Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Claudio Manoel

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 07.01.2020
Claudio Manoel Duarte de Souza (Maceió, Alagoas,1959). Pesquisador, professor e artista. Atua desde 1990 com a produção de trabalhos em vídeo – documentários de curta, média e longa duração e de videopoemas. 

Texto

Abrir módulo

Claudio Manoel Duarte de Souza (Maceió, Alagoas,1959). Pesquisador, professor e artista. Atua desde 1990 com a produção de trabalhos em vídeo – documentários de curta, média e longa duração e de videopoemas. 

Inicia a experiência na área de comunicação ao tornar-se bacharel em jornalismo pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal) em 1990. Em 1998, funda o grupo de DJs Pragatecno e, em 2000, o SomBinário – cartografia de pesquisa sobre a música eletrônica do norte e nordeste do Brasil. 

Na linha de pesquisa em cibercultura, torna-se mestre em comunicação e cultura contemporânea pela Universidade Federal da Bahia (Ufba) em 2003. Lidera o Grupo de Estudos e Práticas Laboratoriais em Plataformas e Softwares Livres e Multimeios (Linklivre), localizado na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). O grupo abriga pesquisas sobre o papel da tecnologia na sociedade contemporânea e sua relação com a comunicação, os multimeios, a cibercultura e a produção artística. 

Como orientador do LinkLivre, desenvolve o projeto Mapeamento Cartográfico Colaborativo do Recôncavo, premiado em 2011 na 3a edição do Festival Cultura Digital, realizado no Rio de Janeiro. O pesquisador integra também o coletivo Xaréu, grupo de pesquisa de arte eletrônica, fundado em 2011 na Bahia. Além disso, Claudio Manoel é curador e organizador dos festivais Digitália – que acontecem desde 2012 em Salvador –, e do Paisagem Sonora – mostra internacional de arte eletrônica, localizada no Recôncavo Baiano. Ambos os festivais são importantes para a pesquisa de Claudio, uma vez que propõem a descoberta, a crítica, o  mapeamento e o incentivo à cultura digital do Recôncavo Baiano em relação a outros cenários artísticos nacionais e internacionais. 

Em 2012, é professor convidado da Universidade de Bayreuth (Alemanha), no Instituto de Estudos Africanos. Em produção de vídeo, lança o documentário Mais que Traços e Cores (2014), sobre o artista e arquiteto Roberto Ataíde (1962-1995).   

Análise

Claudio Manoel participa de festivais e coletivos como produtor, curador e orientador. Essas atividades complementam os trabalhos autorais em vídeo e em arte sonora e digital. As práticas de mediação do conhecimento mesclam-se, de maneira orgânica, com as atividades dos coletivos de que o pesquisador participa.

Dentro de um dos grupos em que atua, o Coletivo Xaréu, Claudio Manoel e os professores de cinema Danillo Barata (1976) e Marina Mapurunga trazem, a partir de 2011, performances que combinam experimentações em tempo real, arte sonora e imagens criadas por meio do vídeo e da fotografia. O coletivo é também responsável pela Paisagem Sonora – mostra internacional de arte eletrônica, criada em 2013, que se pretende uma plataforma de exposição, troca e discussão sobre a cultura digital do Recôncavo Baiano. A mostra tem grande importância pois, além de apresentar ações questionadoras dos limites da imagem e do cinema expandido, dialoga com a criação de políticas culturais para a arte digital brasileira. 

Como líder do Linklivre, orienta o projeto Mapeamento Cartográfico Colaborativo do Recôncavo, cujo objetivo é dar visibilidade ao patrimônio imaterial e arquitetônico da região. Realizado em três etapas, o projeto segue com a pesquisa museológica na primeira etapa, a inserção dos dados colhidos em diferentes arquivos e suportes digitais na segunda, e a última etapa consiste em “taggear” (identificar) e aplicar os conteúdos no Open Street Map (OSM), permitindo a contribuição pública e aberta por meio de dispositivos interativos. Deste modo, todas as etapas tornam possível a união dos conhecimentos sobre a memória e trazem à discussão questões sobre plataformas livres que podem ajudar a democratizar e aumentar a participação da comunidade nas dinâmicas da cidade. 

Exposições 6

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 15

Abrir módulo

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: