Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Literatura

José Olympio

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 15.04.2021
10.12.1902 Brasil / São Paulo / Batatais
03.05.1990 Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro
José Olympio Pereira Filho (Batatais, São Paulo, 1902 - Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1990). Editor. Consolida-se como referência no setor editorial, ao ser responsável pela publicação de obras importantes de pesquisadores brasileiros e de escritores ficcionistas nacionais e estrangeiros.

Texto

Abrir módulo

José Olympio Pereira Filho (Batatais, São Paulo, 1902 - Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1990). Editor. Consolida-se como referência no setor editorial, ao ser responsável pela publicação de obras importantes de pesquisadores brasileiros e de escritores ficcionistas nacionais e estrangeiros.

Em 1918, transfere-se para São Paulo a fim de estudar direito. Trabalha como balconista e ajudante na seção de livros da Casa Garraux, livraria e papelaria de origem francesa situada no centro da cidade, importante ponto de encontro da intelectualidade paulistana da época. 

Em pouco tempo torna-se gerente do local e, em 1924, sócio-proprietário, acumulando amizades e dinheiro até se desligar do cargo para abrir sua própria editora em 1931. No mesmo ano publica o primeiro livro com a marca da Editora José Olympio, Conhece-te pela Psicanálise [How to psychoanalyse yourself], do norte-americano Joseph Ralph, que obtém grande êxito comercial, permanecendo no catálogo por cerca de 20 anos. Suas publicações demonstram a preocupação editorial, atrelada ao desenvolvimento comercial.

Devido a problemas econômicos decorrentes da Revolução Constitucionalista de 19321, transfere-se para o Rio de Janeiro em 1934, e a editora passa a ser considerada importante para a vida cultural da cidade. Olympio entra em contato com a intelectualidade do período, de posicionamentos políticos e ideológicos variados, que o leva a publicações que vão de Jorge Amado (1912-2001), escritor ligado ao Partido Comunista do Brasil (PCB), ao fundador do partido Ação Integralista Brasileira (AIB), Plínio Salgado (1895-1975).

Na cidade carioca, consolida-se com sua editora, publicando obras importantes, como Raízes do Brasil (1936), do historiador Sérgio Buarque de Hollanda (1902-1982), e a série Documentos Brasileiros (1936), composta de mais de 200 títulos, coordenada pelos historiadores Gilberto Freyre (1900-1987), Otávio Tarquínio de Souza (1889-1959) e Afonso Arinos de Melo Franco (1905-1990).

Atento às exigências do mercado, José Olympio equilibra o número de publicações entre autores brasileiros e estrangeiros. Em 1943, lança 81 livros, sendo 38 nacionais e 43 traduções, que incluem obras de autores considerados clássicos na literatura mundial, como Honoré de Balzac (1799-1850) e Fiódor Dostoiévski (1821-1881).

Em 1964, instala-se definitivamente na Rua Marquês de Olinda, no bairro de Botafogo. Nesse período, devido ao aumento da concorrência, Olympio se volta para o mercado de livros didáticos.

Permanece na editora até a década de 1980, quando o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) assume as ações.

Relacionando-se com personalidades importantes do meio cultural e político, José Olympio se constitui como referência no setor editorial, ao se mostrar atento às exigências do mercado e ao publicar obras de posicionamentos políticos diversos.

 

Nota

1. A Revolução Constitucionalista de 1932 é um movimento armado motivado pelas insatisfações de setores políticos paulistas com o governo provisório de Getúlio Vargas (1882-1954), exigindo uma nova Constituição para o Brasil. Os embates entre as forças paulistas e nacionais acontecem entre os meses de julho e outubro de 1932.

Fontes de pesquisa 4

Abrir módulo
  • HALLEWELL, Laurence. O livro no Brasil: sua história. Tradução Maria da Penha Villalobos e Lólio Lourenço de Oliveira. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1985.
  • PAIXÃO, Fernando (Coord.). Momentos do livro no Brasil. São Paulo: Ática, 1997.
  • TRIGO, Luciano. Uma trajetória de amor aos livros. G1, Rio de Janeiro, 28 jul. 2008. Disponível em: http://g1.globo.com/platb/maquinadeescrever/2008/07/28/uma-trajetoria-de-amor-aos-livros/. Acesso em: 14 abr. 2021.
  • VILLAÇA, Antônio Carlos. José Olympio: o descobridor de escritores. Rio de Janeiro: Thex Editora, 2001.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: