Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Literatura

Ana Miranda

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 01.09.2017
19.08.1951 Brasil / Ceará / Fortaleza
Ana Maria de Nóbrega Miranda (Fortaleza, Ceará, 1951). Romancista, poeta e atriz. Vive dois anos no Rio de Janeiro e, aos 5 anos, migra com a família para Brasília. De 1969 a 1999, retorna à capital carioca. Estuda pintura com artistas plásticos, como Roberto Magalhães (1940) e Rubens Gerchman (1942-2008), e inicia a carreira de escritora. Entre...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Ana Maria de Nóbrega Miranda (Fortaleza, Ceará, 1951). Romancista, poeta e atriz. Vive dois anos no Rio de Janeiro e, aos 5 anos, migra com a família para Brasília. De 1969 a 1999, retorna à capital carioca. Estuda pintura com artistas plásticos, como Roberto Magalhães (1940) e Rubens Gerchman (1942-2008), e inicia a carreira de escritora. Entre 1971 e 1979, atua em vários filmes do cinema novo brasileiro.

Seu primeiro romance, Boca do Inferno (1989), recebe o Prêmio Jabuti de revelação em 1990 e é considerado um dos 100 romances mais influentes da língua portuguesa no século XX pelo jornal O Globo. Ana é reconhecida por seus romances históricos, que associam ficção com pesquisa documental minuciosa. Produz também poesia, novela, roteiros cinematográficos, ensaios, textos críticos, edição e pesquisa de originais, tendo preparado para publicação obras de Vinicius de Moraes (1913-1980) e Otto Lara Resende (1922-1992).

De 1977 a 1983, torna-se editora-chefe do Instituto de Artes da Fundação Nacional de Artes (Funarte). Colabora para importantes publicações nacionais, como a revista Caros Amigos e no jornal Correio Braziliense. É escritora visitante em universidades estrangeiras, como Stanford, Yale e Berkeley, nos Estados Unidos, e Tor Vergata, na Itália. Em 2015,  recebe o título de doutora honoris causa da Universidade Federal do Ceará (UFC). Em 2003, seu livro Desmundo (1996) é adaptado para o cinema, com roteiro e direção de Alain Fresnot (1951).

Análise

Ana Miranda tem extensa obra autoral, com destaque para os romances históricos. O primeiro deles – e talvez o de maior alcance – é Boca do Inferno. A obra projeta a autora no cenário literário internacional, recebendo várias traduções e críticas favoráveis. Trata-se de um romance de redimensionamento histórico, que se passa em Salvador, na Bahia do século XVII. Os personagens principais são o poeta barroco Gregório de Matos (1636-1696), conhecido como o Boca do Inferno, e o jesuíta sermonista Padre Antônio Vieira (1608-1697). A obra recorre às estratégias do gênero, como a fusão entre acontecimentos documentais e inventados e a intertextualidade. Desse modo, a autora expõe os desmandos e os costumes questionáveis da organização política colonial na Bahia.

O romance histórico também é desenvolvido em outras obras. O Retrato do Rei (1991) trata da Guerra dos Emboabas, durante o ciclo do ouro em Minas Gerais. A Última Quimera traz o poeta Augusto dos Anjos (1884-1914) como protagonista e apresenta, como pano de fundo, o início do século XX no Rio de Janeiro. Desmundo, por sua vez, baseia-se nas órfãs que vêm de Portugal, em 1555, para se casarem com os colonos brasileiros. Dias & Dias (2002) aborda a vida íntima do poeta Gonçalves Dias (1823-1864), com base em sua correspondência.

Debates 1

Abrir módulo

Palestras 1

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 2

Abrir módulo
  • COELHO, Nelly Novaes. Dicionário crítico de escritoras brasileiras. São Paulo: Escrituras Editora, 2002. p. 59- 60
  • MIRANDA, Ana. Boca do Inferno. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: