Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Marina Saleme

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 26.07.2017
1958 Brasil / São Paulo / São Paulo
Reprodução fotográfica Romulo Fialdini

Sem Título, 1994
Marina Saleme
Óleo sobre tela
250,00 cm x 200,00 cm

Marina Saleme (São Paulo, São Paulo, 1958). Pintora, desenhista, fotógrafa, professora. Freqüenta curso de desenho em Montreaux, Suíça, em 1976, e, no ano seguinte, em São Paulo, curso livre de pintura na Fundação Armando Álvares Penteado (Faap), onde, em 1982, conclui licenciatura em artes plásticas. Em 1981, faz curso de desenho e pintura com ...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Marina Saleme (São Paulo, São Paulo, 1958). Pintora, desenhista, fotógrafa, professora. Freqüenta curso de desenho em Montreaux, Suíça, em 1976, e, no ano seguinte, em São Paulo, curso livre de pintura na Fundação Armando Álvares Penteado (Faap), onde, em 1982, conclui licenciatura em artes plásticas. Em 1981, faz curso de desenho e pintura com Carlos Fajardo (1941) e, em 1985, freqüenta o curso de desenho de Cássio Michalany (1949), no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM/SP). Em 1989, estuda história da arte com Rodrigo Naves (1955) e, em 1990, estética, com Alberto Tassinari. Desde 1997, ilustra a coluna Tendências e Debates do jornal Folha de S. Paulo. Em 1999, integra o programa Temporada de Projetos, no Paço das Artes, São Paulo. A partir de 2002, ministra o curso Pintura e seus Processos Criativos, no Instituto Tomie Ohtake (ITO). Em 2004, é artista residente no projeto Surface Sensible, no Centre d'Art Contemporaine de Baie-Saint-Paul, em Quebec, Canadá. Em 2005, cria o cenário do espetáculo Milágrimas, de Ivaldo Bertazzo (1949), e, no ano seguinte, apresenta a exposição individual Contadores, na Pinacoteca do Estado de São Paulo (Pesp).

Análise

Marina Saleme começa a dedicar-se ao desenho e, sobretudo, à pintura em meados da década de 1980. Em suas telas - geralmente de grandes formatos, algumas vezes montadas como dípticos, realizadas com tinta a óleo -, utiliza a intensidade da cor pela sobreposição de tintas (que ganham materialidade), criando um jogo de ocultamento e revelação da forma que se constitui em meio às várias camadas de tinta.

Em sua trajetória, explora temas que fazem referência a elementos da paisagem, como nuvens e fenômenos da natureza, além de propriedades da pintura, como a ideia de conter e vazar. Escorrimentos, vultos, poças e tramas, característicos de sua obra, aparecem também em outros suportes (o jornal, a parede ou a fotografia) como desdobramentos de sua pintura. Em 1995, por exemplo, a figura "poça" começa a surgir como "nódulo oleoso", nas palavras da artista, e ganha autonomia em 1997 com a série Poças, 1997/1999, composta de pequenas poças pintadas em telas de 15 x 20 centímetros. Essa série se desdobra no trabalho Covas Rasas, 1999, no qual as poças aparecem em forma de buraco, que cava em compensados de jornal, e, em 2003, na série Portantes, em que lida com os conceitos de conter e vazar por meio de pequenas "poças" de gesso, que portam tinta, fotografadas boiando no mar e no rio ou apresentadas na parede como parte de uma massa de gesso aplicada sobre a sua superfície.

Obras 22

Abrir módulo
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Alice (Espelho)

Acrílica, esmalte sintético e lápis sobre parede
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Celeste

Óleo sobre tela
Reprodução fotográfica Romulo Fialdini

Chuva

Óleo sobre tela
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Chuva Branca

Óleo sobre tela
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Contadores

Ampliação fotográfica

Exposições 35

Abrir módulo

Feiras de arte 1

Abrir módulo

Mídias (1)

Abrir módulo
Marina Saleme - Enciclopédia Itaú Cultural
“Eu sou totalmente bidimensional.” Assim a pintora e desenhista Marina Saleme define sua arte. As telas da artista, normalmente em grandes formatos, começam a partir de desenhos em tinta acrílica branca e vão ganhando camadas de cor sobrepostas em tinta a óleo, encadeando sombras e vultos em um jogo entre o visível e o invisível. Vinda da geração de artistas da década de 1980, em que “era quase um desaforo gostar de pintura, era como se não estivesse ligada nas coisas”, diz, referindo-se ao quadro político repressivo pós ditadura militar no Brasil, a artista fixou-se nesse suporte para se expressar. Para ela, a pintura tem a liberdade de acrescentar, apagar, questionar, ocultar e destacar detalhes, deixando as cicatrizes dessas alterações à mostra, como se as obras estivessem sempre em processo de composição.

Produção: Documenta Vídeo Brasil
Captação, edição e legendagem: Sacisamba
Intérprete: Carolina Fomin (terceirizada)
Locução: Júlio de Paula (terceirizado)

Fontes de pesquisa 14

Abrir módulo
  • ANGELA Santos; Ciça Abs André, Marina Saleme, Geraldo Souza Dias, Nahum Levin: o tigre vê/pinturas e esculturas. São Paulo: Paço das Artes, 1989.
  • ARTES visuais 1992-1993: exposiçoes IBAC / FUNARTE. Rio de Janeiro: IBAC : Funarte, 1993.
  • BRAZILIANART Book VI: livro de arte brasileira. Curadoria Nair Barbosa Lima; versão em inglês John Norman, Thomas William Nerney. São Paulo: JC Editora, 2005.
  • CURTI, Ana Helena (coord.). Poéticas Paulistanas: módulo I. Curadoria Marcelo Araújo, Marcos Moraes, Maria Izabel Branco Ribeiro. São Paulo: Espaço Cultural Citibank, 1994.
  • DESCONEXÕES de setembro. São Paulo: Paço das Artes, 1990. 11 lâms., il. p&b.
  • GALERIA Luisa Strina: banco de dados. Disponível em: [http://www.galerialuisastrina.com.br/home.htm]. Acesso em: 26 set. 2006.
  • PINACOTECA do Município de São Paulo: Coleção de Arte da cidade. Apresentação Carlos Augusto Calil; Texto Maria Camila Duprat Martins, Stella Teixeira de Barros, Evando Piccino et. al. São Paulo: Banco Safra, 2005. 356 p.
  • SALEME, Marina. Continentes. Texto Angélica de Moraes, Juliana Monachesi, Vitória Daniela Bousso. São Paulo: Paço das Artes, 2003. 96 p., il. color.
  • SALEME, Marina. Marina Saleme. Texto Sônia Salzstein; tradução Ann Puntch. São Paulo: Galeria Luisa Strina, 1995. [26] p., il. color.
  • SALEME, Marina. Marina Saleme. Texto Vitória Daniela Bousso. São Paulo: Paço das Artes, 1999. folha dobrada, il. color. (Temporada de projetos 1999).
  • SALEME, Marina. Marina Saleme: Contadores. Texto Cauê Alves. São Paulo: Pinacoteca do Estado, 2006. 1 folha dobrada, il. color.
  • SALEME, Marina. Pinturas. Versão em inglês Izabel Murat Burbridge. São Paulo: Galeria Luisa Strina, 1997. [16] p., il. color.
  • SALEME, Marina. Sobre poças. Texto Lisette Lagnado; versão em inglês Alberto Dwek. São Paulo: Takano, 2001. 82 p., il. color.
  • SALEME, Marina. [Currículo]. Enviado pela artista em setembro 2006.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: