Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Teatro

Grupo de Teatro Mambembe

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 05.12.2017
1976 Brasil / São Paulo / São Paulo
O Teatro Mambembe é um grupo que busca uma interpretação brasileira, a partir das idéias do escritor e diretor Carlos Alberto Soffredini, líder do grupo, voltada para uma investigação junto as raízes da comédia de costumes e do circo-teatro.

Texto

Abrir módulo

Histórico

O Teatro Mambembe é um grupo que busca uma interpretação brasileira, a partir das idéias do escritor e diretor Carlos Alberto Soffredini, líder do grupo, voltada para uma investigação junto as raízes da comédia de costumes e do circo-teatro.

Os integrantes são agrupados através do Projeto Mambembe, do Serviço Social do Comércio, Sesc, visando uma teatralização da cultura popular brasileira em um palco armado em praças públicas da capital e de cidades do interior. Dirigido por Carlos Alberto Soffredini, o grupo reúne atores que vêm de experiências com amadores de Santos, alguns formandos da Escola de Arte Dramática da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, EAD/ECA/USP, como Flávio Dias, Suzana Lakatos, Wanderley Martins, Rubens Brito e Douglas Salgado, além de Ednaldo Freire e Calixto de Inhamuns, que fazem teatro amador em São Bernardo do Campo. Os artistas plásticos Irineu Chamiso Júnior e Eurico Sampaio, que já participavam da pesquisa de Soffredini em projetos anteriores, ligam-se à área de cenografia do projeto.

A primeira montagem do grupo, A Vida do Grande Dom Quixote de La Mancha e do Gordo Sancho Pança, financiada pelo Sesc, estréia em 1976 e fica por mais de um ano em cartaz. Todo o espetáculo é desenvolvido a partir de pesquisa de campo sobre o circo-teatro, que envolve os integrantes do grupo durante oito meses de criação, durante os quais assistem aos espetáculos circenses, dedicando especial atenção aos shows de variedades e às apresentações de circo-teatro.

Com o término do apoio do Sesc, em 1977, as pessoas que se identificam com essa forma de trabalho criam o Grupo de Teatro Mambembe. Montam no mesmo ano A Farsa de Inês Pereira, de Gil Vicente, e O Diletante, de Martins Pena, com adaptação do português arcaico para o corrente, e com a incorporação da linguagem do circo-teatro das revistas musicais brasileiras da virada do século XIX para o XX. Apresentam-se em bairros da periferia, sempre testando a eficiência da linguagem, já que os textos em questão têm origem e destinam-se a um teatro popular. No final desse ano, vários integrantes se desligam do grupo, inclusive Soffredini.

O Mambembe prossegue com Calixto de Inhamuns, Rosi Campos e Maria do Carmo Soares, já com outra orientação. A partir de 1978 o grupo resolve se inserir em um esquema mais institucionalizado, apresentando-se no circuito comercial para conseguir manter a empresa. Em 1979, o grupo monta mais um Soffredini, Vem Buscar-me que Ainda Sou Teu, com direção de Iacov Hillel. Alcança ótimos resultados ao aliar o melodrama à comédia, retratando a vida de uma trupe de circo que tem como empresária uma mulher que se nega a modernizar os espetáculos, mantendo-se fiel à tradição. Em 1980, encenam Foi Bom, Meu Bem?, que trata do tema do amor e do sexo através das distorções do aprendizado para um relacionamento. Esse texto de estréia de Luís Alberto de Abreu obtém grande êxito e o autor é novamente convidado a escrever o projeto seguinte, Cala a Boca Já Morreu, de 1981. Nova encenação de texto de Soffredini, Minha Nossa, inaugura o Mambembe Espaço Cultural, na Rua do Paraíso, em 1984.

Apesar de não apresentar características marcantes da década de 70, como a criação coletiva dos espetáculos e dos textos, o Mambembe está em sintonia com seu tempo na busca de um teatro popular, que procura integrar estilos tradicionais do país a experimentações formais através de um teatro de pesquisa.

Espetáculos 11

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 3

Abrir módulo
  • COSTA, Felisberto Sabino da. A dramaturgia nos grupos alternativos no período de 1975 a 1985. São Paulo, 1990. Dissertação (Mestrado). Departamento de Artes Cênicas da Escola de Comunicações e Artes, USP.
  • FERNANDES, Sílvia. Grupos teatrais: aqnos 70. Campinas: Unicamp, 2000.
  • FOI BOM, MEU BEM? São Paulo, 1980. 1 folder. Programa do espetáculo, apresentado em 1980.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: