Artigo da seção grupos Associação Sul-Mato-Grossense dos Profissionais da Dança

Associação Sul-Mato-Grossense dos Profissionais da Dança

Artigo da seção grupos
Dança  
Data de criação da obra Associação Sul-Mato-Grossense dos Profissionais da Dança: 31-03-1980 Local de crição: (Brasil / Mato Grosso do Sul / Campo Grande)

Histórico

Do início do século XX até a década de 1970, Mato Grosso do Sul apresenta registros de manifestações esparsas e informais de danças cênicas. Exceção feita à escola dirigida por Hernande da Costa, bailarino do corpo de baile do Teatro Municipal de São Paulo, entre 1955 e 1960, e do Conservatório Santa Cecília, na década de 1960. Além de balé, essa escola oferece aulas de música e declamação. 

Na década de 1970, o ofício da dança cênica no estado formaliza-se e restringe-se a seis academias, que oferecem aulas de balé clássico, jazz e dança moderna. As proprietárias dessas academias  – Sandramaria Gomes (1957), Neide Garrido (1953), Amélia Sant’anna, Marilu Guimarães (1951), Sonia Rolon e Léa Magrini – percebem a necessidade de criar uma instituição que regulamente a gestão dos cursos, estabeleça valores de mensalidades e oficialize as atividades profissionais. 

Reunidas em torno de Sarah Abussafi Figueiró, professora de artes visuais e produtora cultural, o grupo elabora o estatuto da Associação Sul-Mato-Grossense dos Profissionais da Dança, registrada oficialmente no dia 31 de março de 1980, em Campo Grande.

Além de apoiar a regulamentação econômica das academias, a gestão de Sarah Figueiró (1980-1998) empenha-se em divulgar a dança cênica, defender seu valor junto ao poder público municipal e estadual e propor a criação de uma Companhia Municipal de Dança (objetivo que persiste sem sucesso). Também busca promover eventos que estimulem a troca de experiências de produções locais com trabalhos realizados por estados onde a dança é exercida como profissão regulamentada. 

Entre 1985 a 1998, realiza-se anualmente o Festival Sul-Mato-Grossense de Dança graças aos esforços pessoais da presidenta (nesse período ainda não há pagamento de anuidade dos associados) em parceria com a Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, Secretaria Municipal da Cultura e do Desporto, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Fundação Nacional de Artes e algumas empresas privadas. 

O festival reúne grupos de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Paraná e Distrito Federal. Entre os integrantes da comissão julgadora, estão Tony Abott e Regina Sawer, do Rio de Janeiro, e Penha de Souza (1935), Toshie Kobaiyashi (1949-2016), Roseli Rodrigues (1955-2010), Valéria Mattos e Lourdes Bastos (1927), de São Paulo. Entre os grupos que oferecem workshops, estão Cia. Cisne Negro, Ballet Paula Castro, Grupo Raça e Ballet Stagium, de São Paulo; Grupo Ginga, do Mato Grosso do Sul; Nós da Dança, do Rio de Janeiro; e Quasar Cia. de Dança, de Goiás.

Entre 1999 e 2001, na gestão de Suzana Leite, a ASPDMS produz festivais, estabelece parcerias entre associados e teatros da capital e lança a campanha “Confie o ensino da dança a quem é habilitado”. De 2001 a 2005, as presidentas Miriam Gimenes e Renata Leoni incentivam artistas individuais, grupos independentes e academias a se associarem à agremiação. Propõem a revisão do estatuto (que não se realiza), produzem espetáculos de dança contemporânea e apoiam a criação de um sindicato de artistas e técnicos de espetáculos para emissão de registro profissional na Delegacia Regional do Trabalho (DRT). De 2004 a 2007, as atividades do grupo cessam e são retomadas entre os anos de 2008 a 2011, com Chico Neller, Neide Garrido e Maria Helena Pettengil como presidentes.

A ASPDMS é o único órgão representativo da dança no estado. Os associados são, em sua maioria, proprietários de academia e diretores de grupos. As ações da agremiação são voltadas à promoção de eventos e consultoria a órgãos públicos. Em 2009, é criado o Fórum Movimente, sem formalização jurídica, que se reúne para articular pensamentos e ações crítico-políticas sobre a gestão pública do setor da dança e sobre a atuação da ASPDMS.

Outras informações do grupo Associação Sul-Mato-Grossense dos Profissionais da Dança:

  • Outros nomes
    • ASPDMS

Fontes de pesquisa (6)

  • X Festival Sul-Mato-Grossense de Dança. Revista, Campo Grande, Mato Grosso do Sul, 1994.

     

  • FIGUEIRÓ, Sara Abussafi. Sara Abussafi Figueiró, primeira presidenta da ASMPD. [Entrevista cedida a] a Luiza Rosa. Campo Grande, 27 jul. 2011.
  • LEONI, Renata. Renata Leoni, ex-presidenta da ASMPD e diretora executiva da Ginga Cia. de Dança. [Entrevista cedida a] Luiza Rosa. São Paulo, abr. 2011.
  • LIVRO-ATA da Associação Sul-Mato-Grossense dos Profissionais da Dança. Campo Grande, 8 ago. 2011.
  • ROSA, Maria da Glória Sá, MENEGAZZO, Maria Adélia, RODRIGUES, Idara Duncan. Memória da arte em Mato Grosso do Sul: histórias de vida. Campo Grande: UFMS, 1993.
  • VILELA, Moema (Org.). Vozes da dança. Campo Grande: Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, 2008.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • ASSOCIAÇÃO Sul-Mato-Grossense dos Profissionais da Dança. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2021. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/grupo636289/associacao-sul-mato-grossense-dos-profissionais-da-danca>. Acesso em: 21 de Jan. 2021. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7