Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Teatro

Guilherme Bonfanti

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 07.06.2017
1956 Brasil / São Paulo / Leme
Guilherme Bonfanti Piedade (Leme, São Paulo, 1956). Iluminador. Light designer que se destaca na década de 1990, colaborador assíduo do Teatro da Vertigem, grupo atuante em espaços não convencionais. É também iluminador constante nos espetáculos dirigidos por Eduardo Tolentino de Araújo (1954), do Grupo TAPA; Oswaldo Gabrielli (1958), do grupo X...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Guilherme Bonfanti Piedade (Leme, São Paulo, 1956). Iluminador. Light designer que se destaca na década de 1990, colaborador assíduo do Teatro da Vertigem, grupo atuante em espaços não convencionais. É também iluminador constante nos espetáculos dirigidos por Eduardo Tolentino de Araújo (1954), do Grupo TAPA; Oswaldo Gabrielli (1958), do grupo XPTO, William Pereira (1962) e Gabriel Villela (1958).

Inicia-se profissionalmente em 1986 com Corpo Estrangeiro, de Marguerite Duras, direção de Marcia Abujamra (1959). Em 1987, faz montagem, criação e operação de luz para o Espaço Off, em São Paulo, centro difusor da arte experimental do período, atuando em dezenas de realizações.

Em 1990, cria as luzes para Oberösterreich, de Franz Xaver Kroetz, e Hiperborea, livre adaptação do texto Céu e Terra, de Gerlind Reischager, dois espetáculos de Antônio Araújo (1966), com quem passa a desenvolver intensa colaboração. Para a coreógrafa Renata Melo (1956) ilumina Fui, Vim e Voltei, no mesmo ano, assim como a ópera Fata Morgana, direção de Marcia Abujamra.

Em 1991, volta a colaborar com Antônio Araújo, em Clitemnestra, de Margherite Yourcenar, num solo emocionante de Marilena Ansaldi (1934). Em 1992, ganha seu primeiro Prêmio Shell e APCA, em parceria com Marisa Bentivegna, com a ambientação inusitada da luz na Igreja de Santa Ifigênia, templo que sedia Paraíso Perdido, primeira encenação do Teatro da Vertigem. Coordena, ainda em 1991, o Festival Internacional de Teatro de Londrina, onde se incluem importantes realizações internacionais.

Em 1994 é o criador da luz de Forró for all, espetáculo de Ana Maria Mondini; Um Homem Sem Qualidades, de Robert Musil, e Futebol, de Alberto Renault, direções de Bia Lessa (1958), entre outros. Em 1995, cria a luz para O Livro de Jó, de Luís Alberto de Abreu (1952), nova encenação de Antônio Araújo para o Teatro da Vertigem, agora num hospital, montagem muito premiada - Prêmio Shell e APCA - um dos marcos desta década. Em 1996 está, entre outros, em Rasto Atrás, de Jorge Andrade (1922-1984), sob a direção de Eduardo Tolentino de Araújo, montagem do Grupo TAPA. No mesmo ano, ilumina Luzes da Bohemia, de Ramón del Valle-Inclán, direção de William Pereira, com quem voltará a colaborar em O Livro do Desassossego, de Fernando Pessoa, em 1997, que recebe os Prêmios Shell e Mambembe de melhor iluminação. Neste ano, cria o projeto de luminotécnica para o centro cultural do edifício sede da Fiesp, em colaboração com o arquiteto Paulo Mendes da Rocha. Em 1998 está, novamente com o Grupo TAPA, em Ivanov, de Anton Tchekhov, iluminação premiada; e com Cibele Forjaz (1966), em Vida de Galileu, de Bertolt Brecht.

Faz projetos de ambientação cênica e iluminação para a 23ª e 24ª Bienal Internacional de São Paulo, criando salas e espaços.

Em 2000, mais uma vez com o Teatro da Vertigem, realiza o último espetáculo da trilogia, Apocalipse 1,11, direção de Antônio Araújo, sediada no presídio do Hipódromo.

Além de óperas e balés, Guilherme faz luz para shows musicais, com destaque para artistas como Karnak, Titãs, Otto, Vânia Bastos e Marina Lima. Na área de dança ilumina para Ana Mondini, Companhia Republica da Dança, Gisela Rocha, companhia Terceira Dança, Décio Otero e Ballet Stagium.

Num texto escrito sobre a trajetória da luz nas peças do grupo Teatro da Vertigem, o próprio Bonfanti decupa seus métodos e princípios em processos mais extensos de pesquisa de linguagem: "Creio que o Apocalipse 1,11 sintetize meu trabalho nestes dez anos de Vertigem. Pesquisamos longamente, a partir de idéias e conceitos estabelecidos pelo tema proposto por Antônio [Araújo] e desenvolvido por todos nós num processo colaborativo e absolutamente democrático. Construímos diversos aparelhos. Tecnicamente, continuamos trabalhando com a sucata e a transformando em matéria sofisticada. A tecnologia nos ajuda a descobrir soluções e transformá-las dentro do conceito de cada espetáculo. A luz cumpre sua função sem sobressair, dirigindo o olhar do espectador, selecionando imagens e contribuindo estética e emocionalmente para a vivência do espectador".1

Nota

1 BONFANTI, Guilherme. Depoimento sobre a luz nos espetáculos do Teatro da Vertigem. In: TEATRO da Vertigem: trilogia bíblica. São Paulo: Publifolha, 2002. p. 66.

Eventos relacionados 75

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 18

Abrir módulo
  • ALBUQUERQUE, Johana. Guilherme Bonfati (ficha curricular) In: ___________. ENCICLOPÉDIA do Teatro Brasileiro Contemporâneo. Material elaborado em projeto de pesquisa para a Fundação VITAE. São Paulo, 2000.
  • ANUÁRIO de teatro 1994. São Paulo: Centro Cultural São Paulo, 1996. R792.0981 A636t 1994
  • Programa da Jornada Internacional do Teatro para a Infância e Juventude - espetáculo: Crime e Castigo - 2004. Não catalogado
  • Programa da Leitura Dramática - A Procura de Emprego, 2011. Não Catalogado
  • Programa do Espetáculo (Leitura Dramática) - História de Amor ( últimos capítulos ). Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - A Fábula de um Cozinheiro - 2000. Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - A Última Palavra É A Penúltima, 2008. Não Catalogado
  • Programa do Espetáculo - Alô, Alô, Terezinha - 2004. Não Catalogado
  • Programa do Espetáculo - Amor de Servidão - 2008. Não Catalogado
  • Programa do Espetáculo - Apocalipse 1,11 - SP, 2000. Não Catalogado
  • Programa do Espetáculo - BR-3 - RJ, 2007. Não Catalogado
  • Programa do Espetáculo - Dido & Enéas, 2008. Não Catalogado
  • Programa do Espetáculo - Emily - 1984. Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - Lisístrata: Sexo, Drogas e Greve - 2001. Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - Mauísmo , 2010. Não Catalogado
  • Programa do Espetáculo - O Livro de Jó - 1995. Não Catalogado
  • Programa do Espetáculo: A Louca de Chaillot, 2006. Não catalogado
  • TEATRO da Vertigem: trilogia bíblica. São Paulo: Publifolha, 2002. 360 p.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: