Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Eduardo Kac

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 20.09.2019
1962 Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro
Eduardo Kac: Oito Diálogos

Texto

Abrir módulo


Eduardo Kac: Oito Diálogos
Investigações: O Trabalho do Artista - Itaú Cultural

Biografia
Eduardo Kac (Rio de Janeiro RJ 1962). Artista visual e performer. É graduado pela Faculdade de Comunicação Social da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC/RJ. Nos anos 1980 realiza performances de conteúdo político em São Paulo e no Rio de Janeiro. Em 1983, lança o livro Escracho e, nos anos seguintes, realiza trabalhos para a rede videotexto. É pioneiro no campo da holografia e na arte da telepresença, e torna-se conhecido com o projeto Ornitorrinco, 1989. Recebe prêmio da Shearwater Foundation pelo conjunto de seu trabalho em holografia em 1995. Em 1998, ganha o Leonardo Award for Excellence por sua produção em arte eletrônica, e o prêmio do júri no InterCommunication Center Biennale de Tóquio, pelo trabalho Uirapuru, em 1999. Desenvolve pesquisas em arte transgênica, empregando a engenharia genética nos projetos GFP Bunny, 2000, e O Oitavo Dia, 2001. Autor de diversos artigos sobre arte eletrônica no Brasil, publica os livros Luz e Letra: Ensaios de Arte, Literatura e Comunicação, em 2004, e Telepresence and Bio Art - Networking Humans, Rabbits and Robots, em 2005. Em 2006, faz pesquisa para titulação de doutor em artes no Center for Advanced Inquiry in Interactive Arts, CaiiA, na University of Wales, Newport, Inglaterra, e dá aulas de arte e tecnologia no The Art Institute of Chicago, Estados Unidos.

Comentário Crítico
No começo dos anos 1980, Eduardo Kac desenvolve trabalhos pioneiros no campo da arte e tecnologia, como obras para a rede videotexto e holopoesia, termo criado pelo artista, que consiste na apresentação de poemas em holografia. Com Ornitorrinco (1989), realizado com Ed Bennett, em Chicago, nos Estados Unidos, inicia trabalhos no campo da telepresença, baseados na experiência vivenciada por um participante que controla, via conexão telefônica, um robô em seu deslocamento num espaço físico distante.

Vários trabalhos de Kac necessitam da participação do público para sua concretização, como em Teleporting an Unknown State (1996), no qual ele coloca sementes em um lugar sem luz, monitorado ao vivo pela internet. Para fornecer luz à semente é necessário que o internauta capte a luminosidade com câmeras digitais e envie as imagens para o site da galeria, que as projeta sobre a planta. Já em Gênesis (1999), cria um código genético com base em uma frase do Velho Testamento,1 que, em seguida, é transferido para código Morse e desse para um código de DNA. Essa seqüência genética é introduzida em bactérias. Por meio da ação do participante, que interfere na obra também por meio da internet, elas são expostas à luz ultravioleta, o que gera alterações em seu código genético e, conseqüentemente, no texto original. Esses trabalhos exploram questões ligadas à responsabilidade ética sobre a vida e têm desenvolvimento em outras obras do artista, como GFB Bunny, iniciado em 2000. Esse projeto começa com a criação de uma coelha em laboratório, com um gene modificado que a torna fluorescente; inclui a polêmica acerca do evento como parte integrante da obra; e só termina com a adoção do animal pelo artista e sua família.

Como nota o estudioso Arlindo Machado, desde Time Capsule (1997), quando implanta um microchip de identificação em seu próprio corpo, Kac tem se vinculado a tendências artísticas que lidam com processos biológicos associados a sistemas de telecomunicação baseados em computador e também à arte transgênica, que explora técnicas de engenharia genética.

 

Notas
1 A sentença bíblica é: "Deixe que o homem domine sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os seres vivos que se movem na terra". Gênese 1, 28.

Exposições 70

Abrir módulo

Eventos relacionados 5

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 13

Abrir módulo
  • ARTE suporte computador. Organização Solange Lisboa e Antonio Ruete. São Paulo: Casa das Rosas, 1997. SPcr 1997/a
  • BRASIL high tech. Fotografia Sérgio Zalis. Rio de Janeiro: Centro Empresarial Rio, 1986. s.p. il. RJcer 1986/b
  • BRASIL high tech. Rio de Janeiro: Centro Empresarial Rio, 1986. s. p. il.
  • GERAÇAO 80: núcleo jovem MP2 Arte. Rio de Janeiro: MP2 Arte, 1984. fotos p.b.
  • GERAÇÃO 80: núcleo jovem MP2 Arte. Rio de Janeiro: MP2 Arte, 1984. , fotos, p&b. RJmp2 1984
  • KAC, Eduardo. A arte da telepresença na Internet. In: DOMINGUES, Diana. (org.). A arte no século XIX: a humanização das tecnologias. São Paulo: Fundação Editora da Unesp, 1997. (Prismas). p. 315-324. Não Cadastrado
  • KAC, Eduardo. Luz & letra: ensaios de arte, literatura e comunicação. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2004. (N-Imagem).
  • MACHADO, Arlindo. O quarto iconoclasmo e outros ensaios hereges. Rio de Janeiro: Rios Ambiciosos, 2001. (N-Imagem).
  • MACHADO, Arlindo. O quarto iconoclasmo e outros ensaios hereges. Rio de Janeiro: Rios Ambiciosos, 2001. (N-Imagem). 704.9 M1491q
  • PANORAMA da Arte Brasileira, 1995. Curadoria Ivo Mesquita. São Paulo: MAM, 1995. Catálogo de exposição.
  • PANORAMA da Arte Brasileira, 1995. Curadoria Ivo Mesquita. São Paulo: MAM, 1995. Catálogo de exposição. 709.05 K11L
  • TERRITÓRIO ocupado. Curadoria Marcus de Lontra Costa. Rio de Janeiro: Escola de Artes Visuais do Parque Lage, 1986.
  • TERRITÓRIO ocupado. Curadoria Marcus de Lontra Costa. Rio de Janeiro: Escola de Artes Visuais do Parque Lage, 1986. CAT-G RJeavpl 1986

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: