Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

León Ferrari

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 15.07.2021
03.09.1920 Argentina / Buenos Aires / Buenos Aires
25.07.2013 Argentina / Buenos Aires / Buenos Aires

Quadro Escrito, 1984
León Ferrari
Off-set sobre papel
22,50 cm x 33,20 cm

Leon Ferrari (Buenos Aires, Argentina 1920 - idem 2013). Pintor, gravador, escultor, artista multimídia. Inicia seu trabalho como escultor na Itália, onde reside por três anos. Em 1955, realiza individual na Galeria Cariola, em Milão. Em 1960, começa a fazer esculturas de arame e aço inoxidável e, dois anos depois, produz desenhos caligráficos e...

Texto

Abrir módulo

Leon Ferrari (Buenos Aires, Argentina 1920 - idem 2013). Pintor, gravador, escultor, artista multimídia. Inicia seu trabalho como escultor na Itália, onde reside por três anos. Em 1955, realiza individual na Galeria Cariola, em Milão. Em 1960, começa a fazer esculturas de arame e aço inoxidável e, dois anos depois, produz desenhos caligráficos e colagens. Em 1965, engaja-se no movimento cultural e político do Instituto di Tella de Buenos Aires, e abandona a produção abstrata. Entre 1968 e 1969, participa dos eventos Tucuman Arde e Malvenido Rockefeller, em Buenos Aires. Muda-se para São Paulo, em 1976, e retoma a produção de escultura de metal. Em 1977, passa a fazer esculturas sonoras em barras metálicas e interessa-se por novos meios expressivos, incentivado pela convivência com Regina Silveira (1939) e Julio Plaza (1938-2003). Realiza obras em videotexto, microfichas, arte postal, cria livros de artista e trabalha com litografia. Recebe prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte - APCA de melhor exposição do ano, em 1983. No ano seguinte volta a residir em Buenos Aires. Passa a utilizar também o meio digital em suas proposições, como em Electronicartes, 2002/2003. Em paralelo às atividades em artes visuais, publica livros como Nosotros No Sabíamos, em 1976; Cuadro Escrito, em 1984; Exégesis, em 1993, e La Bondadosa Crueldad, em 2000. Nesse ano, recebe o Prêmio Costantini.

Análise

A produção de Leon Ferrari abrange campos diversos, como o tridimensional, o desenho, a escrita, a colagem, a assemblage, a instalação e o vídeo. Sua obra é marcada por um processo intenso de experimentação.

Em 1961, o artista inicia a realização de esculturas em metal. Gradualmente, incorpora textura e movimento em suas composições, por meio do uso de chapas de diversos tamanhos e diferentes metais. Começa também a explorar materiais não usuais, como garrafas, imagens recortadas, objetos de plástico, e chega a trabalhar com animais vivos em algumas obras, como em Justicia [Justiça] (1991).

Paralelamente, inicia a série Escrituras, Manuscritos, em que associa livremente idéias e palavras, vinculadas por um sentido poético e, por vezes, mescladas a referências bíblicas. Como nota a estudiosa Andrea Giunta, Cuadro Escrito [Quadro Escrito] (1964) é um dos mais extensos desses trabalhos. Nessa obra, as palavras ondulam, as letras se misturam, porém estão sempre legíveis: o texto descreve um quadro, como se o artista pudesse pintá-lo com palavras.

Na década de 1970 e no começo da seguinte, vive em São Paulo. Retoma a escultura e o desenho abstratos e passa a interessar-se por novos meios expressivos, incentivado pela convivência com Regina Silveira e Julio Plaza. Além da litografia, inicia trabalhos com videotexto, microfichas, arte postal e livro de artista. Desenvolve também esculturas sonoras em barras metálicas.

Mais recentemente, de volta a Argentina, tem explorado o meio digital para suas proposições, como em Electronicartes (2002/2003), em que envia por correio eletrônico imagens relativas a eventos ocorridos no período, como o atentado de 11 de setembro em Nova York (2001), o bombardeio em Bagdá (2003), o terrorismo, a política norte-americana, a justiça e a economia na Argentina, entre outros temas, sempre motivado por um senso de crítica social e política.

Obras 2

Abrir módulo
Registro fotográfico Sérgio Guerini

Maquete

Aço soldado sobre base (placa de vidro, madeira pintada e lâmpada)

Exposições 118

Abrir módulo

Feiras de arte 2

Abrir módulo

Festivais 1

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 6

Abrir módulo
  • "Morre León Ferrari, 92, considerado o artista plástico mais importante da Argentina". In: Folha de S.Paulo, São Paulo, 25 de julho de 2013. Disponível em: . Acessado em: 25 julho 2013. não catalogada
  • A VIRADA do século: reflexões sobre a passagem do milênio. Ciça França Lourenço. CARBONCINI, Anna. Rio de Janeiro, Paz e Terra; São Paulo, UNESP, Secretaria de Estado da Cultura, 1987.
  • ARTE Xerox Brasil. Apresentação de Jorge da Cunha Lima; textos de Maria Cecília França Lourenço, Hudinilson Jr., Rosita Gouveia; curadoria de Hudinilson Jr. São Paulo: Pinacoteca do Estado, 1984.
  • EROS e thanatos. Apresentação de Bete Mendes e Lourdes Cedran. São Paulo: Pinacoteca do Estado, 1988.
  • FERRARI, Léon. Léon Ferrari: retrospectiva. Obras 1954-2004. Buenos Aires: Centro Cultural Recoleta, 2004. 422 p .
  • PALAVRA mágica. Introdução de Ana Mae Barbosa. Texto de Lucia Santaella. São Paulo: MAC/USP, 1987.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: