Artigo da seção pessoas Kalma Murtinho

Kalma Murtinho

Artigo da seção pessoas
Teatro  
Data de nascimento deKalma Murtinho: 15-08-1920 Local de nascimento: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro) | Data de morte 20-10-2013 Local de morte: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)

Biografia
Maria Carmen Braga Murtinho (Rio de Janeiro RJ 1920 - idem 2013). Figurinista. Seus primeiros trabalhos, no teatro amador, são realizados no teatro-escola de Maria Clara Machado, O Tablado, onde até 1984 assina o figurino de cerca de 30 espetáculos, permanecendo ligada à casa mesmo depois de se profissionalizar. Ali, recebe seu primeiro prêmio, como figurinista revelação, da Associação de Críticos Teatrais do Rio de Janeiro, por Baile dos Ladrões, de Jean Anouilh, com direção de Geraldo Queirós, 1955.

Em 1957, é convidada a fazer os figurinos de Nossa Vida com Papai, de Howard Lindsay e Russel Crouse, encenação de Gianni Ratto, no Teatro Brasileiro de Comédia - TBC - e conquista o Prêmio Padre Ventura do Círculo dos Críticos Independentes. Trabalha também nos três espetáculos do repertório de 1957 do Teatro Nacional de Comédia - TNC: Pedro Mico, de Antônio Callado, direção de Paulo Francis; Jogo de Crianças, texto e direção de João Bethencourt; e O Telescópio, de Jorge Andrade, mais uma direção de Francis. No ano seguinte, é a vez de colaborar para o Teatro Maria Della Costa - TMDC e faz os figurinos para Anjo de Pedra, de Tennessee Williams, ganhando novamente o prêmio dos Críticos Independentes. Permanece em O Tablado até assinar, em 1968, o figurino de O Jardim das Cerejeiras, de Anton Tchekhov, numa produção do Teatro Ipanema, que lhe vale o Prêmio Molière. O crítico Yan Michalski analisa seu trabalho no espetáculo: "Os deslumbrantes figurinos de Kalma Murtinho estão entre os melhores figurinos de época que eu já tenha visto no Brasil. A harmonia do seu colorido, a contribuição desse colorido para a criação do clima geral do espetáculo, a perfeição do caimento, a adequação de cada peça do vestuário à psicologia e à posição social da personagem que a usa, a pesquisa do detalhe, a imaginação na escolha dos materiais usados no sentido de criar a ilusão de outros materiais, impossíveis de serem empregados em uma produção teatral - tudo isso contribui decisivamente para que o impacto visual do espetáculo se torne comparável ao das produções de alto gabarito internacional".1

Em 1973, Kalma Murtinho cria o figurino de O Amante de Madame Vidal, de Louis Verneuil, dirigido por Fernando Torres, pelo qual recebe novamente o Prêmio Molière. Assina também o figurino do musical Pippin, de Roger O. Hirson e Stephen Schwartz, dirigido por Flávio Rangel, em 1974. Se nessa década registra poucos trabalhos, na década de 1980 é responsável pelo figurino de algumas montagens de peso: As Lágrimas Amargas de Petra von Kant, de Fassbinder, com Fernanda Montenegro e Juliana Carneiro da Cunha, 1982; os musicais Amadeus, de Peter Shaffer, 1982, e Piaf, de Pam Gens, 1983, ambos com direção de Flávio Rangel. Ganha prêmios Molière e Mambembe de melhor figurino pelo conjunto das peças Foi Bom Meu Bem?, de Luís Alberto de Abreu, direção de Wolf Maya, e Testemunha de Acusação, de Agatha Christie, dirigido por Domingos Oliveira, 1983; Com a Pulga Atrás da Orelha, de Georges Feydeau, uma direção de Gianni Ratto para o Teatro dos Quatro - Prêmio Mambembe, 1984 - ; Cyrano de Bergerac, de Edmond Rostand, direção de Flávio Rangel, 1985; Orlando, de Virgínia Woolf, adaptação de Sérgio Sant'Anna, direção de Bia Lessa, 1989.

Na década de 1990, recebe os prêmios Ibeu por Filha de Lúcifer, de William Luce, com direção de Miguel Falabella, 1993; e Cultura Inglesa por Vita e Virgínia, de Eillen Atkins, dirigido por Ítalo Rossi, 1996; além do Troféu Mambembe, 1998, pelo conjunto de trabalhos já realizados.

A cor do cenário e o corpo do ator são elementos fundamentais na definição do figurino de Kalma Murtinho, que faz questão de tirar pessoalmente as medidas dos atores para "sentir seu volume". Segundo ela, "mesmo que um só papel esteja sendo interpretado por cinco atores, os cinco figurinos vão ser diferentes: não há possibilidade de estereotipar um figurino".2 Reconhecendo que a roupa ajuda o ator a "vestir o personagem", Kalma defende que o elenco tenha cedo os figurinos em mãos e possa ensaiar com eles.

Notas
1. MICHALSKI, Yan. Crítica ao espetáculo Jardim das cerejeiras. Rio de Janeiro, Jornal do Brasil, 1968.

2. MURTINHO, Kalma. Depoimento sobre seu trabalho. Rio de Janeiro, recorte de jornal sem referências.

Outras informações de Kalma Murtinho:

  • Outros nomes
    • Maria Carmen Braga Murtinho
  • Habilidades
    • figurinista
    • Cenógrafo
    • Ator

Espetáculos (170)

Todos os espetáculos

Exposições (2)

Fontes de pesquisa (19)

  • Funarte lamenta morte de Kalma Murtinho. Funarte. Disponível em: http://www.funarte.gov.br/funarte/funarte-lamenta-morte-de-kalma-murtinho/. Acesso em: 08 out. 2014
  • SUSSEKIND, Flora (Org.). O Tablado. Dionysos, Rio de Janeiro, n. 27, 1986. Edição especial.
  • Beatriz Segall de volta a São Paulo em Emily. Palco e Platéia, São Paulo, ano 0, julho de 1985. Não catalogado
  • BRANDÃO, Tania. A máquina de repetir e a fábrica de estrelas: Teatro dos Sete. Rio de Janeiro: 7Letras : Faperj, 2002. 792.09 T253b
  • EICHBAUER, Hélio. [Currículo]. Enviado pelo artista em 24 de abril de 2011. Espetáculos: Platonov - 1980; Gata em Teto de Zinco Quente - 1997; Credores - 2003; Porcelana Fina - 2006; Doce Deleite - 2008; Suite Brasileira - 2010. Não catalogado
  • Freud No País Distante País da Alma, É O Cartaz do Aliança. Palco e Platéia, São Paulo, ano 0, julho de 1985. Não catalogado
  • GUZIK, Alberto; PEREIRA, Maria Lúcia (Org.). Teatro Brasileiro de Comédia. Dionysos, Rio de Janeiro, n. 25, set. 1980. Edição especial.
  • MICHALSKI, Yan; TROTTA, Rosyane. Teatro e estado: as companhias oficiais de teatro no Brasil: história e polêmica. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Arte e Cultura, 1992. 235 p. (Teatro, 21)
  • MURTINHO, Kalma. (Dossiê Personalidade Artes Cênicas). Rio de Janeiro: CEDOC/Funarte.
  • Programa do Espetáculo - Amadeus - SP Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - As Lágrimas Amargas de Petra von Kant - 1983 Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - Conduzindo Miss Daisy - 2001. Não Catalogado
  • Programa do Espetáculo - Credores - 2004. Não Catalogado
  • Programa do Espetáculo - Drácula - 1986 Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - Emily - 1984 Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - Lembranças da China - 1986 Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - Piaf - 1983. Não catalogado
  • Programa do Espetáculo- Ensina-me A Viver - 1981 Não catalogado
  • TEATRO ALIANÇA FRANCESA. Belas Figuras: São Paulo, SP, [1983]. Programa do Espetáculo. Não catalogado

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • KALMA Murtinho. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa104525/kalma-murtinho>. Acesso em: 11 de Nov. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7