carioca. 

Obras 1

Abrir módulo

Eventos relacionados 3

Abrir módulo

Mídias (3)

Abrir módulo
Paulo Lins - Cidade de Deus, A Peça - AuTORES EM CENA (2010) - Parte 1/3
O escritor Paulo Lins é dirigido por Eugênio Lima no espetáculo "Cidade de Deus - A Peça". O autor interpreta, pela primeira vez nos palcos, as dez últimas páginas do seu famoso livro, com a participação do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos, de São Paulo.
A peça foi apresentada durante o evento AuTORES EM CENA, que ocorreu em abril de 2010, no Itaú Cultural, em São Paulo/SP, e teve curadoria do escritor Marcelino Freire.
Paulo Lins - Cidade de Deus, A Peça - AuTORES EM CENA (2010) - Parte 2/3

Fontes de pesquisa 1

Abrir módulo

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: