Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

A Enciclopédia é o projeto mais antigo do Itaú Cultural. Ela nasce como um banco de dados sobre pintura brasileira, em 1987, e vem sendo construída por muitas mãos.

Se você deseja contribuir com sugestões ou tem dúvidas sobre a Enciclopédia, escreva para nós.

Caso tenha alguma dúvida, sugerimos que você dê uma olhada nas nossas Perguntas Frequentes, onde esclarecemos alguns questionamentos sobre nossa plataforma.

Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Beth Moysés

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 17.06.2022
1960 Brasil / São Paulo / São Paulo
Beth Moysés (São Paulo, São Paulo, 1960). Artista plástica. Utiliza a linguagem performática para propor a reflexão e a discussão sobre a violência doméstica e de gênero para mobilizar a transformação social, evidenciando as questões que permeiam a condição da mulher na sociedade patriarcal.

Texto

Abrir módulo

Beth Moysés (São Paulo, São Paulo, 1960). Artista plástica. Utiliza a linguagem performática para propor a reflexão e a discussão sobre a violência doméstica e de gênero para mobilizar a transformação social, evidenciando as questões que permeiam a condição da mulher na sociedade patriarcal.

Graduada em Artes Plásticas pela Fundação Armando Álvares Penteado (Faap) e com mestrado em Artes pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), sua produção em pintura, iniciada em 1995, incorpora retalhos de tecidos e outros objetos brancos, que remetem alegoricamente à construção sociocultural da feminilidade e da identidade feminina. A artista utiliza o vestido de noiva como instrumento para investigar as articulações simbólicas das relações afetivas, amorosas e domésticas. Na instalação Forro de Sonhos Pálidos (1996), recobre toda a extensão do teto da Capela do Morumbi, em São Paulo, com uma grande quantidade de vestidos de noiva esticados e entrelaçados.

A performance Memórias do afeto (2000), é realizada em 25 de novembro, no Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher. A obra consiste em um manifesto que reúne 150 mulheres voluntárias vestidas de noiva. As participantes seguem em cortejo e caminham ao longo da avenida Paulista, em São Paulo, despetalando rosas do buquê que trazem nas mãos. Para finalizar a ação, os galhos com espinhos são enterrados em praça pública. O trabalho se desdobra em outras performances encenadas com a participação de muitas mulheres, que se mobilizam e se dispõe a realizar as ações em vias públicas.

Diluídas em água é uma performance encenada nas cidades espanholas de Zaragoza (2008) e Salamanca (2009), em São Paulo (2011 e 2015) e Panamá (2013 e 2016). A obra reúne quarenta mulheres, vinte delas provenientes de abrigos para vítimas de violência doméstica que recebem da artista vestidos brancos sobre os quais são incentivadas a escrever, no avesso da roupa, em vermelho, um curto relato dos abusos que sofreram. As outras vinte participantes vestem os trajes com os escritos e caminham, com um pedaço de sabão nas mãos, até o local onde a ação se encerra. O ato final da performance se realiza com a retirada das vestimentas e a lavagem das roupas em bacias de água.

Na obra Removing pain (2010), a artista reúne vinte mulheres vestidas de branco que aplicam maquiagem em seus rostos, representando os hematomas e as marcas da violência sofrida. Elas caminham até um lugar pré-determinado, se colocam em círculo e começam a limpar os rostos uma das outras. Ao final, todas jogam um punhado de arroz para o alto.

Nas proposições de Beth Moysés, a experiência estética se dá por meio da mobilização social coletiva. As ações ritualizam a expiação dos reveses e abusos praticados contra as mulheres.

 

Exposições 45

Abrir módulo

Feiras de arte 2

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 6

Abrir módulo

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: