Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

A Enciclopédia é o projeto mais antigo do Itaú Cultural. Ela nasce como um banco de dados sobre pintura brasileira, em 1987, e vem sendo construída por muitas mãos.

Se você deseja contribuir com sugestões ou tem dúvidas sobre a Enciclopédia, escreva para nós.

Caso tenha alguma dúvida, sugerimos que você dê uma olhada nas nossas Perguntas Frequentes, onde esclarecemos alguns questionamentos sobre nossa plataforma.

Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Anna Mariani

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 23.06.2022
04.07.1935 Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro
23.06.2022 Brasil / São Paulo / São Paulo

Margens e Sertões, Caraíba BA, 1995
Anna Mariani
Matriz-negativo

Anna Helena Mariani Bittencourt (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1935 - São Paulo, São Paulo, 2022). Fotógrafa. Através da fotografia,a artista dedica-se a registrar e colaborar com a memória dos fazeres, tradições e modos de vida de populações em diferentes locais do nordeste brasileiro.

Texto

Abrir módulo

Anna Helena Mariani Bittencourt (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1935 - São Paulo, São Paulo, 2022). Fotógrafa. Através da fotografia,a artista dedica-se a registrar e colaborar com a memória dos fazeres, tradições e modos de vida de populações em diferentes locais do nordeste brasileiro.

Estuda fotografia com Claude Kubrusly, Cristiano Mascaro (1944) e Maureen Bisilliat (1931). A partir da década de 1970, viaja ao Recôncavo Baiano e documenta a paisagem, as manifestações culturais e o trabalho feminino em atividades tradicionais, não se restringindo a uma simples documentação. Carioca de nascimento, a artista mora em Salvador durante a infância, conhecendo bem a região.

O primeiro fruto de sua incursão pelo nordeste é exposto em 1972, em São Paulo, numa mostra que traz a mulher nordestina em seus ofícios tradicionais como queima de barro, preparo da farinha de mandioca e do fumo, manufatura do sisal e da piaçava.

Torna-se conhecida principalmente pelas fotografias de fachadas e detalhes da arquitetura de habitações populares, que realiza desde 1976, ao publicar os livros Pinturas e Platibanda (1987) e Façades (1988).

Suas fotografias apresentam as fachadas sempre em um ângulo frontal, sem a presença do elemento humano e sem a interferência da paisagem. O motivo aparece após viagem realizada para registrar o percurso de Antônio Conselheiro (1830-1897)1, na qual utiliza pela primeira vez filme colorido, e essa arquitetura se revela em toda sua diversidade e criatividade através da cor. A partir de então, empreende diversas excursões a cidades litorâneas e do sertão de estados como  Alagoas, Bahia e Pernambuco, em busca desse universo poético dos mestres construtores populares.

Em 1987, conta com um acervo de mais de 2 mil fotografias, que decide colocar em livro. Seleciona 220 fotos e publica o volume Pinturas e Platibandas, com comentários do escritor Ariano Suassuna (1927-2014) e da arquiteta Lina Bo Bardi (1914-1992)2.

O livro é lançado na 19ª Bienal Internacional de São Paulo com exposição de 80 ampliações fotográficas. As imagens destacam-se pelo brilho frágil das cores que reproduzem com sensibilidade a pintura a cal dessas fachadas sem eira nem beira, suas elaboradas platibandas decoradas com motivos geométricos, florais e zoomórficos que revelam sinais de várias culturas, como a africana e a oriental. Recuperadas de forma nua, frontalmente, sem presença humana, essas fotos encontram beleza na simplicidade das soluções arquitetônicas do interior do Nordeste brasileiro.

A busca da beleza em meio a condições adversas, mas sem estetizar a pobreza, é uma das características do trabalho de Anna Mariani. Em Paisagens, Impressões: o Semi-Arido Brasileiro (1992), a artista reúne fotos de paisagens nordestinas realizadas em três décadas (1970-1990). Nessas imagens, os contrastes entre diversas formas de escassez (do solo e de comida) e algumas riquezas (pequenas faixas de vegetação, plantações ou casas solitárias em regiões extremamente áridas) são, em suas palavras, "uma homenagem ao sertanejo presente nas terras cultivadas, casas, cercas e caminhos"3.
 
A fotografia de Anna Mariani é um registro de pessoas, paisagens e arquiteturas. Os modos de viver e a organização de diferentes espaços no nordeste brasileiro são registrados e rememorados na obra da artista.

Notas

1. Líder social da comunidade baiana de Canudos, conduziu a população local contra os republicanos durante a Guerra de Canudos (1896-1897). Morto pelo exército em outubro de 1897, tem sua histórica contata no livro Os Sertões do escritor Euclides da Cunha (1866-1909).

2. O livro é publicado posteriormente na França com textos do artista Caetano Veloso (1942) e do filósofo Jean Baudrillard (1929-2007).

3. MARIANI, Anna. Paisagens, impressões: o semi-árido brasileiro. São Paulo: Companhia das Letras, 1992. 107 p., fotos color.

Obras 10

Abrir módulo

Exposições 57

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 20

Abrir módulo
  • A MATA. São Paulo: MAC/USP, 1991. [36 p.], il. p.b. color.
  • BAUDRILLARD, Jean. Anna Mariani. In: ______. A arte da desaparição. Tradução Anamaria Skinner; organização Katia Macial. Rio de Janeiro: UFRJ, 1997. 198 p.
  • BERNARD, Bruce. Bold Fronts in Brazil. Independent Magazine, London, 03 jun. 1989.
  • BIENAL BRASIL SÉCULO XX, 1994, São Paulo, SP. Bienal Brasil Século XX: catálogo. Curadoria Nelson Aguilar, José Roberto Teixeira Leite, Annateresa Fabris, Tadeu Chiarelli, Maria Alice Milliet, Walter Zanini, Cacilda Teixeira da Costa, Agnaldo Farias. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1994.
  • BIENAL INTERNACIONAL DE SÃO PAULO, 19., 1987, SÃO PAULO, SP. Catálogo geral. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1987.
  • BRILL, Stefania. Pedindo licença. Iris Foto, São Paulo, no. 410, dez. 1988.
  • CARBONCINI, Anna (coord.). Coleção Pirelli/MASP de Fotografias: v. 4. Versão em inglês Kevin M. Benson Mundy. São Paulo: MASP, 1994.
  • CARELLI, Wagner. Uma arte sertaneja para além dos clichês. Folha de S. Paulo, São Paulo, 21 out. 1987.
  • GONÇALVES FILHO, Antônio. Anna Mariani. Galeria Revista de Arte, São Paulo, no. 6, set. 1987.
  • GONÇALVES FILHO, Antônio. Fotógrafa segue nova trilha no Sertão. Folha de S. Paulo, 28 mai. 1992.
  • I Quadrienal de Fotografia. Curadoria Paulo Klein. São Paulo: MAM, 1985. 40 p. il. p.b.
  • I Trienal de Fotografia. São Paulo: MAM, 1980.
  • MARIANI, Anna. Paisagens, Impressões: o semi-árido brasileiro. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.
  • MARIANI, Anna. Pinturas e platibandas. São Paulo: Mundo Cultural, 1987. 240 p., fotos color.
  • MOSQUERA, Lala Mendez. Pinturas y Platibandas. SUMMA, Textos Iberos Americanos, Buenos Aires, no. 251, jul. 1988.
  • SOUZA, Okky de. Pela porta da frente. Veja, São Paulo, no. 995, 30 set. 1987.
  • TEIXEIRA LEITE, José Roberto. Post revisitado. São Paulo: Pinacoteca do Estado, maio 1993.
  • VELLUTO, Giordana. Fotógrafa Anna Mariani morre aos 87 anos, em São Paulo. Glamurama, [s.l.], 23 jun. 2022. Disponível em: https://glamurama.uol.com.br/notas/fotografa-anna-mariani-morre-aos-87-anos-em-sao-paulo/. Acesso em: 23 jun. 2022.
  • VELOSO, Caetano. Anna Mariani. El Paseante, Madrid, no. 11, dez. 1988.
  • WERNECK, Humberto. Senhora do Agreste. Elle, set. 1992.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: