Artigo da seção grupos Grupo de Dança Contemporânea da UFBA

Grupo de Dança Contemporânea da UFBA

Artigo da seção grupos
Dança  
Data de criação da obra Grupo de Dança Contemporânea da UFBA: 03-1965 Local de crição: (Brasil / Bahia / Salvador)

O Grupo de Dança Contemporânea da Universidade Federal da Bahia (GDC/Ufba) é o primeiro grupo de dança de universidade no país. A semente do grupo surge durante a fundação da Escola de Dança da Ufba, em 1956, com a dançarina e coreógrafa Yanka Rudzka (1916-2008), que dirige, durante os anos 1957 e 1959, o Conjunto de Dança Contemporânea. No início dos anos 1960, surge outro conjunto com o nome de Grupo Juventude Dança, constituído por alunas remanescentes do grupo anterior, dirigidas por Rolf Gelewski (1930-1988), que chega da Alemanha para substituir Rudzka. Os primeiros resultados do trabalho do coreógrafo são exibidos em um Seminário de Dança, em Salvador, em 1962. O Seminário é encerrado com uma apresentação do Grupo Juventude Dança que, mais tarde, recebe o nome de Grupo de Dança Contemporânea. A mostra conta com um programa misto, expondo reapresentações coreográficas de Yanka Rudzka e novas coreografias de Rolf Gelewski. Nesse mesmo ano, o grupo de alunas do futuro GDC viaja com o coreógrafo para Curitiba com o propósito de participar do 1o Encontro Nacional das Escolas de Dança do Brasil, promovido pelo MEC. Este evento, além de apresentações e conferências, debates sobre o desenvolvimento do ensino de dança no país reúne os expoentes da área, como, Mercedes Baptista (1921-2014), Nina Verchinina (1910-1995), Tatiana Leskowa (1922), Maria Olenewa (1896-1965), dentre outros. Esse encontro, conforme afirma o crítico Eduardo Virmond, destaca-se entre os […]“grupos de vanguarda que imprimem o tom da revelação [...], neles encontramos espírito de invenção e pesquisa, filosofia artística criadora e polêmica”1. O CDG é fundado, oficialmente, em 1965.

Desde o seu surgimento, a manutenção e base contratual do grupo é assegurada pela universidade. O objetivo é funcionar como um grupo de nível profissional que dá oportunidade aos dançarinos que se destacam na Escola de Dança. A criação coreográfica de Gelewski traduz o seu entendimento de dança contemporânea. Por sua movimentação coreográfica, é possível deduzir que não se trata de distinguir o antigo do novo, mas de imprimir o novo por meio de formas variadas – de composição do movimento e utilização do espaço –, conhecidas na modernidade da dança. Como criador, busca uma expressão artística que faça sentido e aprofunde a consciência do dançarino. Nos espetáculos de Gelewski com o GDC, realizados entre 1965 e 1967, é possível notar diversas escolhas musicais, como música antiga europeia, jazz americano e bossa nova brasileira. Nessa época, Gelewski  intensifica a investigação coreográfica com a música popular brasileira (MPB). Trabalha diretamente com o músico Edu Lobo (1943) e também utiliza músicas de compositores como Ronaldo Bôscoli (1928-1994), Torquato Neto (1944-1972) e Sérgio Ricardo (1932). Com interpretações, como a da cantora Maria Bethânia (1946), cria uma plasticidade de movimentos com resultados inéditos na produção de dança no Brasil dos anos 1960.

Em apresentação do GDC em Belo Horizonte, no ano de 1966, Gelewski esclarece que tenta criar coreografias autênticas sobre músicas e motivos brasileiros. As pesquisas artísticas que sucedem as produções de Gelewski procuram, nos anos seguintes, caminhos que mantêm a gênese do grupo. Desejam criar coreografias novas, dinâmicas por excelência, livres e investigativas na abordagem contemporânea. O GDC mantém em seu currículo trabalhos coreográficos assinados por mais de 20 coreógrafos que produzem um total aproximado de mais de 70 obras, de solos a coreografias em grupo e de suites coreográficas a espetáculos.

Apesar dos períodos de recesso, o GDC permanece, até 2013, com suas diretrizes de ser um continuum de excelência acadêmico-artístico da escola. A partir de 2003, com a implantação do projeto Espaço de Investigação e Criação Artística na unidade, o grupo retoma o caráter laboratorial, firmando seu pioneirismo e qualidade profissional. O aprendizado efetiva-se  por meio de laboratórios que duram de seis a oito meses, com ensaios e apresentações para que os integrantes passem por várias experiências. Desde oficinas de desenho de figurino às de criação coreográfica, do aprendizado da carpintaria cênica da montagem ao treinamento de  produção executiva, com vistas à formação e capacitação profissional dos alunos. Os dançarinos são selecionados em audições com curadoria composta pela direção da escola, direção artística do grupo, coreógrafos convidados de fora ou professores integrados temporariamente à produção do espetáculo.

Com a criação, em 2008, do Programa de Formação Integral e Apoio Social aos Estudantes da Ufba (Permanecer), cada dançarino selecionado recebe uma bolsa de incentivo, substituída ou renovada a cada novo projeto de espetáculo do grupo. Desde 2003, o GDC retoma o rítmo de produção de espetáculos. Realiza projetos de Dança telemática com capturas e projeção de imagens em tempo real como E Fez o Homem a sua Diferença (2005), dirigido por Ivani Santana. Também envolve projetos fora da caixa cênica com experiências de ressignificações do pela dança, como Paradox - Baile Contemporâneo (2011), realizado em vários ambientes do Palácio da Aclamação em Salvador, concebido e dirigido por Leda Muhana.

Notas

1 VIRMOND, Eduardo. Sobre o encontro das escolas de dança. Diário do Paraná, Curitiba, 9 set. 1962.

Outras informações do grupo Grupo de Dança Contemporânea da UFBA:

Fontes de pesquisa (2)

  • GRUPO de Dança Contemporânea. Disponível em: < http://www.danca.ufba.br/gdc.html>. Acesso em: 25 abril 2018.
  • ROBATTO, Lia; MASCARENHAS, Lúcia. Passos da Dança: Bahia. Salvador: Casa de Jorge Amado, 2002

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • GRUPO de Dança Contemporânea da UFBA. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2021. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/grupo636053/grupo-de-danca-contemporanea-da-ufba>. Acesso em: 05 de Mar. 2021. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7