Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Música

Eduardo Dussek

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 15.10.2019
01.01.1958
Eduardo Gabor Dussek (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1958). Cantor, compositor, tecladista, ator, diretor musical e teatrólogo. Estuda piano na Escola Nacional de Música e, aos 15 anos, toca em peças de teatro. Em 1978, lança o compacto Não Tem Perigo e Apelo da Raça (parcerias com Luiz Antonio de Cássio). Ganha projeção com a comédia besteirol...

Texto

Abrir módulo

Eduardo Gabor Dussek (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1958). Cantor, compositor, tecladista, ator, diretor musical e teatrólogo. Estuda piano na Escola Nacional de Música e, aos 15 anos, toca em peças de teatro. Em 1978, lança o compacto Não Tem Perigo Apelo da Raça (parcerias com Luiz Antonio de Cássio). Ganha projeção com a comédia besteirol, forma escrachada de humor, com Folia No Matagal (1979). O espetáculo é dirigido por Luis Carlos Góes (1945-2014), coautor da faixa título e seu letrista mais frequente. Dentre os intérpretes estão As Frenéticas, Maria Alcina (1949), e Ney Matogrosso (1941).

Em 1980, participa do Festival MPB Shell 80, da Rede Globo, no qual defende a balada “Nostradamus”. No ano seguinte, lança o primeiro disco, Olhar Brasileiro. Dois anos mais tarde, no MPB Shell 82, inscreve a valsa “Valdirene, a Paranormal”, mas apresenta outra música, o pop rock “Barrados No Baile” (com Luiz Carlos Góes), do disco Cantando No Banheiro (1982).

Em 1984, lança o disco Brega Chique, cuja faixa título (com Luiz Carlos Góes) faz sucesso e fica conhecida como “Doméstica” por causa do refrão. No repertório, há “Serra da Boa Esperança”, de Lamartine Babo (1904-1963); “Londrina”, de Arrigo Barnabé (1951); “O Crápula” e “Recebi seu Bilhetinho”, de Herbert Vianna (1961) e “Soraia”, do Trio Parada Dura. Em 1986, lança Dusek Na Sua, que destaca a balada “Aventura” (com Luiz Carlos Góes) e títulos como “Eu Velejava em Você”, sucesso na voz de  Zizi Possi (1956), em 1981. Em 1989, integra o elenco do musical A Pequena Loja de Horrores, no papel do dentista. Em 1985, participa do show teatral Yes, Nós Temos Braguinha (Teatro Municipal do Rio de Janeiro).

Nos anos de 1990, lança Contatos (1991) e dedica-se à produção de shows, de artistas como Amado Batista (1951), Roberta Miranda (1956) e Mara Maravilha (1968). Comanda o programa Alô Brasil Bar (1994) e faz o personagem Capitão-Mor Gonçalo na novela Xica da Silva (1996), ambos da Rede Manchete. 
 
Em 2000, lança o CD Adeus Batucada, com repertório de Carmen Miranda (1909-1955) e o espetáculo Carmem Miranda By Eduardo Dussek. Em 2006, integra o filme Federal, de Erik de Castro (1971), no papel do traficante Beque. No mesmo ano, estreia no musical Sassaricando, e no de O Rio Inventou a Marchinha, crônica dos costumes do Rio de Janeiro, contada por meio de canções de Noel Rosa (1910-1937), Lamartine Babo e Braguinha (1907-2006), lançada em disco.

Obras 18

Abrir módulo

Espetáculos 2

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 6

Abrir módulo
  • ALEXANDRE, Ricardo. Dias de luta: o rock e o Brasil dos anos 80. São Paulo: DBA Artes Gráficas, 2002.
  • ALZER, Luiz André; CLAUDINO, Mariana. Almanaque dos Anos 80. Rio de Janeiro: Ediouro, 2004.
  • DAPIEVE, Arthur. BRock: o rock brasileiro dos anos 80. São Paulo: Editora 34, 1995.
  • DOLABELA, Marcelo. ABZ do rock brasileiro. São Paulo. Estrela do Sul, 1987.
  • MELLO, Luiz Antonio. A onda maldita: como nasceu a Fluminense FM. Niterói, RJ. Arte & Cultura, 1992.
  • MOTTA, Nelson. Noites tropicais: solos, improvisos e memórias musicais. Rio de Janeiro: Objetiva, 2000.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: