Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Arthur Omar

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 21.03.2017
12.03.1948 Brasil / Minas Gerais / Poços de Caldas

Atos de Diamante, 1998
Arthur Omar
Videoinstalação

Arthur Omar de Noronha Squeff (Poços de Caldas MG 1948). Fotógrafo, artista multimídia. Formado em sociologia. Trabalha com diferentes linguagens, como cinema, vídeo, fotografia, instalações, música, poesia e desenho. Escreve também ensaios e reflexões teóricas sobre arte. Realiza, em 1974, o longa-metragem Triste Trópico, selecionado, em 1982, ...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Arthur Omar de Noronha Squeff (Poços de Caldas MG 1948). Fotógrafo, artista multimídia. Formado em sociologia. Trabalha com diferentes linguagens, como cinema, vídeo, fotografia, instalações, música, poesia e desenho. Escreve também ensaios e reflexões teóricas sobre arte. Realiza, em 1974, o longa-metragem Triste Trópico, selecionado, em 1982, para a mostra retrospectiva do cinema brasileiro no Festival dos Três Continentes, em Nantes, França, e vídeos sobre a produção de diversos artistas, como O Nervo de Prata, em 1987, sobre Tunga (1952), e Derrapagem no Éden, em 1997, sobre Cildo Meireles (1948). Como experiências no campo da videoinstalação faz Tristão e Isolda, em 1983; Silêncios do Brasil, em 1992; Inferno, em 1994, e Atos de Diamante, em 1998. Apresenta na 24ª Bienal Internacional de São Paulo o conjunto de fotografias Antropologia da Face Gloriosa, painel com 99 imagens em preto-e-branco, desenvolvido pelo artista em 20 anos. Algumas dessas imagens são retrabalhadas na série colorida A Pele Mecânica, 2003. Omar recebe prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte - APCA, pelas exposições O Esplendor dos Contrários e Fracções de Luz, ocorridas em 2001. Publica os livros de fotografias Antropologia da Face Gloriosa, 1998, O Zen e a Arte Gloriosa da Fotografia, 1999, e O Esplendor dos Contrários, 2002.

Análise

Arthur Omar inicia sua trajetória artística na década de 1970, atuando como diretor de cinema. Posteriormente, trabalha também com vídeo, fotografia e escreve ensaios estéticos e poéticos. Na série de fotografias intitulada Antropologia da Face Gloriosa (1973-1998), realizada em preto e branco, registra pessoas anônimas, participantes do carnaval no Rio de Janeiro, procurando captar as expressões de desvario, alegria ou tristeza em seus rostos. A partir dessas fotos, interfere na revelação, acrescentando cores ou trilhas luminosas, como na série A Pele Mecânica (2003), em que explora ainda a serialidade da Arte Pop.

Demônios, Espelhos e Máscaras Celestiais (1998) é um conjunto de auto-retratos, nos quais o artista produz intervenções gráficas e pictóricas durante a revelação, dando-lhes caráter aterrorizante ou trágico. Já na série O Esplendor dos Contrários (2001), realiza fotos de paisagens amazônicas, em que recria a luz e a espacialidade do lugar.

Os temas ligados ao êxtase, à violência social e também à construção de metáforas visuais marcam a sua trajetória.

Obras 6

Abrir módulo
Reprodução fotográfica Sérgio Guerini/Itaú Cultural

Dionisíaca

Fotografia p&b

Debates 1

Abrir módulo

Espetáculos 1

Abrir módulo

Exposições 90

Abrir módulo

Feiras de arte 2

Abrir módulo

Festivais 1

Abrir módulo

Mesas redondas 1

Abrir módulo

Mostras audiovisuais 16

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 6

Abrir módulo
  • BIENAL INTERNACIONAL DE SÃO PAULO, 24. , 1998, São Paulo. Núcleo histórico: antropofagia e histórias de canibalismos. Curadoria Paulo Herkenhoff, Adriano Pedrosa. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1998.
  • FARIAS, Agnaldo. Arte brasileira hoje. São Paulo: Publifolha, 2002. (Folha explica, 40).
  • OMAR, Arthur, MANDARINO, Luciane (coord. ). Demônios, espelhos e máscaras celestiais. Texto Antonio Gonçalves Filho, Arthur Omar, Ligia Canongia; projeto gráfico Arthur Omar, João Modé; versão em inglês Stephen Berg. Rio de Janeiro : Centro Cultural Light, 1998. 28p. il. color.
  • OMAR, Arthur. A pele mecânica. São Paulo: Galeria Nara Roesler, 2003.
  • OMAR, Arthur. Antropologia da face gloriosa. São Paulo: Cosac & Naify, 1977.
  • OMAR, Arthur. O esplendor dos contrários. Aventuras da cor caminhando sobre as águas do Rio Amazonas. São Paulo : Cosac & Naify, 2003. OMAR, Arthur. O Zen e a arte gloriosa da fotografia : livro de trabalho. Texto Ligia Canongia, Arthur Omar, Aluisio Pereira de Menezes; versão em inglês Luís Augusto Silveira; design Sônia Barreto. Rio de Janeiro : Centro Cultural Banco do Brasil, 1999. 76 p. il. p. b.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: