Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas

A Enciclopédia é o projeto mais antigo do Itaú Cultural. Ela nasce como um banco de dados sobre pintura brasileira, em 1987, e vem sendo construída por muitas mãos.

Se você deseja contribuir com sugestões ou tem dúvidas sobre a Enciclopédia, escreva para nós.

Caso tenha alguma dúvida, sugerimos que você dê uma olhada nas nossas Perguntas Frequentes, onde esclarecemos alguns questionamentos sobre nossa plataforma.



Enciclopédia Itaú Cultural

Oi Futuro

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 19.01.2018
11.05.2005 Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro
No ano 2000 nasce o Instituto Telemar, instituição cultural que propõe parcerias com escolas e iniciativas privadas para incentivar a democratização do conhecimento por meio da informática. Em 2001, a Telemar integra as agências de telecomunicação das regiões norte, nordeste e sudeste em uma única empresa, a Oi, e o Instituto Telemar passa a se ...

Texto

Abrir módulo

Histórico

No ano 2000 nasce o Instituto Telemar, instituição cultural que propõe parcerias com escolas e iniciativas privadas para incentivar a democratização do conhecimento por meio da informática. Em 2001, a Telemar integra as agências de telecomunicação das regiões norte, nordeste e sudeste em uma única empresa, a Oi, e o Instituto Telemar passa a se chamar Oi Futuro. A primeira sede do Instituto Oi Futuro, localiza-se no bairro do Flamengo, Rio de Janeiro, em um prédio que, desde o início do século XX, abriga histórias da telecomunicação, como a Estação Telefônica Beira-Mar (1919) e o Museu do Telefone (1981). Em 1997, o prédio acolhe uma galeria de arte contemporânea e oferece programações com música, vídeo e artes cênicas. Com a reforma do espaço no ano 2000, o imóvel passa a preservar, também, o patrimônio das telecomunicações, mostrando as possibilidades das tecnologias para o futuro.

O Instituto Oi Futuro tem a missão de realizar, apoiar e reconhecer ações culturais e educacionais que contribuam para o desenvolvimento humano. Os projetos propostos visam democratizar o acesso à informação e reduzir distâncias geográficas e sociais. Presente em diversas cidades, o instituto divide-se em três áreas de atuação: cultura, educação e sustentabilidade. Investe em programas próprios e incentivados.

O Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados apoia projetos por todo o Brasil, em diversas áreas artísticas. Desde 2004, por meio de editais públicos, são selecionados projetos culturais em duas linhas de investimento: Seleção de Projetos Culturais, destinada a projetos já apoiados por leis estaduais de incentivo à cultura; e Seleção da Programação dos Centros Culturais Oi Futuro. Esta, voltada a projetos inscritos nas leis estaduais e municipais de incentivo à cultura com o objetivo de estimular novas linguagens artísticas que promovam a ligação entre arte, ciência e tecnologia.  

Em cultura, o Instituto abrange as áreas de música, artes visuais, cinema, teatro, literatura e dança. Estas áreas são contempladas na programação dos centros culturais da cidade do Rio de Janeiro (nos bairros Flamengo e Ipanema) e em Belo Horizonte, Minas Gerais. A curadoria dos espaços culturais valoriza a integração de meios e suportes e grupos e artistas que investem na experimentação. O Instituto também se preocupa com a conservação da arquitetura dos edifícios dos centros culturais. O Oi Futuro Flamengo, inaugurado em 2005, e o Oi Futuro Belo Horizonte, inaugurado em 2007, dispõem ao público a Biblio_Tec, uma biblioteca high tech especializada em livros de arte e tecnologia. A partir de 2007, o Instituto inaugura o Museu das Telecomunicações, que traça a história da comunicação humana no Brasil e no mundo de maneira interativa. Em 2009, instala o Centro Cultural Oi Futuro Ipanema e, em 2010, disponibiliza a Reserva Técnica e Midiateca no Museu das Telecomunicações do Rio de Janeiro, com todo o arquivo histórico de arte e tecnologia digitalizado. O Museu das Telecomunicações, em 2013, é um dos seis finalistas do prêmio Museums+Heritage Awards for Excellence.

Em educação, o Oi Futuro conta com os programas Núcleo Avançado em Educação (Nave) e o Oi Kabum! Escola de Arte e Tecnologia. Ambos têm como proposta fazer com que jovens se apropriem de tecnologias da comunicação como modelos criativos de aprendizagem, e que adquiram habilitação profissional, autonomia e senso crítico. O Nave é voltado para jovens do ensino médio. Prioriza a pesquisa com tecnologias como maneira de desenvolvimento educacional. Realizado em parceria com as Secretarias de Estado de Educação do Rio de Janeiro e de Pernambuco, é estruturado sobre três pilares: o desenvolvimento de atividades de pesquisa e inovação, a oferta de ensino profissionalizante integrado ao ensino médio regular e a disseminação de metodologias e práticas desenvolvidas pelo próprio programa. O Oi Kabum! Escola de Arte e Tecnologia, inaugurado em 2003, oferece a jovens de comunidades populares urbanas e estudantes da rede pública de ensino, a formação em artes gráficas e digitais.Tem sedes em Salvador (2004), Recife (2006), Rio de Janeiro (2007) e Belo Horizonte (2007). O programa propõe que jovens usem as tecnologias da comunicação em processos criativos para participar de trabalhos em arte e cultura. Em 2010, o Oi Kabum! é contemplado com o prêmio A Rede na categoria Capacitação, da modalidade Setor Privado. Em 2012 e 2013, recebe o prêmio Construindo a Nação, promovido pelo Instituto da Cidadania Brasil junto a Confederação Nacional da Indústria - Serviço Social da Indústria (CNI-Sesi). O Nave Rio de Janeiro recebe reconhecimento da empresa norte-americana Microsoft, em 2013, como uma das escolas mais inovadoras do mundo, e a única brasileira a integrar o Programa Microsoft Innovative School World Tour. Em 2014, a soma de prêmios totaliza 80.

Na área de sustentabilidade, desenvolve o programa Oi Novos Brasis (2004) e, a partir de 2005, a Oi participa de projetos sociais por meio do Fundo da Infância e do Adolescente (FIA). As iniciativas buscam desenvolver a cidadania de jovens por meio de projetos esportivos e o aprendizado de práticas sustentáveis. Em 2004, o Oi Novos Brasis, ajuda organizações sociais com projetos socioambientais comunitários. Tais projetos têm a finalidade de apoiar comunidades vulneráveis e promover a conservação do ambiente e da biodiversidade. As ideias implantadas seguem um modelo passível de reaplicação, sendo  acessíveis ao público e aproximando as pessoas. O esporte também é entendido como instrumento de transformação social. Por meio do Patrocínio Esportivo Incentivado a Oi e o Oi Futuro apoiam projetos que promovem valorização da diversidade, saúde, qualidade de vida e acessibilidade.

Espetáculos 11

Abrir módulo

Espetáculos de dança 2

Abrir módulo

Eventos multiculturais 1

Abrir módulo

Exposições 42

Abrir módulo

Festivais 1

Abrir módulo

Instalações 1

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 4

Abrir módulo

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: