Artigo da seção grupos Grupo Neoconcreto

Grupo Neoconcreto

Artigo da seção grupos
Artes visuais  
Data de criação da obra Grupo Neoconcreto: 03-1959 Local de crição: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro) | Data de término 05-1961 Local de término: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)

Histórico

Desde 1956, na 1ª Exposição Nacional de Arte Concreta, anuncia-se uma divergência latente entre os trabalhos dos artistas paulistas, oriundos do Grupo Ruptura, e cariocas, oriundos do Grupo Frente. Iniciava-se a cisão do movimento concreto. Assim, em 22 de março de 1959, os artistas do Rio de Janeiro rompem com o concretismo, publicando o Manifesto Neoconcreto no Jornal do Brasil e realizando a 1ª Exposição de Arte Neoconcreta no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM/RJ).

No manifesto, os signatários colocam-se contra a exacerbação racionalista a que os concretistas haviam levado sua obra. Defendem a introdução da expressão na obra de arte, rejeitando o primado da razão sobre a sensibilidade. Ronaldo Brito afirma que "o neoconcretismo representou a um só tempo o vértice da consciência construtiva no Brasil e a sua explosão.

Até 1961, quando se deu a dissolução do grupo, outras três mostras são realizadas - em Salvador, Rio Janeiro e São Paulo - bem como a Exposição de Livros-Poemas, o Balé Neoconcreto, de Lygia Pape (1927-2004) e Reynaldo Jardim (1926-2011), e o lançamento da Teoria do Não-Objeto de Ferreira Gullar (1930-2016).

Fontes de pesquisa (8)

  • MORAIS, Frederico. Panorama das artes plásticas: séculos XIX e XX. São Paulo: Instituto Cultural Itaú, 1989.
  • AMARAL, Aracy (org.). Projeto Construtivo Brasileiro na arte (1950-1962). Rio de Janeiro: Museu de Arte Moderna; São Paulo: Pinacoteca do Estado de São Paulo, 1977.
  • BRITO, Ronaldo. Neoconcretismo: vértice e ruptura do projeto construtivo brasileiro. Tradução Lia Wyler. Rio de Janeiro: Funarte, 1985. 119 p. (Temas e debates, 4).
  • COCCHIARALE, Fernando; GEIGER, Anna Bella. Abstracionismo geométrico e informal : a vanguarda brasileira nos anos cinqüenta. Rio de Janeiro: Funarte, 1987. 308 p., il. p&b., color. (Temas e debates, 5). ISBN 85-246-0033-0.
  • GULLAR, Ferreira. Etapas da arte contemporânea: do cubismo ao neoconcretismo. São Paulo: Nobel, 1985.
  • NEOCONCRETISMO 1959/1961. Apresentação Frederico Morais; texto Ferreira Gullar; curadoria Frederico Morais. Rio de Janeiro: Galeria de Arte Banerj, 1984. [52] p., il. p&b.
  • PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. Rio de Janeiro: Edições Jornal do Brasil, 1987.
  • ZANINI, Walter (Coord.). História geral da arte no Brasil. São Paulo: Instituto Moreira Salles: Fundação Djalma Guimarães, 1983. v.2.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • GRUPO Neoconcreto. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/grupo636044/grupo-neoconcreto>. Acesso em: 14 de Out. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7