Artigo da seção pessoas Claudio Cretti

Claudio Cretti

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deClaudio Cretti: 1964 Local de nascimento: (Brasil / Pará / Belém)

Biografia
Claudio Felipe de Oliveira Cretti (Belém, Pará, 1964). Escultor, desenhista, professor e cenógrafo. Ainda bebê, passa a viver em Pirassununga, São Paulo, até 1979, quando se transfere para a capital. Em 1981, estuda no Instituto de Arte e Decoração (Iade). Em 1984, ingressa no curso de artes plásticas da Escola Belas Artes, porém não chega a cursá-lo por um ano.

Em 1985, envolve-se com o trabalho teatral no grupo Ponkã e dedica-se ao desenho. Realiza a performance Criptoprismática (1985) no 3° Salão Paulista de Arte Contemporânea - onde recebe o Prêmio Estímulo - e na Pinacoteca do Estado de São Paulo (Pesp). Em 1986, atua em espetáculos com o grupo Dramáticos. Trabalha no setor educativo na 19ª Bienal Internacional de São Paulo, apresentando a performance Aceita um Chopp, Duchamp? (1987). No período, inicia uma reflexão sobre a educação na arte e, no ano seguinte, trabalha no Projeto Enturmando, da Secretaria do Estado do Menor, em oficinas de arte para crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social, projeto que coordena até 1992.

Executa cenário e figurinos para espetáculos Como Tupi Tu És (1999), de Ivaldo Bertazzo (1949). Coordena a Ação Educativa do Instituto Tomie Ohtake de 2003 a 2008, e passa a atuar como consultor na instituição. Em 2004, a Rede Sesc/Senac de Televisão realiza o documentário Claudio Cretti: A Autonomia da Forma, para a série O Mundo da Arte. Em 2009, coordena a exposição coletiva Desenhar Lugares, na Galeria Marilia Razuk. No mesmo ano, elabora o livro José Antonio da Silva, para o público infantil.  

Comentário crítico
A abordagem de Claudio Cretti sobre a arte propõe intermediações entre o bi e o tridimensional. Na década de 1990, entre os grandes relevos produzidos pela colagem de camadas de papéis recobertos por pigmento e suas primeiras esculturas em mármore ou madeira, há um diálogo estabelecido por meio da textura, do volume e do caráter planar. Já os pequenos relevos posteriores, em fibra de vidro, transitam entre a definição de pintura e objeto. São produzidos com rasgos na fibra de vidro, sobre a qual são depositadas camadas de pigmento. A porosidade da cor compõe a leve espessura do trabalho. Os limites dos relevos formam desenhos indefinidos, tal como o traçado de aparência acidental dos mapas.

Os desenhos com bastão oleoso da década de 1990 também dialogam com a produção escultórica pela densidade da matéria e o caráter estrutural das formas. Os Desenhos de Chão e Parede (2009), ganham o espaço real com a mistura de elementos bi e tridimensionais. Em um desses trabalhos, Acima e Abaixo (2009), o papel-arroz, o mármore e a fita adesiva atuam tanto como suportes quanto como materiais de desenho. Os volumes também se tornam superfícies e os planos avançam sobre o espaço.

Não é possível nomear com exatidão as formas que compõem seus trabalhos. Mesmo os títulos das obras, muitos extraídos da literatura, funcionam como um arranjo improvável para definir algo novo,1 nomeiam não as formas em si, mas as relações que estabelecem.

Notas
1 Luz de Ouvido é uma referência ao romance Uma Luz em Meu Ouvido, de Elias Canetti (1905-1994). Coisa Livre de Coisa é um verso do poema Origem, de Carlos Drummond de Andrade (1902-1987). Céu Tombado refere-se a um poema de Manuel Bandeira (1886-1968). E o título Onde a Pedra Aflora é oriundo do poema O Ermo, de Libério Neves (1934). In: LOPES, Fernanda; et al. Claudio Cretti. São Paulo: Martins Fontes, 2013, p. 22.

Outras informações de Claudio Cretti:

  • Outros nomes
    • Claudio Felipe de Oliveira Cretti
    • Cláudio Cretti
    • Claudio Felipe O. Cretti
  • Habilidades
    • professor
    • desenhista
    • Cenógrafo
    • escultor

Exposições (43)

Todas as exposições

Eventos relacionados (1)

Artigo sobre sp-arte 2011

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de iníciosp-arte 2011: 12-05-2011  |  Data de término | 15-05-2011
Resumo do artigo sp-arte 2011:

Fundação Bienal de São Paulo

Fontes de pesquisa (16)

  • PINACOTECA do Município de São Paulo: Coleção de Arte da cidade. Apresentação Carlos Augusto Calil; Texto Maria Camila Duprat Martins, Stella Teixeira de Barros, Evando Piccino et. al. São Paulo: Banco Safra, 2005. 356 p.
  • SINGULAR e Plural. Curadoria e texto Cauê Alves. São Paulo: Marília Razuk Galeria de Arte, 2006. 1 folha dobrada. Exposição realizada na Marília Razuk Galeria de Arte, no período de 4 out. a 12 nov. 2006.
  • CHIARELLI, Tadeu. Claudio Cretti abre mostra na Itaú Galeria. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 16 jun. 1994, Caderno 2, p. 6.
  • CLAUDIO CRETTI. Site do artista. São Paulo, s.d.. Disponível em: < http://www.claudiocretti.com.br. >. Acesso em: 30 abr. 2014.
  • CRETTI, Claudio. Claudio Cretti - esculturas e desenhos. Texto Noemi Jaffé. Belo Horizonte: Fundação Clóvis Salgado, 2008. 14 p. Exposição realizada na Fundação Clovis Salgado, no período de 31 jan. a 2 mar. 2008. 
  • CRETTI, Claudio. Claudio Cretti. Texto Tadeu Chiarelli. São Paulo: Marília Razuk Galeria de Arte, 2003. folha dobrada. Exposição realizada na Marilia Razuk Galeria de Arte, no período de 13 ago. a 9 set. 2003.
  • CRETTI, Cláudio. Cláudio Cretti. São Paulo: Itaú Galeria, 1994. Exposição realizada na Itaugaleria (Avenida Higienópolis), no período de 16 jun. a 8 jul. 1994.
  • CRETTI, Claudio. Claudio Cretti. São Paulo: Marília Razuk Galeria de Arte, 2000. [16 p.]. Exposição realizada na Marília Razuk Galeria de Arte, no período de 15 mar. a 10 abr. 2000.
  • CRETTI, Claudio. Claudio Cretti. Texto Juliana Monachesi. São Paulo: Paço das artes, 2004. [32 p.]. Exposição realizada no Paço das Artes, no período de 16 set. a 10 out. 2004.
  • CRETTI, Claudio. Claudio Cretti. Texto Lorenzo MammÌ. São Paulo: Marília Razuk Galeria de Arte, 1997. [16 p.]. Exposição realizada na Marília Razuk Galeria de Arte, no período de 24 set. a 22 out. 1997.
  • CRETTI, Claudio. Claudio Cretti: onde pedra a flora. Texto Lorenzo Mammì. São Paulo: Pinacoteca do Estado, 2006. 1 folha dobrada. Exposição realizada na Estação Pinacoteca, no período de 8 jun. a 16 jul. 2006. 
  • FERREIRA, José Bento. O sentido oposto. 01 jan. 2009. In: CLAUDIO CRETTI. Site do Artista, São Paulo, s.d. Disponível em: < http://www.claudiocretti.com.br/portu/depo2.asp?flg_Lingua=1&cod_Depoimento=54 >. Acesso em: 5 mai. 2014.
  • LOPES, Fernanda et al. Claudio Cretti. São Paulo: Martins Fontes, 2013. 207 p. 
  • MAC ENCONTRA os artistas: Claudio Cretti. São Paulo: Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo. Documentário, 30 abr. 2013, 93 min. Disponível em: < http://www.mac.usp.br/mac/conteudo/cursoseventos/mac_encontra/2013_1/claudiocretti_vd.asp >. Acesso em: 15 mai. 2014.
  • VICALVI, Carlos Alberto (dir.). Claudio Cretti: a autonomia da forma. São Paulo: Rede Sesc/Senac de Televisão, 2004, 24 min. Disponível em: < http://tal.tv/video/claudio-cretti-a-autonomia-da-forma/ >. Acesso em: 20 jul. 2014.
  • WEISS, Ana. Claudio Cretti mostra desenhos e esculturas que desafiam a gravidade. O Estado de S. PauloSão Paulo, 15 mar. 2000, Caderno 2, D 6.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • CLAUDIO Cretti. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa10735/claudio-cretti>. Acesso em: 08 de Dez. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7