Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Celso Oliveira

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 17.03.2017
27.10.1957 Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro
Celso Oliveira

Xapurí - Acre - Brasil, 1998
Celso Oliveira
Matriz negativo, p&b

Celso de Oliveira Silva (Rio de Janeiro RJ 1957). Fotógrafo. Começa a fotografar em 1975 enquanto trabalha como assistente de laboratório no Estúdio Fotografismo e Artes, no Rio de Janeiro. Em seguida, transfere-se para São Paulo e inicia a carreira de fotojornalista, colaborando em diversos jornais e revistas como Veja, IstoÉ, Visão, Tênis Espo...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Celso de Oliveira Silva (Rio de Janeiro RJ 1957). Fotógrafo. Começa a fotografar em 1975 enquanto trabalha como assistente de laboratório no Estúdio Fotografismo e Artes, no Rio de Janeiro. Em seguida, transfere-se para São Paulo e inicia a carreira de fotojornalista, colaborando em diversos jornais e revistas como Veja, IstoÉ, Visão, Tênis Esporte e O Globo. Em 1980, muda-se para Fortaleza, onde integra a equipe coordenada por Chico Albuquerque (1917-2000) no jornal O Povo e participa do grupo de fotógrafos Dependentes da Luz. Na capital cearense, junto com o fotógrafo Tiago Santana (1966), em 1994, cria a agência e editora Tempo D'Imagem, com o objetivo de desenvolver ensaios documentais e livros de fotografia. Seu trabalho está voltado, sobretudo, para o registro de manifestações culturais e festas populares do Nordeste. Participa de diversas exposições, tanto no Brasil quanto no exterior, entre as quais se destaca o 5º Colóquio Latino-Americano de Fotografia, realizado na Cidade do México, em 1996. No fim da década de 1990, com Santana, Antonio Augusto Fontes (1948), Ed Viggiani (1958) e Elza Lima (1952), desenvolve o projeto Brasil sem Fronteiras, documentando as cidades fronteiriças do oeste do país. O trabalho dá origem a um livro homônimo, lançado em 2001. Oliveira vive entre Fortaleza e Rio de Janeiro, onde mantém uma filial da editora Tempo D'Imagem.

Análise

Celso Oliveira se dedica, sobretudo, a projetos de fotografia documental. Diferente do fotojornalismo diário em que o profissional registra acontecimentos pontuais e não tem controle sobre o que será publicado, o fotodocumentarista escolhe o assunto, aborda-o num tempo alargado e edita as próprias imagens. Com o intuito de afirmar um ponto de vista pessoal, para ele as questões estéticas são tão importantes quanto a representação do referente. O trabalho é visto como uma junção de arte e jornalismo e seu objetivo é quase sempre a realização de livros e exposições. Do ponto de vista histórico, o trabalho de Oliveira se alinha à tradição documental internacional representada pelos fundadores da agência Magnum Photos: Robert Capa (1913-1954), Henry Cartier-Bresson (1908-2004), David Seymour (1911-1956) e George Rodger (1908-1995). Para eles, a fotografia não é um testemunho imparcial, mas uma forma de intervenção social.  Por ela, poderiam revelar realidades pouco conhecidas e denunciar injustiças.

Os principais temas de Oliveira são a cultura popular e as festas religiosas do Norte e Nordeste do Brasil. Em seu trabalho, os enquadramentos e a ordenação dos elementos no plano afastam a fotografia de uma dimensão meramente objetiva. Buscando evitar o imediatismo da mensagem, o fotógrafo frequentemente mostra indivíduos fragmentados, borrados ou encobertos por objetos. Como num desenho inacabado que torna presente algo que não está completo, os desfocamentos e cortes levam o observador a imaginar como são as formas das coisas que estão ocultas.

Obras 12

Abrir módulo

Exposições 40

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 9

Abrir módulo
  • BIENAL Fotojornalismo Brasileiro (1990-1995). Curadoria Nelson Aguilar, Agnaldo Farias, Anna Carboncini. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1995.
  • BRASIL sem fronteiras. Texto Claudio Bojunga, Pedro Karp Vasquez, Angela Magalhães, Nadja Peregrino. Rio de Janeiro: Tempo d'Imagem, 2001. 180 p.
  • CARBONCINI, Anna (Coord.). Coleção Pirelli/ MASP de Fotografias: v. 6. São Paulo: MASP, 1996.
  • FERNANDES JÚNIOR, Rubens. Labirinto e identidades: panorama da fotografia no Brasil [1946-1998]. São Paulo: Cosac & Naify, 2003.
  • MUSEU DO CEARÁ. Quem somos nós: fotografia - Tiago Santana e Celso Oliveira. Texto Angela Magalhães, Nadja Peregrino; tradução Thaís Costa. Fortaleza: Museu do Ceará. 20 p., il. p&b.
  • PAIVA, Joaquim (org.). Visões e alumbramentos: fotografia brasileira contemporânea na coleção Joaquim Paiva. Versão em inglês Katica Szabó, Laura Ferrari. São Paulo: BrasilConnects Cultura & Ecologia, 2002.
  • PERSICHETTI, Simonetta. Imagens da fotografia brasileira 2. São Paulo: Estação Liberdade: Senac, 2000.
  • SALÃO ARTE PARÁ, 19., 2000, Belém, PA. Arte Pará 2000 = Arte Pará dois mil: a influência da arte e cultura italianas na arte e cultura do Pará. Curadoria Jussara da Silveira Derenji; tradução Guido Oddenino, Liceu Italiano. Belém: Fundação Romulo Maiorana, 2000. Disponível em: http://www.mediacenterliberal.com.br/pdf/catalogo2000.pdf. Acesso em: 30 jun. 2020.
  • SOUZA, Jorge Pedro. Uma história crítica do fotojornalismo ocidental. Florianópolis; Chapecó: Letras Contemporâneas; Editora Grifos, 2000.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: