Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

A Enciclopédia é o projeto mais antigo do Itaú Cultural. Ela nasce como um banco de dados sobre pintura brasileira, em 1987, e vem sendo construída por muitas mãos.

Se você deseja contribuir com sugestões ou tem dúvidas sobre a Enciclopédia, escreva para nós.

Caso tenha alguma dúvida, sugerimos que você dê uma olhada nas nossas Perguntas Frequentes, onde esclarecemos alguns questionamentos sobre nossa plataforma.

Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Paulo Venancio Filho

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 28.10.2022
1953
Paulo Venâncio Filho (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1953). Curador, crítico de arte, professor. Atua em diferentes frentes da produção de conhecimento sobre artes visuais, especialmente contemporânea, bem como de sua difusão do ensino e da literatura sobre o tema.

Texto

Abrir módulo

Paulo Venâncio Filho (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1953). Curador, crítico de arte, professor. Atua em diferentes frentes da produção de conhecimento sobre artes visuais, especialmente contemporânea, bem como de sua difusão do ensino e da literatura sobre o tema.

Forma-se, em 1983, no curso de Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Na mesma instituição conclui, em 1998, mestrado em Comunicação com o trabalho A crise da pessoalidade e o outro modernismo: Cornélio Penna, Oswaldo Goeldi e Mário Peixoto, Transitando em diferentes linhas de estudo, tem o foco de seus trabalhos nas artes visuais, mas também contribui para análises no campo da literatura como em seu artigo, ainda em 1998, Os sertões: atualidade e arcaísmo na representação cultural de um conflito brasileiro, no qual analisa como Euclides da Cunha elabora em sua obra - Os Sertões - o que presenciou no conflito em Canudas, no final do século XIX e o apresenta dentro de uma lógica social e científica própria de sua realidade. 

Seguindo na linha da literatura, gradua-se doutor com a dissertação Sobre alguns temas em Proust e Machado de Assis. No trabalho, publicado posteriormente no livro Primos entre si: Temas em Proust e Machado de Assis (2000), o pesquisador analisa a possível aproximação entre os os dois autores tanto em suas técnicas e temáticas mesmo distante temporalmente.

Dedica-se à construção do conhecimento crítico sobre arte também através de seus livros voltados  à artistas brasileiros entre as décadas de 1980 e 1990, como Waltércio Caldas: Manual da Ciência Popular (1982) e Milton Dacosta: A construção da pintura (1999). 

Na docência, atua como professor da pós-graduação em Artes Visuais da Faculdade de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e no campo da curadoria, está à frente de eventos individuais que dão destaque para a obra de artistas contemporâneos como O Corpo da Escultura: a obra de Iole de Freitas 1972-1997 (1997), no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM/SP) e Iberê Camargo: diante da pintura (2003), na Pinacoteca do Estado de São Paulo (_Pina), bem como grandes exposições coletivas como a 31ª Bienal de Arte de São Paulo (2012), intitulada 30 × Bienal - Transformações na Arte Brasileira da 1ª à 30ª edição, na qual é feito um resgate histórico de todas as edições da bienal, através da obra de 111 artistas brasileiros que participam ao longo do tempo.

Paulo Venâncio colabora com a construção de conhecimento crítico sobre a arte brasileira, em diferentes linhas de conhecimento, além de contribuir com a construção da cronologia da artística brasileira através de sua atuação como curador e professor.

Exposições 49

Abrir módulo

Seminários 1

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 4

Abrir módulo

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: