Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Teatro

Jacó Guinsburg

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 22.10.2018
20.09.1921 Moldávia / a definir / Riscani
21.10.2018 Brasil / São Paulo / São Paulo
Jacó Guinsburg (Riscani, Bessarábia, atual Moldávia 1921 - São Paulo, São Paulo, 2018). Crítico, ensaísta e professor. O mais importante especialista em teatro russo e ídiche entre nós, semiologista e teórico do teatro. Diretor de coleções e editor de obras indispensáveis sobre teatro pela Editora Perspectiva.

Texto

Abrir módulo

Biografia

Jacó Guinsburg (Riscani, Bessarábia, atual Moldávia 1921 - São Paulo, São Paulo, 2018). Crítico, ensaísta e professor. O mais importante especialista em teatro russo e ídiche entre nós, semiologista e teórico do teatro. Diretor de coleções e editor de obras indispensáveis sobre teatro pela Editora Perspectiva.

Emigra com seus pais para o Brasil em 1924. Na juventude acompanha o movimento intelectual e político do país e interessa-se pelo trabalho teatral na coletividade judaica, bem como pelo processo de renovação do teatro brasileiro. Escreve na imprensa de São Paulo e do Rio de Janeiro sobre literatura brasileira e internacional e colabora em revistas da comunidade judaica com artigos no campo das artes, da literatura e, inclusive, da crítica teatral. Liga-se às atividades editoriais desde 1947, nas Editoras Rampa, Perspectiva (primeira com esse nome), na Difusão Européia do Livro, fundando posteriormente a atual Editora Perspectiva, e também a Editora Polígono.

Passa uma temporada na França como bolsista nesse setor, nos anos de 1962 e 1963, em cujo transcurso faz cursos de filosofia na Sorbonne e entra em contato com a produção cênica francesa e européia.

No seu retorno prossegue no trabalho de tradutor e de produtor editorial na Difel (Difusão Européia do Livro), para a qual também traduz tomos da História da Civilização, de Crouzet, e obras de Jean-Paul Sartre, Descartes e Platão, dentre outras. Ao mesmo tempo começa a escrever com maior freqüência sobre temas teatrais para o Suplemento Literário de O Estado de S. Paulo, em cujas páginas responde por uma seção de Letras Judaicas.

Na década de 60, organiza ainda para a Cultrix, na série dirigida por José Paulo Pais, a coletânea de textos de Diderot, que é reeditada pela Editora Abril na coleção Os Pensadores e, mais tarde, revista e consideravelmente aumentada pela Editora Perspectiva, sob o título Obras I: Filosofia e Política e Obras II: Estética, Poética e Contos, em 2000.

Sua maior aproximação com a arte dramática e seu ensino começa em 1964, na Escola de Arte Dramática - EAD, onde ministra a cadeira de crítica teatral e, posteriormente, em 1967, no então recém-criado Departamento de Teatro, mais tarde, de Artes Cênicas, da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, ECA/USP. Sob este novo prisma, passou a concentrar seus estudos particularmente em teoria e estética teatral e no teatro russo, judeu e ídiche e no teatro do absurdo.

Em 1985 publica Stanislávski e o Teatro de Arte de Moscou, baseado na sua tese de Livre-Docência, pela Editora Perspectiva; em 1989, Leone de'Sommi, Homem de Teatro do Renascimento, com a tradução da primeira comédia hebraica de autoria de Leone de'Sommi; em 1996, Aventuras de uma Língua Errante: Ensaios de Literatura e Teatro Ídiche, reelaboração e desenvolvimento de sua tese de doutorado com o mesmo título, de 1973; em 1983, escreve com Maria Thereza Vargas o ensaio sobre Cacilda Becker: A Face e a Máscara, que consta do livro: Uma Atriz: Cacilda Becker, de Nanci Fernandes e Maria Thereza Vargas.

Na área teórica e de análise estética, publica em 1986, Semiologia do Teatro de cuja organização também participam Teixeira Coelho e Reni Chaves Cardoso. E, em 2001, publica Da Cena em Cena: Ensaios de Teatro, livro que aborda aspectos relevantes de concepções e correntes estéticas no teatro.

Dentre os estudos e ensaios consagrados ao teatro e publicados em livros, jornais e revistas especializadas, salientam-se: A Idéia de Teatro; Diálogo sobre a Natureza do Teatro; Vanguarda e Absurdo, uma Cena de Nosso Tempo; Evreinov: o Teatro da Vida; Teatro-Studio; Tairov: Notas para um Teatro de Síntese; Meierhold e Grotowski; e Quarenta anos de Habima. Traduziu também, do repertório dramático: Crimes e Crimes, de Strindberg, em 1952 e publicado pela Edusp, em 1999; O Dibuk, de Sch. Ans-ki, publicado em 1952, reeditado em 1965 pela Brasiliense e, em 1988, pela Perspectiva; Pirandello: do Teatro no Teatro, Perspectiva, 1999.

Diretor Presidente da Editora Perspectiva, vem desbravando especialmente o campo da estética e dos estudos teatrais com uma notável linha editorial, cujos títulos já se constituem em bibliografia obrigatória. Diálogos sobre Teatro, organizado por Armando Sérgio da Silva, em 1992, reúne sob a forma de ensaios a maior parte dos temas acadêmicos que Jacó abordou e redigiu com seus orientandos e ex-alunos, abrangendo diferentes áreas da arte cênica, no âmbito da discussão teórica e da reflexão sobre a prática teatral e da arte e educação. De seus projetos editoriais também fazem parte a organização e a publicação da  larga e importante obra do filósofo, crítico e ensaísta, Anatol Rosenfeld, trabalho em que conta com a colaboração de Nanci Fernandes e Abílio Tavares, e que se apresenta até o momento em 17 volumes agrupados por temas afins.

Aposentado da ECA/USP desde 1991 e homenageado com o título de Professor Emérito da USP em 2001, recebe em 1975 a Medalha Anchieta da Câmara Municipal de São Paulo e o Prêmio do Mérito Intelectual Judaica, em 1983, pelo Congresso Judio Latinoamericano, rama Del Congreso Judio Mundial.

Sobre sua importância no panorama do pensamento estético nacional, destaca o crítico Sábato Magaldi: "[...] ele é ensaísta de primeira grandeza - rigoroso, culto, conhecedor profundo de seu objeto de estudo, e se movimenta com desenvoltura pela estética, pela filosofia e pela arte, em que o teatro se tornou o foco privilegiado, além de dispor de sóbria elegância no domínio do idioma".1

Notas
1. MAGALDI, Sábato. Apresentação. In: GUINSBURG, Jacó. Da cena em cena. São Paulo: Perspectiva, 2001.

Espetáculos 2

Abrir módulo

Mesas redondas 1

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 6

Abrir módulo
  • ALBUQUERQUE, Johana. Jacó Guinsburg (ficha curricular) In: ___________. ENCICLOPÉDIA do Teatro Brasileiro Contemporâneo. Material elaborado em projeto de pesquisa para a Fundação VITAE. São Paulo, 2000.
  • GUINSBURG, Jacó. Memorial. Comunicações e Artes, São Paulo, ano 13, n. 19, p. 103-114, 1988.
  • MICHALSKI, Yan. Jacó Guinsburg. In: __________. PEQUENA Enciclopédia do teatro Brasileiro Contemporâneo. Material inédito, elaborado em projeto para o CNPq. Rio de Janeiro, 1989.
  • O Diário de Anne Frank. São Paulo: s.l., 1977. 1 programa de espetáculo.
  • PINTO, Manuel da Costa. Editor, crítico e ensaísta Jacó Guinsburg morre em São Paulo, aos 97 anos. Folha S. Paulo, 21 out. 2018. Disponível em: < https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2018/10/editor-critico-e-ensaista-jaco-guinsburg-morre-em-sao-paulo-aos-97-anos.shtml >. Acesso em: 22 out. 2018.
  • Programa do Espetáculo - Equus - 1975.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: