Artigo da seção grupos Companhia Dramática de Comédia

Companhia Dramática de Comédia

Artigo da seção grupos
Teatro  

Histórico

A companhia encena adaptações de comédias clássicas preferencialmente para o público infantil, com linguagem baseada em diversos gêneros populares, com direção de João Batista, responsável pelo trabalho sobre os textos.

Estréia com o espetáculo A Incrível História do Homem que Bebia Xixi, 1994, adaptação de O Médico Volante, de Molière, com linguagem inspirada no Teatro de Revista e nas chanchadas da Atlântida, no carnaval, no circo e na ópera bufa. O espetáculo recebe o Prêmio Coca-Cola de Teatro Jovem de melhor figurino (Mauro Leite). Em 1995, apresenta Volpone, o Morto Mais Vivo do Mundo, uma adaptação da obra de Ben Jonson, mantendo a pesquisa em torno dos mesmos elementos de linguagem na comédia de disfarces e artimanhas. Sonia Praça recebe o Prêmio Mambembe de melhor atriz coadjuvante.

Em 1996 estréia Esconde-Esconde, uma releitura do clássico Judas, em Sábado de Aleluia, de Martins Pena, indicado em sete categorias e agraciado com o Prêmio Coca-Cola de Teatro Jovem para figurino (Mauro Leite) e ator (Eduardo Rieche).

E-Pa-Mi-Non-Das, 1997, baseia-se em um conto de Artur Azevedo e recebe novamente o Prêmio Coca-Cola de Teatro Jovem de melhor figurino (Mauro Leite). No ano seguinte, a companhia encena seu primeiro espetáculo voltado para o público adulto, George Dandin, de Molière.

Em 1999, produz o Ciclo de Leituras 'Cinco Brasileiros', em que são realizadas as leituras dramatizadas das peças: O Santo Inquérito de Dias GomesBoca de Ouro de Nelson Rodrigues; O Auto da Compadecida de Ariano Suassuna; A Moratória de Jorge Andrade; Gota d'Água de Chico Buarque e Paulo Pontes; e debates com Emir Sader e Sócrates Nolasco. No ano seguinte viaja pelo interior dos estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Em 2002, estréia O Mundo É Grande, de João Batista, que conquista o Prêmio Maria Clara Machado de melhor ator, para Nando Cunha. Em 2003, participa da 3ª Mostra SESC/CBTIJ de Teatro para Crianças no estado do Rio de Janeiro. Em 2004, apresenta Caia na Gandaia, homenagem aos comediantes brasileiros e ao carnaval. Em 2006, a companhia apresenta A Bolha, composta por três histórias curtas cujos protagonistas têm dificuldades de relação com o mundo exterior.

Espetáculos (9)

Fontes de pesquisa (2)

  • COMPANHIA Dramática de Comédia. (Dossiê Grupo Artes Cênicas) Rio de Janeiro: Cedoc/Funarte.
  • COMPANHIA Dramática de Comédia. Disponível em: [http://www. ciadramaticadecomedia. com]. Acesso em: 02/05/2007.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • COMPANHIA Dramática de Comédia. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/grupo464012/companhia-dramatica-de-comedia>. Acesso em: 17 de Nov. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7