Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Teatro

Marieta Severo

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 30.08.2021
02.11.1946 Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro
Marieta Severo Da Costa (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1946). Atriz. Intérprete de prestígio, capaz de transitar entre o drama e a comédia, que alterna-se entre o teatro, cinema e televisão. Conjuga sensibilidade e inteligência na construção de personagens como a Solteirona de No Natal a Gente Vem Te Buscar, de Naum Alves de Souza, 1980, ou a ...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Marieta Severo Da Costa (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1946). Atriz. Intérprete de prestígio, capaz de transitar entre o drama e a comédia, que alterna-se entre o teatro, cinema e televisão. Conjuga sensibilidade e inteligência na construção de personagens como a Solteirona de No Natal a Gente Vem Te Buscar, de Naum Alves de Souza, 1980, ou a mãe de A Estrela do Lar, de Mauro Rasi, 1989.

Em 1965, faz curso de interpretação n'O Tablado e, nos anos seguintes, cursos livres com Nelson Xavier, Eugênio Kusnet, Fauzi Arap, Klauss Vianna e Glorinha Beuttenmüller. Ao mesmo tempo, inicia a carreira atuando em As Feiticeiras de Salém, de Arthur Miller, com direção de João Bethencourt, e O Labirinto, de Fernando Arrabal, com direção de Luiz Carlos Maciel, ambos em 1965. Em 1967, atua em Onde Canta o Sabiá, de Gastão Tojeiro, com direção de Paulo Afonso Grisolli. No ano seguinte, destaca-se em Roda Viva, de Chico Buarque, com direção de José Celso Martinez Corrêa. Seguem-se Jorginho, o Machão, de Leilah Assumpção, 1970, O Segredo do Velho Mudo, de Nelson Xavier, e Bordel da Salvação, de Brendan Behan, ambos em 1972, As Desgraças de uma Criança, de Martins Pena, 1973.

Sob a direção de Luís Antônio Martinez Corrêa, atua em O Casamento do Pequeno Burguês, de Bertolt Brecht, 1974, pelo qual recebe o Prêmio Governador do Estado como atriz coadjuvante, Titus Andronicus, de William Shakespeare, 1975, e no musical Ópera do Malandro, de Chico Buarque, em 1978. Depois de Sinal de Vida, de Lauro César Muniz, 1979, protagoniza No Natal a Gente Vem te Buscar, de Naum Alves de Souza. O papel da solteirona que espera em vão a visita da família lhe vale os prêmios Molière e Mambembe do ano de 1980. O crítico Yan Michalski analisa o trabalho da atriz dentro da encenação: "Os quatro intérpretes fornecem, através de minúsculos detalhes de gestos, expressão de rosto, atitude corporal ou tempo de reação, preciosas informações sobre seus sentimentos, suas histórias, suas relações mútuas. Exemplar sob esse aspecto é o trabalho de Marieta Severo, de uma sensibilidade à flor da pele, mas sempre sob o comando da inteligência, e de uma estranha elegância, sob a desajeitada aparência de 'jeca' da sua personagem".1

Volta a atuar nos dois espetáculos seguintes de Naum Alves de Souza, fechando a trilogia memorialista do autor. Em A Aurora da Minha Vida, 1982, Marieta Severo, segundo o crítico Flávio Marinho, "passeia pelos arquétipos de mãe, professora de aula de leitura, aluna adiantada e freira com dons camaleônicos e, quando necessário, com a dose exata de exacerbada histeria".2 Do mesmo autor, faz também Um Beijo, um Abraço, um Aperto de Mão, 1985. Dirigida por Flávio Rangel, atua em Amadeus, de Peter Shaffer, 1982. Em 1987, atua em Ligações Perigosas, de Christopher Hampton, e Cenas de Outono, de Yukio Mishima.

Em 1989, consagra-se como a melhor atriz do ano, recebendo os prêmios Molière, Shell e Mambembe pelo desempenho em A Estrela do Lar, de Mauro Rasi.

Na década de 1990, protagoniza Antígone, de Sófocles, direção de Moacyr Góes, 1992. Em 1995, é dirigida por Gabriel Villela em A Torre de Babel, de Fernando Arrabal, 1995. Em A Dona da História, de João Falcão, 1998, divide o palco com Andréa Beltrão - as duas atrizes interpretam a mesma personagem, com trinta anos de diferença. O crítico Macksen Luiz escreve: "Marieta Severo explora os aspectos banais da personagem com uma trava meio amarga que permite que se tenha a medida das suas dúvidas. Mas é na comicidade mais explícita que Marieta Severo demonstra uma desenvoltura que torna a caricatura de Maria Helena extremamente divertida." 3

Atua em Quem Tem Medo de Virgínia Woolf?, de Edward Albee, direção de João Falcão, 2000, e em Os Solitários, de Nick Silver, direção de Felipe Hirsch, 2002, ambos ao lado de Marco Nanini.

Notas

1 MICHALSKI, Yan. Porque rituais de um natal que não virá. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 11 out. 1980.

2 MARINHO, Flávio. Os melhores anos de nossas vidas. O Globo, Rio de Janeiro, 27 ago. 1982.

3 LUIZ, Macksen. Sintonia de duas atrizes em um baile de histórias. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 17 mar. 1998.

Espetáculos 29

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 8

Abrir módulo
  • ALBUQUERQUE, Johana. Marieta Severo. (ficha curricular) In: _________. ENCICLOPÉDIA do Teatro Brasileiro Contemporâneo. Material elaborado em projeto de pesquisa para a Fundação VITAE. São Paulo, 2000.
  • MICHALSKI, Yan. Porque rituais de um natal que não virá. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 11 out. 1980.
  • Planilha enviada pela pesquisadora Rosyane Trotta. Não Catalogado
  • Programa do Espetáculo - As Centenárias - 2007. Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - Boca Molhada de Paixão Calada - 1984. Não catalogado
  • RODA Viva. Rio de Janeiro: Teatro Oficina Uzyna Uzona, [1968]. 1 programa do espetáculo realizado no Teatro Princesa Isabel.
  • SEVERO, Marieta. Rio de Janeiro: Funarte / Cedoc. Dossiê Personalidades Artes Cênicas.
  • VERGUEIRO, Maria Alice. Maria Alice Vergueiro. São Paulo: [s.n.], s.d. Entrevista concedida a Rosy Farias, pesquisadora da Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. Não Catalogado

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: