Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Papf

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 20.09.2019
17.03.1833 Alemanha / Sachsen / Dresden
16.03.1910 Brasil / São Paulo / São Paulo
Reprodução fotográfica Lula Rodrigues

Ponta do Cavalão, 1878
Papf
Óleo sobre tela, c.i.e.
38,00 cm x 30,00 cm

Karl Ernst Papf (Dresden, Alemanha, 1833 – São Paulo, São Paulo, 1910). Pintor e fotógrafo. Estuda na Academia de Pintura de Dresden, por volta de 1850. Em 1867, é contratado pela firma Albert Henschel & Cia., do fotógrafo alemão Albert Henschel (1827-1882) e migra para o Brasil, fixando-se no Recife. Realiza fotopinturas: retratos a óleo basead...

Texto

Abrir módulo

Karl Ernst Papf (Dresden, Alemanha, 1833 – São Paulo, São Paulo, 1910). Pintor e fotógrafo. Estuda na Academia de Pintura de Dresden, por volta de 1850. Em 1867, é contratado pela firma Albert Henschel & Cia., do fotógrafo alemão Albert Henschel (1827-1882) e migra para o Brasil, fixando-se no Recife. Realiza fotopinturas: retratos a óleo baseados em fotos, gênero comum no século XIX. O estabelecimento prospera, passa a se chamar Photographia Allemã e abre filiais em Salvador, Rio de Janeiro e São Paulo. 

Em 1877, Papf muda-se para o Rio de Janeiro, então capital do Império, e, no ano seguinte, transfere-se para Niterói. Além dos trabalhos comerciais, dedica-se à pintura de naturezas-mortas e paisagens, com destaque para a pintura de orquídeas. Muda-se para Petrópolis em 1880 e inaugura o estúdio Photographia Papf em 1885. Produz encomendas para a família imperial, o que contribui para consolidar a reputação como retratista. 

No Rio de Janeiro, em 1882, expõe no Liceu de Artes e Ofícios e participa da Exposição Geral de Belas Artes (Egba) em 1897. Muda-se para São Paulo em 1899 e seu filho, Jorge Henrique Papf (1863-1920), assume a direção do estúdio em Petrópolis. Em São Paulo, trabalha para a filial da Photographia Allemã e monta estabelecimento próprio. Em 1980, uma retrospectiva de sua obra é realizada no Museu Imperial, em Petrópolis, e na Pinacoteca do Estado de São Paulo.

Análise

Papf notabiliza-se como pintor de retratos baseados em fotografias, chamados de fotopinturas. No século XIX, esse tipo de trabalho é uma alternativa mais econômica aos retratos em pintura. O retrato fotográfico retocado e colorido à mão é procurado, sobretudo, pela pequena burguesia comerciante para perpetuar sua imagem. 

De acordo com o historiador e crítico de arte Carlos Roberto Maciel Levy (1951) 1, autor do principal estudo sobre o fotógrafo, a produtividade e o sucesso comercial de Papf servem de argumento para que sua obra seja ignorada ao longo da história recente da arte no Brasil. O crítico de arte Gonzaga Duque (1863-1911) 2, por exemplo, ironiza o fato de que o artista, muito famoso entre seus contemporâneos, sequer seja lembrado posteriormente. 

Levy, no entanto, revê a importância de Papf como paisagista. Defende que, em paisagens como Praia do Cavalão (1878), o artista reúne as qualidades clássicas do paisagismo holandês aprendido na Alemanha. Devido a um espírito individual e progressista, porém, supera influências de sua formação para retratar a vegetação brasileira. 

Notas

1. LEVY, Carlos Roberto Maciel. Karl Ernst Papf 1833-1910. Rio de Janeiro: Pinakhoteke, 1980.

2. ESTRADA, Luiz Gonzaga Duque. A arte brasileira. Rio de Janeiro: Tipografia a vapor H. Combaerts, 1888, p. 201-202.

Obras 6

Abrir módulo
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Mãe e Filha

Óleo sobre tela
Reprodução fotográfica Raymond Asseo

Orquídeas

Óleo sobre tela

Exposições 14

Abrir módulo

Feiras de arte 1

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 28

Abrir módulo
  • AULER, Guilherme. Notícia do pintor Ernesto Papf. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 1º dez. 1957. Terceiro caderno, p.1-4.
  • AYALA, Walmir. Dicionário de pintores brasileiros. Organização André Seffrin. 2. ed. rev. e ampl. Curitiba: Ed. UFPR, 1997. R750.81 A973d 2.ed.
  • BARDI, Pietro Maria. História da arte brasileira. São Paulo: Melhoramentos, 1975, p.180.
  • BERGER, Paulo (org.). Pinturas e pintores do Rio antigo. Apresentação de Sérgio Sahione Fadel. Textos de Paulo Berger, Herculano Gomes Mathias e Donato Mello Júnior. Rio de Janeiro: Kosmos, 1990.
  • CAMARGO, Armando de Arruda; LÔBO, Hélio de Sá; AZEVEDO, João da Cruz Vicente de (Orgs.). A paisagem brasileira: 1650-1976. São Paulo: Sociarte: Paço das Artes, 1980.
  • COLEÇÃO brasiliana: Fundação Rank-Packard/Fundação Estudar. Curadoria Carlos Martins; texto Carlos Martins; apresentação Marcos Mendonça, Emanoel Araújo. São Paulo: Pinacoteca do Estado, 2000. 28 p.
  • ESTRADA, Luiz Gonzaga Duque. A arte brasileira. Rio de Janeiro: Tipografia a vapor H. Combaerts, 1888.
  • FABRIS, Annateresa (org.). Fotografia: usos e funções no século XIX. São Paulo: Edusp, 1991. (Coleção texto & arte, 3).
  • FERREZ, Gilberto. A fotografia no Brasil: 1840- 1900. Prefácio Pedro Karp Vasquez. 2. ed. Rio de Janeiro: Funarte, 1985. 248 p. (História da fotografia no Brasil, 1).
  • FILUS, Cláudio (coord.). Acervo permanente e novas doações. Texto Aracy Amaral, José Roberto Teixeira Leite, Maria Cecília França Lourenço, Ruth Sprung Tarasantchi, Marta Rossetti Batista, Peter Burke, Maria Luiza Moraes. São Paulo: Pinacoteca do Estado, 1999. 30 p., il. color.
  • FREIRE, Laudelino. A arte da pintura no Brasil. Revista do Instituto Histórico e Geographico Brasileiro, Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, p. 777-811, 1917. Número especial.
  • GULLAR, Ferreira (et. al). 150 anos de pintura no Brasil: 1820-1970. Rio de Janeiro: Colorama, 1989. R703.0981 P818d
  • KOSSOY, Boris. Dicionário histórico-fotográfico brasileiro: fotógrafos e ofício da fotografia no Brasil (1833-1910). São Paulo: Instituto Moreira Salles, 2002.
  • KOSSOY, Boris. Origens e expansão da fotografia no Brasil: século XIX. Prefácio Boris Kossoy. Rio de Janeiro: Funarte, 1980. 128 p.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988. R759.981 L533d
  • LEVY, Carlos Roberto Maciel. Karl Ernst Papf: 1833-1910. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1980.
  • LOUZADA, Júlio. Artes plásticas Brasil 1985: seu mercado, seus leilões. São Paulo: J. Louzada, 1984. v. 1. R702.9 L895a v.1
  • LOUZADA, Júlio. Artes plásticas Brasil 1987: seu mercado, seus leilões. São Paulo: Inter / Arte / Brasil, 1986. v. 2. R702.9 L895a v.2
  • LOUZADA, Júlio. Artes plásticas Brasil 1992: seu mercado, seus leilões. São Paulo: Inter / Arte / Brasil, 1992. v. 5. R702.9 L895a v.5
  • LOUZADA, Júlio. Artes plásticas Brasil 1994: seu mercado, seus leilões. São Paulo: Júlio Louzada, 1994. v. 6. R702.9 L895a v.6
  • LOUZADA, Maria Alice do Amaral. Artes plásticas Brasil 1996: seu mercado, seus leilões. São Paulo: Júlio Louzada, 1996. v. 8. R702.9 L895a v.8
  • MARTINS, Carlos (org.). Revelando um acervo: coleção brasiliana. São Paulo: BEI Comunicação, 2000. (Brasiliana). 759.981 R449
  • MOURA, Carlos Eugênio Marcondes de; LEMOS, Carlos A. C. ; AMARAL, Aracy A; BERNARDET, Jean-Claude (orgs.). Retratos quase inocentes. São Paulo: Nobel, 1983.
  • NATUREZA: quatro séculos de arte no Brasil. Rio de Janeiro: Centro Cultural Banco do Brasil, 1992.
  • PEIXOTO, Maria Elizabete Santos. Pintores alemães no Brasil durante o século XIX. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1989.
  • RUBENS, Carlos. Pequena história das artes plásticas no Brasil. São Paulo: Editora Nacional, 1941. (Brasiliana. Série 5ª: biblioteca pedagógica brasileira, 198).
  • VASQUEZ, Pedro Karp. Dom Pedro II e a fotografia no Brasil. Rio de Janeiro: Fundação Roberto Marinho: Companhia Internacional de Seguros: Ed. Index, 1985.
  • VASQUEZ, Pedro Karp. Fotógrafos Alemães no Brasil do Século XIX: Deutsche Fotografen des 19. Jahrhunderts in Brasilien. São Paulo: Metalivros, 2000. 203 p., il. p&b. 770.981 V335f

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: