Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Teatro

Os Fofos Encenam

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 03.02.2017
2001 Brasil / São Paulo / São Paulo
As raízes do riso e suas variantes na expressão popular do circo-teatro e da cultura nordestina compõem a base do repertório da Companhia Os Fofos Encenam. Sediada em São Paulo, conta com artistas locais e artistas pernambucanos, que a ela se juntam.

Texto

Abrir módulo

Histórico

As raízes do riso e suas variantes na expressão popular do circo-teatro e da cultura nordestina compõem a base do repertório da Companhia Os Fofos Encenam. Sediada em São Paulo, conta com artistas locais e artistas pernambucanos, que a ela se juntam.

A bufonaria é o tema de pesquisa no âmbito da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), onde estudam os futuros integrantes da companhia. O dramaturgo Newton Moreno (1968) e as atrizes Maria Stella Tobar e Carol Badra (1973) são alunos de professores-diretores como João das Neves (1934), Marcio Aurelio (1948) e Maria Thaís (1960), nos primeiros anos da década de 1990.

Pertence a essa fase o experimento cênico Os Fofos Encenam Harold Pinter e Mauro Rasi, de 1992, do qual surge o nome do grupo. Nas primeiras experiências dramatúrgicas que dirige, Moreno faz paralelos entre o teatro de revista brasileiro e o music hall, o que configura um caminho para o coletivo e para o autor, que se projeta na década seguinte. Em 1994, integrantes da equipe são dirigidos por Maria Thaís em Os Cegos, de Michel de Ghelderode, e apresentam-se no espaço do Observatório da Unicamp.

O reencontro de ex-alunos da Unicamp e a incorporação de artistas formados na Universidade de São Paulo (USP), caso do ator e diretor Fernando Neves (1950), são fatores determinantes para a estruturação da companhia, em 2000. O primeiro trabalho é Deus Sabia de Tudo e Não Fez Nada, de Moreno, em 2001, que estreia no circuito alternativo, com sessões à meia-noite, e logo se destaca. São cinco esquetes cômicos de amor entre homens, alguns com claro objetivo de crítica à discriminação. Um dos quadros mostra o que teria sido a primeira relação homossexual no Brasil, entre um índio e um português. A partir da segunda temporada paulista, esse espetáculo passa a intitular-se Deus Sabia de Tudo...

O espetáculo seguinte, A Mulher do Trem, de 2003, com direção de Fernando Neves, trabalha a vertente do circo-teatro. Trata-se de comédia da dupla Maurice Hennequin e Georges Mitchell, montada no século XIX pelo Circo Colombo, do avô de Neves. O diretor revolve as recordações da família, que emigra de Portugal para o Brasil para trabalhar no circo. A peça apresenta personagens típicos da dramaturgia da época: a sogra linha-dura, o pai acuado e libertino, o galã, a ingênua, o amigo bêbado e sua esposa, que trai e é traída, a prostituta de luxo, os empregados intrometidos etc.

Em Assombrações do Recife Velho, de 2005, Moreno adapta e dirige a obra homônima do sociólogo Gilberto Freyre (1900-1987), pernambucano como ele. As personagens narram histórias de fantasmas e de figuras sobre-humanas como Lobisomem, Papa-Figo e Boca-de-Ouro. Em tom de humor e mistério, o projeto recorre também a outros pensadores da cultura popular e põe em xeque a formação e a identidade brasileiras com a recriação de "causos".

Sobre a tradição oral, que alicerça as criações da companhia, a crítica Mariangela Alves de Lima (1947) observa: "Quem sabe, quem ainda poderia transmitir esse patrimônio imaterial está perdendo a memória. O fascínio dos meios de comunicação de massa, instaurando de modo dominador outras narrativas, prevalece sobre os temas e formalizações da transmissão oral. Mas essa é uma constatação do presente que o espetáculo apresentado pelo grupo Os Fofos Encenam registra sem se deixar contaminar pela melancolia saudosista. O que interessa ao grupo dirigido pelo autor é a categoria de 'romântico', com a sua dupla mensagem de distorção e emotividade".1

O quarto espetáculo, Ferro em Brasa, de 2006, retoma o universo do circo-teatro, desta vez com influência do melodrama. O texto de Antonio Sampaio, do início do século XX, aborda temas como a honra familiar, a traição, as diferenças sociais e a condição feminina numa sociedade machista e conservadora. A adaptação é de Moreno e a direção, de Neves.

Em 2007, a companhia Os Fofos investe numa sede, no bairro do Bexiga, em São Paulo, e mantém em cartaz seu repertório. Estreia, em 2009, Memória da Cana, espetáculo originado de pesquisa financiada pela lei de Fomento ao Teatro para a cidade de São Paulo, com o tema escolhido por Newton Moreno para sua tese de doutorado, que versa sobre a relação entre o universo ficcional de Nelson Rodrigues (1912-1980) e estudos de Gilberto Freyre.

Notas
1 LIMA, Mariangela Alves de. A força cênica da tradição oral. O Estado de S.Paulo, São Paulo, 17 set. 2005. Caderno 2, p. D-7.

Encontros 1

Abrir módulo

Espetáculos 8

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 3

Abrir módulo
  • ANUÁRIO de Teatro de Grupo da Cidade de São Paulo, 2004.
  • LIMA, Mariangela Alves de. A força cênica da tradição oral. O Estado de S.Paulo, São Paulo, 17 set. 2005. Caderno 2, p. D-7.
  • SITE da revista Veja São Paulo. Disponível em: [http://veja.abril.uol.com.br/idade/vejasp/comida/teatro.html]. Acesso em: 22 jun. 2007.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: